Liturgia diária

Agenda litúrgica

2019-11-03

DOMINGO XXXI DO TEMPO COMUM

Verde – Ofício do domingo (Semana III do Saltério). Te Deum.
+ Missa própria, Glória, Credo, pf. dominical.

L 1 Sab 11, 22 – 12, 2; Sal 144 (145), 1-2. 8-9. 10-11. 13cd-14
L 2 2 Tes 1, 11 – 2, 2
Ev Lc 19, 1-10

* Proibidas as Missas de defuntos, excepto a exequial.
* Na Diocese de Viana do Castelo – Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – Ofício e Missa do domingo; aniversário da criação da Diocese (1977); termina a Semana da Diocese.
* Na Congregação dos Missionários e Missionárias de S. Carlos (Scalabrinianos/as) – I Vésp. de S. Carlos Borromeu.
* II Vésp. do domingo – Compl. dep. II Vésp. dom.

 

Ano C

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 37, 22-23
Não me abandoneis, Senhor;
meu Deus, não Vos afasteis de mim.
Senhor, socorrei-me e salvai-me.


ORAÇÃO COLECTA
Deus omnipotente e misericordioso,
de quem procede a graça de Vos servirmos fiel e dignamente,
fazei-nos caminhar sem obstáculos
para os bens por Vós prometidos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Sab 11, 22 – 12, 2
«De todos Vos compadeceis, porque amais tudo o que existe»

De novo, a palavra de Deus nos quer convencer do seu amor para com os homens, e particularmente para com os mais pecadores. Deus não quer que ninguém se perca, porque a todos ama. “Se tivesse detestado alguma criatura não a teria formado”. Até a correcção com que nos castiga é um modo de nos chamar a Si.

Leitura do Livro da Sabedoria
Diante de Vós, Senhor, o mundo inteiro é como um grão de areia na balança, como a gota de orvalho que de manhã cai sobre a terra. De todos Vos compadeceis, porque sois omnipotente, e não olhais para os seus pecados, para que se arrependam. Vós amais tudo o que existe e não odiais nada do que fizestes; porque, se odiásseis alguma coisa, não a teríeis criado. E como poderia subsistir, se Vós não a quisésseis? Como poderia durar, se não a tivésseis chamado à existência? Mas a todos perdoais, porque tudo é vosso, Senhor, que amais a vida. O vosso espírito incorruptível está em todas as coisas. Por isso castigais brandamente aqueles que caem e advertis os que pecam, recordando-lhes os seus pecados, para que se afastem do mal e acreditem em Vós, Senhor.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 144 (145), 1-2.8-9.10-11.13cd-14 (R. cf. 1)

Refrão: Louvarei para sempre o vosso nome,
Senhor, meu Deus e meu Rei. Repete-se

Quero exaltar-Vos, meu Deus e meu Rei,
e bendizer o vosso nome para sempre.
Quero bendizer-Vos, dia após dia,
e louvar o vosso nome para sempre. Refrão

O Senhor é clemente e compassivo,
paciente e cheio de bondade.
O Senhor é bom para com todos
e a sua misericórdia se estende a todas as criaturas. Refrão

Graças Vos dêem, Senhor, todas as criaturas
e bendigam-Vos os vossos fiéis.
Proclamem a glória do vosso reino
e anunciem os vossos feitos gloriosos. Refrão

O Senhor é fiel à sua palavra
e perfeito em todas as suas obras.
O Senhor ampara os que vacilam
e levanta todos os oprimidos. Refrão


LEITURA II 2 Tes 1, 11 – 2, 2
«O nome de Cristo será glorificado em vós, e vós n’Ele»

S. Paulo quer corrigir certos rumores sobre a vinda do Senhor, que alguns começavam a entender mal. Em qualquer caso, a glória que o Senhor há-de encontrar neles e eles no Senhor será que Ele, quando vier, os possa encontrar dignos da sua vocação cristã.

Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo
aos Tessalonicenses
Irmãos: Oramos continuamente por vós, para que Deus vos considere dignos do seu chamamento e, pelo seu poder, se realizem todos os vossos bons propósitos e se confirme o trabalho da vossa fé. Assim o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo será glorificado em vós, e vós n’Ele, segundo a graça do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo. Nós vos pedimos, irmãos, a propósito da vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo e do nosso encontro com Ele: Não vos deixeis abalar facilmente nem alarmar por qualquer manifestação profética, por palavras ou por cartas, que se digam vir de nós, pretendendo que o dia do Senhor está iminente.
Palavra do Senhor.


ALELUIA Jo 3, 16
Refrão: Aleluia. Repete-se
Deus amou tanto o mundo
que lhe deu o seu Filho unigénito;
quem acredita n’Ele tem a vida eterna. Refrão


EVANGELHO Lc 19, 1-10
«O Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido»

A predilecção de S. Lucas pelos pecadores, em razão da atenção que Jesus lhes dá, é patente, uma vez mais, na passagem que hoje lemos. Com este episódio, somos todos convidados, a tomar parte na mesa do Senhor, particularmente na Eucaristia, com os sentimentos de Zaqueu. A salvação também quer entrar em nossa casa. Seremos capazes de abrir as portas do nosso coração a Cristo, nosso Redentor?

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus entrou em Jericó e começou a atravessar a cidade. Vivia ali um homem rico chamado Zaqueu, que era chefe de publicanos. Procurava ver quem era Jesus, mas, devido à multidão, não podia vê-l’O, porque era de pequena estatura. Então correu mais à frente e subiu a um sicómoro, para ver Jesus, que havia de passar por ali. Quando Jesus chegou ao local, olhou para cima e disse-lhe: «Zaqueu, desce depressa, que Eu hoje devo ficar em tua casa». Ele desceu rapidamente e recebeu Jesus com alegria. Ao verem isto, todos murmuravam, dizendo: «Foi hospedar-Se em casa dum pecador». Entretanto, Zaqueu apresentou-se ao Senhor, dizendo: «Senhor, vou dar aos pobres metade dos meus bens e, se causei qualquer prejuízo a alguém, restituirei quatro vezes mais». Disse-lhe Jesus: «Hoje entrou a salvação nesta casa, porque Zaqueu também é filho de Abraão. Com efeito, o Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor, fazei que este sacrifício
seja para Vós uma oblação pura
e para nós o dom generoso da vossa misericórdia.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 15, 11
O Senhor me ensinará o caminho da vida,
a seu lado viverei na plenitude da alegria.

Ou Jo 6, 58
Assim como o Pai que Me enviou
é o Deus vivo e Eu vivo pelo Pai,
também o que Me come viverá por Mim, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Multiplicai em nós, Senhor, os frutos da vossa graça,
para que os sacramentos celestes
que nos alimentam na vida presente
nos preparem para alcançarmos a herança prometida.
Por Nosso Senhor.

 

 

Santo

S. MARTINHO DE PORRES, religioso

 

 

Martirológio

São Martinho de Porres, religioso da Ordem dos Pregadores: filho de homem espanhol e de mulher indígena, já desde a infância, apesar das limitações provenientes da sua condição de filho ilegítimo e mestiço, aprendeu a medicina, que depois, sendo religioso, exerceu generosamente em Lima, cidade do Peru, em favor dos pobres e, entregue à prática do jejum, da penitência e da oração, viveu uma existência áspera e humilde, mas irradiante de caridade.

 

2.   Em Cesareia, na Capadócia, hoje Kayseri, na Turquia, os santos Germano, Teófilo e Cirilo, mártires.

3*.   Em Agrigento, na Sicília, região da Itália, São Libertino, bispo e mártir.

4*.   No território de Lauraguais, na Gália Narbonense, na actual França, São Pápulo, venerado como mártir.

5.   Em Viterbo, na Toscana, hoje no Lácio, região da Itália, os santos Valentim, presbítero, e Hilário, diácono, mártires.

6*.   Na Bretanha Menor, na actual França, São Guenael, venerado como abade de Landévenec.

7.   Em Roma, a comemoração de Santa Sílvia, mãe do papa São Gregório Magno, que, segundo o que o mesmo Pontífice referiu nos seus escritos, atingiu o mais alto grau de oração e penitência e foi para todos um exemplo admirável.

8.   No mosteiro de Hornbach, junto a Estrasburgo, na Borgonha, território da actual França, o sepultamento de São Pirmino, bispo e abade de Reichenau, que evangelizou os Alamanos e os Bávaros, fundou muitos mosteiros e compôs para os seus discípulos um livro sobre a catequese aos rudes.

9.   No cenóbio de Antídio, na Bitínia, hoje na Turquia, São Joanício, monge, que, depois de mais de vinte anos ao serviço militar, viveu solitário em vários montes do Olimpo, acompanhando habitualmente a sua oração com estas palavras: «Deus é a minha esperança, Cristo é o meu refúgio, o Espírito Santo é o meu protector».

10*.   Em Alem, cidade da Flandres, na actual Holanda, o sepultamento de Santa Odrada, virgem.

11.   Em Urgel, na Catalunha, região da Espanha, Santo Ermengol ou Ermengáudio, bispo, um dos ilustres prelados que se empenharam em restabelecer a Igreja nas terras resgatadas do jugo dos Mouros; ao construir uma ponte, trabalhando com as suas próprias mãos, resvalou do alto e morreu entre as pedras com fractura do crâneo.

12*.   No território dos Marsos, nos Abruzos, região da Itália, São Berardo, bispo, que se distinguiu na luta contra a simonia, na restauração da disciplina do clero e no auxílio e protecção dos pobres.

13*.   Em Cudot, no território de Sens, na França, a Beata Alpaídes, virgem, que, ainda muito jovem, cruelmente espancada e abandonada pelos seus familiares, viveu depois reclusa numa pequena cela até à velhice.

14*.   Junto do mosteiro de Fischingen, na actual Suíça, Santa Ida, reclusa.

15*.   Em Rímini, no litoral da Flamínia, hoje na Emília-Romanha, região da Itália, o Beato Simão Balácchi, religioso da Ordem dos Pregadores, que dedicou toda a sua vida ao serviço dos irmãos, à penitência e à oração.

16.   Em Milão, na Lombardia, região da Itália, o dia natal de São Carlos Borromeu, bispo, cuja memória se celebra amanhã.

17.   Junto à fortaleza Xa Doai, no Tonquim, actualmente no Vietnam, São Pedro Francisco Néron, presbítero da Sociedade das Missões Estrangeiras de Paris e mártir, que, no tempo do imperador Tu Duc, viveu três meses encerrado numa jaula estreitíssima e, ferozmente vergastado, depois de três semanas sem provar qualquer alimento, consumou finalmente o martírio ao ser decapitado.

18♦.   Em Valldibrera, perto de Barcelona, na Espanha, os beatos Cândido Alberto (José Ruiz de la Torre), Cirilo Pedro (Cecílio Manrique Arnáiz), Crisóstomo (José Llorach Bretó) e Leónides Francisco (Francisco Colóm González), religiosos da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártires.