Santos

Santa Maria Madalena

 

Nota Histórica

Maria Madalena é mencionada entre os discípulos de Cristo. Assistiu à sua morte, mereceu ser a primeira a ver o Salvador ressuscitado de entre os mortos e levou aos outros discípulos o anúncio da ressurreição (cf. Mc 16, 9). O seu culto difundiu-se na Igreja ocidental, sobretudo a partir do século XII.

 

Missa

Antífona de entrada Cf. Jo 20, 17
Disse o Senhor a Maria Madalena: Vai dizer aos meus irmãos:
Eu subo para meu Pai e vosso Pai, para o meu Deus e vosso Deus.

Diz-se o Glória.

Oração coleta
Senhor nosso Deus,
cujo Filho unigénito confiou, em primeiro lugar, a Maria Madalena
o anúncio da alegria pascal,
concedei-nos, por sua intercessão e exemplo,
que anunciemos Cristo vivo
e O contemplemos no reino da vossa glória.
Ele que é Deus e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


Em vez desta leitura, pode utilizar-se a que se Ihe segue


LEITURA I Cant 3, 1-4a
«Encontrei aquele que o meu coração ama»

Leitura do Cântico dos Cânticos
Eis o que diz a esposa:
«No meu descanso, durante a noite,
procurei aquele que o meu coração ama;
procurei-o, mas não pude encontrá-lo.
Levantar-me-ei e percorrerei a cidade,
pelas ruas e pelas praças,
procurando aquele que o meu coração ama.
Procurei-o, mas não pude encontrá-lo.
Encontraram-me as sentinelas que rondavam a cidade
e eu perguntei-lhes:
‘Vistes porventura aquele que o meu coração ama?’.
E logo que passei por eles,
encontrei aquele que o meu coração ama».
Palavra do Senhor.


Em vez da leitura precedente, pode utilizar-se a seguinte:

LEITURA I 2 Cor 5, 14-17
«Já não conhecemos a Cristo segundo a carne»

Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios
Irmãos:
O amor de Cristo nos impele,
ao pensarmos que um só morreu por todos
e que todos, portanto, morreram.
Cristo morreu por todos,
para que os vivos deixem de viver para si próprios,
mas vivam para Aquele que morreu e ressuscitou por eles.
Assim, daqui em diante,
já não conhecemos ninguém segundo a carne.
Ainda que tenhamos conhecido a Cristo segundo a carne,
agora já não O conhecemos assim.
Se alguém está em Cristo, é uma nova criatura.
As coisas antigas passaram: tudo foi renovado.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 62 (63), 2.3-4.5-6.8-9 (R. 2b)
Refrão: A minha alma tem sede de Vós, Senhor, meu Deus.

Senhor, sois o meu Deus: desde a aurora Vos procuro.
A minha alma tem sede de Vós.
Por Vós suspiro,
como terra árida, sequiosa, sem água.

Quero contemplar-Vos no santuário,
para ver o vosso poder e a vossa glória.
A vossa graça vale mais que a vida;
por isso os meus lábios hão-de cantar-Vos louvores.

Assim Vos bendirei toda a minha vida
e em vosso louvor levantarei as mãos.
Serei saciado com saborosos manjares
e com vozes de júbilo Vos louvarei.

Porque Vos tornastes o meu refúgio,
exulto à sombra das vossas asas.
Unido a Vós estou, Senhor,
a vossa mão me serve de amparo.


ALELUIA
Refrão: Aleluia.
Diz-nos, Maria: Que viste no caminho?
Vi o sepulcro de Cristo vivo e a glória do Ressuscitado. Refrão


EVANGELHO Jo 20, 1.11-18
«Mulher, porque choras? A quem procuras?»

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
No primeiro dia da semana,
Maria Madalena foi de manhãzinha, ainda escuro, ao sepulcro
e viu a pedra retirada do sepulcro.
E ficou a chorar junto do sepulcro.
Enquanto chorava, debruçou-se para dentro do sepulcro
e viu dois Anjos vestidos de branco,
sentados, um à cabeceira e outro aos pés,
onde estivera deitado o corpo de Jesus.
Os Anjos perguntaram a Maria:
«Mulher, porque choras?».
Ela respondeu-lhes:
«Porque levaram o meu Senhor
e não sei onde O puseram».
Dito isto, voltou-se para trás
e viu Jesus de pé, sem saber que era Ele.
Disse-lhe Jesus:
«Mulher, porque choras? A quem procuras?».
Pensando que era o jardineiro, ela respondeu-Lhe:
«Senhor, se foste tu que O levaste,
diz-me onde O puseste, para eu O ir buscar».
Disse-lhe Jesus: «Maria!».
Ela voltou-se e respondeu em hebraico:
«Rabuni!», que quer dizer: «Mestre!».
Jesus disse-lhe:
«Não Me detenhas, porque ainda não subi para o Pai.
Vai ter com os meus irmãos
e diz-lhes que vou subir para o meu Pai e vosso Pai,
para o meu Deus e vosso Deus».
Maria Madalena foi anunciar aos discípulos:
«Vi o Senhor».
E contou-lhes o que Ele lhe tinha dito.
Palavra da salvação.

Oração sobre as oblatas
Aceitai, Senhor, os dons que Vos apresentamos.
na comemoração de santa Maria Madalena,
cujo testemunho de amor foi aceite com tanta clemência
pelo vosso Filho unigénito.
Ele que vive e reina pelos séculos dos séculos.

Prefácio Apóstola dos apóstolos
V. O Senhor esteja convosco.
R. Ele está no meio de nós.
V. Corações ao alto.
R. O nosso coração está em Deus.
V. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus.
R. É nosso dever, é nossa salvação.

Senhor, Pai santo,
magnífico no vosso poder, admirável na vossa misericórdia,
é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação
louvar-Vos, sempre e em toda a parte,
por nosso Senhor Jesus Cristo.
No jardim Ele apareceu a Maria Madalena,
que O seguira com amor na sua vida terrena,
O tinha visto morrer na cruz,
O procurava no sepulcro,
e foi a primeira a adorá-l’O, ressuscitado dos mortos.
Diante dos apóstolos,
ela foi honrada com a missão do apostolado,
para que o alegre anúncio da vida nova
chegasse até aos confins da terra.
Por isso, com os anjos e todos os santos,
proclamamos a vossa glória,
dizendo (cantando) com alegria:
 Santo, Santo Santo.

Antífona da comunhão Cf. 2Cor 5, 14-15
Se amamos a Cristo, não vivamos para nós mesmos,
mas para Aquele que por nós morreu e ressuscitou.

Oração depois da comunhão
A participação nestes santos mistérios
acenda em nós, Senhor, o amor ardente de santa Maria Madalena
a Jesus Cristo, seu Mestre.
Ele que vive e reina pelos séculos dos séculos.

Pode utilizar-se a fórmula de bênção solene.

 

Liturgia das Horas

Das homilias de São Gregório Magno, papa, sobre os Evangelhos

(Hom. 25, 1-2, 4-5: PL 76, 1189-1193) (Sec. VI)

A minha alma tem sede do Deus vivo
Maria Madalena, quando chegou ao sepulcro e não encontrou lá o corpo do Senhor, julgou que alguém O tinha levado e foi avisar os discípulos. Estes vieram também ao sepulcro, viram e acreditaram no que essa mulher lhes dissera. Destes está escrito logo a seguir: E regressaram os discípulos para sua casa. E depois acrescenta-se: Maria, porém, estava cá fora, junto do sepulcro, a chorar.
Estes factos levam-nos a considerar a grandeza do amor que inflamava a alma desta mulher, que não se afastava do sepulcro do Senhor, mesmo depois de se terem afastado os discípulos. Procurava a quem não encontrava, chorava enquanto buscava e, abrasada no fogo do amor, sentia a ardente saudade d’Aquele que pensava ter-lhe sido roubado. Por isso, só ela O viu então, porque só ela ficou a procurá-l’O. Na verdade, a eficácia das boas obras está na perseverança, como afirma também a voz da Verdade: Quem perseverar até ao fim será salvo.
Começou a buscar e não encontrou; continuou a procurar e finalmente encontrou. Os desejos foram aumentando com a espera e fizeram que chegasse a encontrar. Porque os desejos santos crescem com a demora; mas os que esfriam com a dilação não são desejos autênticos. Todas as pessoas que chegaram à verdade, conseguiram-no porque lhe dedicaram um amor ardente. Por isso afirmou David: A minha alma tem sede do Deus vivo; quando irei contemplar a face de Deus? Por isso também diz a Igreja no Cântico dos Cânticos: Estou ferida pelo amor. E ainda: A minha alma desfalece.
Mulher, porque choras? Quem procuras? É interrogada sobre a causa da sua dor, para que aumente o seu desejo e, ao mencionar ela o nome de quem procurava, mais se inflame no amor que Lhe tem.
Disse-lhe Jesus: Maria! Depois de a ter tratado pelo nome comum de «mulher», sem que ela O tenha reconhecido, chamou-a pelo nome próprio. Foi como se lhe dissesse abertamente: «Reconhece Aquele que te conhece a ti. Não é de modo genérico que te conheço, mas pessoalmente». Por isso Maria, ao ser chamada pelo seu nome, reconhece quem lhe falou; e imediatamente lhe chama «Rabbúni», isto é, «Mestre». Era Ele a quem procurava externamente e era Ele quem a ensinava interiormente a procurá-l’O.