Liturgia diária

Agenda litúrgica

2021-11-28

DOMINGO I DO ADVENTO

Roxo – Ofício próprio (Semana I do Saltério). Te Deum.
+ Missa própria, Credo, pf. I do Advento.

Toma-se o Lecionário dominical do Ano C

L 1 Jer 33, 14, 16; Sal 24 (25), 4bc-5ab. 8-9. 10 e 14
L2 1 Tes 3, 12 – 4, 2
Ev Lc 21, 25-28. 34-36

* As Missas deste Tempo Litúrgico não têm Glória.
* Proibidas todas as Missas de defuntos, mesmo a exequial.
* Na Arquidiocese de Évora – Ofertório para a Pastoral Diocesana.
* II Vésp. do domingo – Compl. dep. II Vésp. dom.

 

Ano C

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 24, 1-3
Para Vós, Senhor, elevo a minha alma.
Meu Deus, em Vós confio.
Não seja confundido nem de mim escarneçam os inimigos.
Não serão confundidos os que esperam em Vós.


ORAÇÃO COLECTA
Despertai, Senhor, nos vossos fiéis
a vontade firme de se prepararem,
pela prática das boas obras,
para ir ao encontro de Cristo,
de modo que, chamados um dia à sua direita,
mereçam alcançar o reino dos Céus.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Jer 33, 14-16
«Farei germinar para David um rebento de justiça»

Toda a história da salvação é testemunho da fidelidade de Deus à Aliança, que, em sua misericórdia, Ele quis fazer com os homens, para os levar até à participação da sua vida divina. Essa Aliança tem o seu momento culminante em Jesus Cristo; mas a promessa de Deus vem de longe. Os profetas, como aquele donde é tirada hoje esta leitura, anunciam o futuro Messias com os nomes de “Rebento”, “Gérmen”, nomes que apontam para Alguém que irá aparecer como rebento novo saído de um tronco já envelhecido. Esse “Rebento” viria a ser Jesus, descendente do tronco real de David. É também com esta promessa diante dos olhos que damos entrada no Tempo do Advento, na expectativa do Senhor que vem.

Leitura do Livro de Jeremias
Eis o que diz o Senhor: «Dias virão, em que cumprirei a promessa que fiz à casa de Israel e à casa de Judá: Naqueles dias, naquele tempo, farei germinar para David um rebento de justiça que exercerá o direito e a justiça na terra. Naqueles dias, o reino de Judá será salvo e Jerusalém viverá em segurança. Este é o nome que chamarão à cidade: ‘O Senhor é a nossa justiça’».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 24 (25), 4bc-5ab.8-9.10.14 (R.1b)
Refrão: Para Vós, Senhor, elevo a minha alma. Repete-se

Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos,
ensinai-me as vossas veredas.
Guiai-me na vossa verdade e ensinai-me,
porque Vós sois Deus, meu Salvador. Refrão

O Senhor é bom e recto,
ensina o caminho aos pecadores.
Orienta os humildes na justiça
e dá-lhes a conhecer os seus caminhos. Refrão

Os caminhos do Senhor são misericórdia e fidelidade
para os que guardam a sua aliança e os seus preceitos.
O Senhor trata com familiaridade os que O temem
e dá-lhes a conhecer a sua aliança. Refrão


LEITURA II 1 Tes 3, 12 – 4, 2
«O Senhor confirme os vossos corações no dia de Cristo»

A Igreja vive na expectativa da vinda do Senhor. “Eu vou preparar-vos um lugar”, disse Jesus ao sair deste mundo. E de novo Ele um dia virá, e vem já na presença constante com que está no meio de nós. A espiritualidade da vida cristã nasce toda da consciência desta presença e dessa expectativa, e manifesta-se na esperança com que, todos os dias, caminhamos ao seu encontro. Viver na expectativa da vinda do Senhor é caminhar constantemente ao encontro do Senhor.

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo
aos Tessalonicenses
Irmãos: O Senhor vos faça crescer e abundar na caridade uns para com os outros e para com todos, tal como nós a temos tido para convosco. O Senhor confirme os vossos corações numa san¬tidade irrepreensível, diante de Deus, nosso Pai, no dia da vinda de Jesus, nosso Senhor, pcom todos os santos. Finalmente, irmãos, eis o que vos pedimos e recomendamos no Senhor Jesus: recebestes de nós instruções sobre o modo como deveis proceder para agradar a Deus e assim estais procedendo; mas deveis progredir ainda mais. Conheceis bem as normas que vos demos da parte do Senhor Jesus.
Palavra do Senhor.


ALELUIA Salmo 84, 8
Refrão: Aleluia. Repete-se
Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia
e dai-nos a vossa salvação. Refrão


EVANGELHO Lc 21, 25-28.34-36
«A vossa libertação está próxima»

A vinda do Senhor, a sua última vinda, ou talvez melhor, o último momento da vinda que Ele inaugurou quando Se fez homem e veio habitar no meio de nós, é, de novo, proclamada nesta leitura. E com que solenidade! E com que exigências! Mas, no fundo, será esse o momento supremo da nossa libertação, porque o Senhor, que vem, vem como Salvador. O Advento é o tempo particularmente consagrado a viver nesta expectativa.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas e, na terra, angústia entre as nações, aterradas com o rugido e a agitação do mar. Os homens morrerão de pavor, na expectativa do que vai suceder ao universo, pois as forças celestes serão abaladas. Então, hão-de ver o Filho do homem vir numa nuvem, com grande poder e glória. Quando estas coisas começarem a acontecer, erguei-vos e levantai a cabeça, porque a vossa libertação está próxima. Tende cuidado convosco, não suceda que os vossos corações se tornem pesados pela intemperança, a embriaguez e as preocupações da vida, e esse dia não vos surpreenda subitamente como uma armadilha, pois ele atingirá todos os que habitam a face da terra. Portanto, vigiai e orai em todo o tempo, para que possais livrar-vos de tudo o que vai acontecer e comparecer diante do Filho do homem».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai, Senhor, estes dons
que recebemos da vossa bondade
e fazei que os sagrados mistérios
que celebramos no tempo presente
sejam para nós penhor de salvação eterna.
Por Nosso Senhor.

Prefácio do Advento I


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 84, 13
O Senhor nos dará todos os bens
e a nossa terra produzirá o seu fruto.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Fazei frutificar em nós, Senhor,
os mistérios que celebramos,
pelos quais, durante a nossa vida na terra,
nos ensinais a amar os bens do Céu
e a viver para os valores eternos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Em Sebaste, na Arménia, hoje Sivas, na Turquia, Santo Irenarco, mártir, que, exercendo o ofício de verdugo, se converteu a Cristo impressionado pela firme perseverança das mulheres cristãs e, no tempo do imperador Diocleciano e do governador Máximo, morreu decapitado.

2.   Na África Proconsular, no território da actual Líbia e Tunísia, a comemoração dos santos mártires Papiniano, bispo de Vita, e Mansueto, bispo de Urúsi, que, durante a perseguição dos Vândalos, no tempo do rei ariano Genserico, por defender a fé católica foram queimados em todo o seu corpo com lâminas de ferro incandecentes e assim consumaram o seu glorioso combate. No mesmo tempo, também outros santos bispos – Urbano de Girba, Crescente de Bizácio, Habetdeus de Teudáli, Eustrácio de Sufes, Crescónio de Oea, Vicis de Sábatra e Félix de Hadrumeto; depois, no tempo de Hunerico, filho de Genserico, Hortulano de Benefa e Florenciano de Midila – foram exilados e terminaram o curso da sua vida como confessores da fé.

3.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, Santo Estêvão o Jovem, monge e mártir, que, no tempo do imperador Constantino Coprónimo, por defender o culto das sagradas imagens foi atormentado com vários suplícios, confirmando a verdade católica com o derramamento do seu sangue.

4*.   Perto de Rossano, na Calábria, região da Itália, Santa Teodora, abadessa, discípula de São Nilo o Jovem e mestra de vida monástica.

5.   Em Nápoles, na Campânia, também região da Itália, o sepultamento de São Tiago da Marca, presbítero da Ordem dos Menores, ilustre pela sua pregação e austeridade de vida.

6*.   Em York, na Inglaterra, o Beato Jaime Thomson, presbítero e mártir, que, condenado à morte no reinado de Isabel I por ter reconciliado muitas pessoas com a Igreja católica, sofreu o suplício do patíbulo.

7.   No território de Kham Duong, no Anam, hoje no Vietnam, Santo André Tran Van Trong, mártir, que, no tempo do imperador Minh Mang, por se recusar a calcar a cruz, depois de ser encarcerado e suportar cruéis torturas, finalmente foi degolado.

8*.   Em Paracuellos del Jarama, localidade próxima de Madrid, na Espanha, o Beato João Jesus (Mariano Adradas Gonzalo), presbítero, e catorze companheiros[1], mártires, religiosos da Ordem de São João de Deus, que, durante a perseguição religiosa, foram coroados com a gloriosa paixão.

 


[1]  São estes os seus nomes: Guilherme (Vicente Llop Gayá), Clemente Díez Sahagún, Lázaro (João Maria Múgica Goiburu), Martiniano (António Meléndez Sánchez), Pedro Maria Alcalde Negredo, Julião Plazaola Artola, Hilário (António Delgado Vílchez), religiosos professos; Pedro de Alcântara Bernalte Calzado, João Alcalde y Alcalde, Isidoro Martínez Izquierdo, Ângelo Sastre Corporales, noviços; José Mora Velasco, presbítero e postulante; José Ruiz Cuesta, postulante; e Eduardo Baptista Jiménez.

 

9♦.   Também em Paracuellos del Jarama, os beatos mártires Avelino Rodríguez Alonso, presbítero da Ordem de Santo Agostinho e dezanove companheiros[2] mártires, que, na mesma perseguição, venceram gloriosamente o seu combate por Cristo.

 


[2]  São estes os seus nomes: Bernardino Álvarez Melcón, Balbino Villaroel Villaroel, Bento Alcalde González, Bento Garnelo Álvarez, Bento Velasco Velasco, Manuel Álvarez Rego de Seves, Sabino Rodrigo Fierro, Samuel Pajares Garcia, Sénen Garcia González, presbíteros da Ordem de Santo Agostinho; João Baldajos Pérez, José Peque Iglésias, Lucínio Ruíz Valtierra, Marcos Pérez Andrés, Marcos Guerrero Prieto, religiosos da Ordem de Santo Agostinho; Anastásio Garzón González, presbítero da Sociedade Salesiana; Justo Juanes Santos e Valentim Gil Arribas, religiosos da Sociedade Salesiana; João Herrero Arroyo e José Prieto Fuentes, religiosos da Ordem dos Pregadores.

 

10♦.   Também em Paracuellos de Jarama, os beatos Francisco Estevão Lacal e Vicente Blanco Guadilla, presbíteros da Congregação dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada, e onze companheiros[3], mártires.

 


[3]  São estes os seus nomes: Ângelo Francisco Bocos Hernández, Clemente Rodríguez Tejerían, Daniel Gómez Lucas, Eleutério Prado Villarroel, Gregório Escobar García, José Guerra Andrés, João José Caballero Rodríguez, Justo Gil Pardo, Justo Fernández González, Marcelino Sánchez Fernández e Públio Rodríguez Moslares, religiosos da Congregação dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada.

 

11*.   Em Picadero de Paterna, no território de Valência, também na Espanha, o Beato Luís Campos Górriz, mártir, que, durante a mesma perseguição, coroou com o seu glorioso martírio uma vida fervorosamente dedicada ao apostolado e às obras de caridade.