Santos

S. VENCESLAU, mártir

 

Nota Histórica

Nasceu na Boémia, cerca do ano 907; de uma sua tia paterna recebeu uma sólida formação cristã e assumiu o governo do seu ducado por volta de 925. Suportou muitas dificuldades no governo e formação cristã de seus súbditos. Traído por seu irmão Boleslau, foi morto por uns sicários no ano 935. Em breve foi venerado como mártir e escolhido pela Boémia como seu patrono principal.

 

Missa

ORAÇÃO
Senhor nosso Deus, que ensinastes o vosso mártir São Venceslau a preferir o reino dos Céus ao reino deste mundo, concedei nos, por sua intercessão, a graça de renunciar a nós mesmos para Vos seguirmos de todo o coração. Por Nosso Senhor.

 

Liturgia das Horas

Da primeira Legenda paleoeslava

(ed. M. Weingart, Praga 1934, 974-983)

O trono do rei que julga os pobres na verdade
permanecerá firme eternamente

Quando Bratislau morreu, os Boémios proclamaram duque seu filho Venceslau. Por graça de Deus, era um homem de fé e santidade. Era benfeitor dos pobres, vestia os que não tinham roupa, dava alimento aos famintos e acolhia os peregrinos, conforme os ensinamentos do Evangelho. Não tolerava injustiças para com as viúvas, amava todos os homens, pobres ou ricos, ajudava os ministros de Deus e dotava de benefícios muitas igrejas.
Mas alguns homens da Boémia, instigados pela ambição, persuadiram Boleslau, seu irmão mais novo, dizendo: «O teu irmão Venceslau conspira com vossa mãe e com os seus homens para te matar».
Venceslau costumava ir a todas as cidades para visitar as suas igrejas no dia da dedicação de cada uma delas. E num domingo, festa de São Cosme e São Damião, foi à cidade de Boleslávia. Depois de participar no sacrifício eucarístico, quis voltar para Praga, mas Boleslau dissuadiu o, com pérfida intenção, dizendo lhe: «Porque te hás de ir embora, irmão?».
Ao amanhecer, tocaram os sinos para o ofício matutino. E Venceslau, ao ouvir o toque dos sinos, disse: «Louvado sejais, Senhor, que me concedestes a vida até esta manhã». Levantou se e dirigiu se para o ofício matutino.
Imediatamente o perseguiu Boleslau, detendo o junto à porta. Venceslau olhou para ele e disse: «Irmão, ainda ontem eras para mim um bom vassalo». Mas o diabo, sugestionando os ouvidos de Boleslau, perverteu o seu coração; e desembainhando a espada, Boleslau respondeu a seu irmão: «Agora quero ser ainda melhor». Tendo dito isto, feriu a sua cabeça com a espada.
Então Venceslau, voltando se para ele, disse: «Que intenção é a tua, irmão?». E agarrando o, prostrou o por terra. Acorreu naquele momento um dos conselheiros de Boleslau e feriu a mão de Venceslau. Este, assim ferido, deixou o irmão e quis refugiar se na igreja; mas foi surpreendido por outros dois malfeitores que o mataram à porta da igreja; finalmente, apareceu ainda outro conjurado, que lhe trespassou o peito com uma espada. Imediatamente Venceslau exalou o último suspiro, com estas palavras: Nas vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.