Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-01-12

SEXTA-FEIRA da semana I

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 1 Sam 8, 4-7. 10-22a; Sal 88 (89), 16-17. 18-19
Ev Mc 2, 1-12


* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – S. Bernardo de Corleone, religioso, da I Ordem – MO

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA
Sobre um trono elevado vi sentado um homem,
que uma multidão de Anjos adora, cantando em coro:
Eis Aquele que reina eternamente.


ORAÇÃO COLECTA
Atendei, Senhor, as orações do vosso povo;
dai-lhe luz para conhecer a vossa vontade
e coragem para a cumprir fielmente.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I 1 Sam 8, 4-7.10-22a
«Haveis de gritar contra o rei que escolhestes,
mas então o Senhor não vos responderá»

A leitura leva-nos já aos últimos anos de Samuel, durante os quais fora juiz do povo de Deus. Esta passagem é testemunho das diversas correntes políticas existentes em Israel. No entanto, a união de todos seria o único meio de resistir ao inimigo que os ameaçava, os Filisteus. Mas nenhum dos regimes podia perder de vista que o supremo condutor do povo é Deus.

Leitura do Primeiro Livro de Samuel
Naqueles dias, reuniram-se todos os anciãos de Israel e foram ter com Samuel a Ramá. E disseram a Samuel: «Tu já estás velho e os teus filhos não seguem o teu exemplo. Por isso, dá-nos um rei que nos governe, como acontece com os outros povos». Desagradou a Samuel que eles tivessem dito: «Dá-nos um rei que nos governe». Samuel orou ao Senhor e o Senhor respondeu-lhe: «Atende à voz do povo em tudo o que ele te pedir; porque não foi a ti que rejeitaram, mas a Mim: não querem que Eu reine sobre eles». Samuel comunicou todas as palavras do Senhor ao povo que lhe pedia um rei e acrescentou: «Serão estes os direitos do rei que vai reinar sobre vós: Requisitará os vossos filhos, para cuidarem dos seus carros e dos seus cavalos, e os fará correr à frente do seu carro. Ele os utilizará como chefes de mil homens e chefes de cinquenta. Mandará que lavrem os seus campos e ceifem as suas colheitas, que fabriquem as suas armas de guerra e as peças dos seus carros. Requisitará também as vossas filhas, para trabalharem como perfumistas, cozinheiras e padeiras. Tomará os vossos melhores campos, vinhas e olivais, para os dar aos seus servos. Cobrará o dízimo das vossas sementeiras e das vossas vinhas, para o dar aos seus cortesãos e ministros. Ficará com os vossos melhores servos e servas, com os vossos melhores bois e jumentos, para os empregar no seu serviço. Cobrará o dízimo dos vossos rebanhos e vós mesmos sereis seus escravos. Nesse dia, reclamareis contra o rei que escolhestes, mas então o Senhor não vos responderá». O povo não fez caso das palavras de Samuel e disse: «Não importa. Queremos um rei e assim seremos como todos os outros povos: o nosso rei é que há-de governar-nos e marchará à nossa frente para comandar os nossos combates». Samuel ouviu tudo o que o povo disse e comunicou-o ao Senhor. O Senhor respondeu-lhe: «Faz o que eles querem e dá-lhes um rei».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 88 (89), 16-17.18-19 (R. 2a)
Refrão: Cantarei eternamente as misericórdias do Senhor. Repete-se
Ou: Eu canto para sempre a bondade do Senhor. Repete-se

Feliz do povo que sabe aclamar-Vos
e caminha, Senhor, à luz do vosso rosto.
Todos os dias aclama o vosso nome
e se gloria com a vossa justiça. Refrão

Vós sois a sua força,
com o vosso favor se exalta a nossa valentia.
Do Senhor é o nosso escudo
e do Santo de Israel o nosso rei. Refrão


ALELUIA Lc 7, 16
Refrão: Aleluia Repete-se
Apareceu entre nós um grande profeta:
Deus visitou o seu povo. Refrão


EVANGELHO Mc 2, 1-12
«O Filho do homem tem na terra o poder de perdoar os pecados»

O perdão dos pecados anda sempre ligado à Boa Nova do Reino de Deus. O perdão dos pecados é a primeira libertação de que o homem precisa para poder sair do círculo fechado em que o Mal (o Maligno, diria S. João) o envolve e o angustia. O primeiro efeito do anúncio da Boa Nova será levar o homem, à luz da Palavra de Deus, a reconhecer-se pecador, a reconhecer o amor de Deus e a decidir-se a pedir-Lhe perdão.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Quando Jesus entrou de novo em Cafarnaum e se soube que Ele estava em casa, juntaram-se tantas pessoas que já não cabiam sequer em frente da porta; e Jesus começou a pregar lhes a palavra. Trouxeram-Lhe um paralítico, transportado por quatro homens; e, como não podiam levá-lo até junto d’Ele, devido à multidão, descobriram o tecto, por cima do lugar onde Ele Se encontrava e, feita assim uma abertura, desceram a enxerga em que jazia o paralítico. Ao ver a fé daquela gente, Jesus disse ao paralítico: «Filho, os teus pecados estão perdoados». Estavam ali sentados alguns escribas, que assim discorriam em seus corações: «Porque fala Ele deste modo? Está a blasfemar. Não é só Deus que pode perdoar os pecados?». Jesus, percebendo o que eles estavam a pensar, perguntou-lhes: «Porque pensais assim nos vossos corações? Que é mais fácil? Dizer ao paralítico ‘Os teus pecados estão perdoados’ ou dizer ‘Levanta-te, toma a tua enxerga e anda’? Pois bem. Para saberdes que o Filho do homem tem na terra o poder de perdoar os pecados, ‘Eu te ordeno – disse Ele ao paralítico – levanta-te, toma a tua enxerga e vai para casa’». O homem levantou-se, tomou a enxerga e saiu diante de toda a gente, de modo que todos ficaram maravilhados e glorificavam a Deus, dizendo: «Nunca vimos coisa assim».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai benignamente, Senhor, a oblação do vosso povo
e fazei que ela santifique a nossa vida
e torne eficaz a nossa oração.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 35, 10
Em Vós, Senhor, está a fonte da vida: na vossa luz veremos a luz.

Ou Jo 10, 10
Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Deus todo-poderoso,
que nos alimentais com os vossos sacramentos,
dai-nos a graça de Vos servir com uma vida santa.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Martirológio

1.   Em Cesareia da Mauritânia, hoje Cherchell, na Argélia, Santo Arcádio, mártir, que durante a perseguição se retirou num refúgio, mas, quando um seu familiar foi detido em seu lugar, apresentou-se espontaneamente ao juiz e, negando-se a sacrificar aos deuses, depois de sofrer atrozes suplícios, consumou o seu martírio.

2.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, os santos Tígrio, presbítero, e Eutrópio, leitor, que, no tempo do imperador Arcádio, falsamente acusados de terem provocado o incêndio que consumiu o templo principal e a cúria do senado para vingar o exílio infligido a São João Crisóstomo, sofreram o martírio por ordem do prefeito da cidade Optato, seguidor do culto supersticioso dos falsos deuses e inimigo da religião cristã.

3*.   Em Arles, na Provença, região da Gália, na actual França, Santa Cesária, abadessa, irmã de São Cesário, bispo, que escreveu para ela e suas irmãs uma Regra das santas virgens.

4*.   Em Grenoble, na Borgonha, também na actual França, São Ferréolo, bispo e mártir, que foi assassinado por ímpios sicários quando pregava ao povo.

5*.   Em Wearmouth, na Nortúmbria, na actual Inglaterra, São Bento Biscop, abade, que, tendo peregrinado cinco vezes a Roma, de lá trouxe para a sua pátria mestres e muitos livros, para que os monges reunidos na clausura do mosteiro sob a Regra de São Bento adquirissem melhor conhecimento na ciência do amor de Cristo em benefício da Igreja.

6*.   No mosteiro de Rievaulx, também na região da Nortúmbria, Santo Elredo, abade, que, educado na corte do rei da Escócia, entrou na Ordem de Cister e, tornando-se mestre exímio da vida monástica, promoveu com suma diligência e amabilidade, por meio das suas acções e escritos, a vida espiritual e a amizade em Cristo.

7*.   Em Leão, na Espanha, São Martinho da Santa Cruz, presbítero e cónego regular, que foi mestre insigne da Sagrada Escritura.

8♦.   Em Okusanbara, no Japão, os beatos Luís Amagasu Iemon e seu filho Vicente Kurogane Ichibiyoe, Miguel Amagasu Iemon, sua esposa Domingas Amagasu e sua filha Justa Amagasu, e companheiros[1], mártires.

 


[1]  São estes os seus nomes: Tecla Kurogane, Luzia Kurogane, Maria Ito, Marina Ito Chobo, Pedro Ito Yahyoe, Matias Ito Hikosuke, Timóteo Obasama Jirobyoe, Luzia Obasama, João Gorobyoe, Joaquim Saburobyoe, João Banzai Kasue, Âurea Banzai, António Banzai Orusu, Paulo Sanjuro, Rufina Banzai e seus filhos Paulo e Marta, Simão Takahashi Seizaemon, Tecla Takahashi, Paulo Nishihori Shikibu, Luís Jin’emon e sua filha Ana, Mâncio Yoshino Han’emon, Júlia Yoshino, António Anazawa Han’emon, Paulo Anazawa Juzaburo, André Yamamoto Shichiemon, Inácio Iida Soemon, João Arie Kiemon, Pedro Arie Jinzo, Aleixo Sato Seisuke, Luzia Sato, Isabel Sato, Paulo Sato Matagoro, (N) Shichizaemon, Madalena, duas filhas de Shichizaemon e Madalena.

 

9♦.   Em Nukayama, no Japão, os beatos Luzia Iida, Crescência Anazawa, Romão Anazawa Matsujiro, Miguel Anazawa Osamu, Maria Yamamoto, Úrsula Yamamoto e Madalena Arie, mártires.

10♦.        Em Hanazawa, no Japão, os beatos Aleixo Choemon e seus filhos Cândido e Inácio, mártires.

11.   Em Palermo, na Sicília, região da Itália, São Bernardo de Corleone, da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, insigne pela sua admirável caridade e penitência.

12.   Em Montréal, no Quebec, região do Canadá, Santa Margarida Bourgeoys, virgem, que prestou todo o género de auxílio aos colonos e aos soldados e se dedicou com todas as suas forças à formação das jovens cristãs, para as quais fundou a Congregação das Irmãs de Nossa Senhora.

13*.   Em Avrillé, perto de Angers, na França, o Beato António Fournier, mártir, que era artesão e durante a Revolução Francesa foi fuzilado por causa da sua fidelidade à Igreja.

14*.   Em Caen, também na França, o Beato Pedro Francisco Jamet, presbítero, que prestou toda a assistência possível às religiosas Filhas do Bom Salvador, quer durante o tempo da grande revolução quer depois da restituição da paz à Igreja.

15*.   Em Viaréggio, na Itália, Santo António Maria Púcci, presbítero da Ordem dos Servos de Maria, que, sendo pároco durante quase cinquenta anos, se empenhou especialmente em prestar auxílio às crianças pobres e enfermas.

16*.   Em Tomhom, localidade próxima de Bangkok, na Tailândia, o Beato Nicolau Bunkerd Kitbamrung, presbítero e mártir, exímio pregador do Evangelho, que, encarcerado no tempo da perseguição contra a Igreja e contraindo a tuberculose na assistência aos enfermos, teve morte gloriosa.