Martirológio Romano

Oct 10, 2020

1.   Comemoração de São Pinito, bispo de Cnossos, na ilha de Creta, que, no tempo dos imperadores Marco Aurélio Vero e Lúcio Cómodo, se distinguiu pelos seus escritos sobre a fé e sua intensa solicitude pelo progresso espiritual do rebanho que lhe foi confiado.

(† c. 180)

2.       Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, os santos Eulâmpio e sua irmã Eulâmpia, mártires, durante a perseguição do imperador Diocleciano.

(† s. IV)

3.       Em Colónia, na Germânia, na actual Alemanha, os santos Gereão e companheiros, mártires, que, para defender a verdadeira piedade, corajosamente ofereceram o seu pescoço à espada.

(† s. IV)

4.       Em Birten, também no território de Colónia, na actual Alemanha, os santos Vítor e Maloso, mártires.

(† c. s. IV)

5.   Em Bonn, hoje também na Alemanha, os santos Cássio e Florêncio, mártires.

(† c. s. IV)

6*.   Em Nantes, na Gália Lionense, actualmente na França, São Claro, venerado como primeiro bispo desta cidade.

(† s. IV)

7.   Em Populónia, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, São Cerbónio, bispo, que, segundo o testemunho do papa São Gregório Magno, quando os Lombardos invadiram esta região, se refugiou na ilha de Elba, onde deu muitas provas da sua grande virtude.

(† c. 575)

8.   Perto de Ramerude, no território de Troyes, na Nêustria, actualmente na França, Santa Tanca, virgem e mártir, que, segundo a tradição, para defender a sua virgindade teve morte gloriosa.

(† s. VI/VII)

9*.   Em Rochester, na Inglaterra, o passamento de São Paulino, bispo de York, que, sendo monge e discípulo do papa São Gregório Magno, foi por ele enviado com outros a pregar o Evangelho aos Anglos, onde converteu Eduino, rei da Notúmbria, e lavou nas águas da regeneração baptismal o seu povo.

(† 644)

10*.   No mosteiro de Jouarre, no território de Meaux, na Nêustria, na hodierna França, Santa Telquilde, abadessa, que, sendo nobre de nascimento, ilustre pelos seus méritos e austera em seus costumes, ensinou as virgens consagradas a ir ao encontro de Cristo com as lâmpadas acesas.

(† c. 670)

11.   Em Ceuta, na Mauritânia Tingitana, a paixão dos sete mártires da Ordem dos Menores – Daniel, Samuel, Ângelo, Leão, Nicolau e Hugolino, presbíteros, e Dono – que, enviados pelo irmão Elias a pregar o Evangelho aos Mouros, depois de sofrerem insultos, cadeias e flagelações, finalmente foram degolados e receberam a palma do martírio.

(† 1227)

12.     Em Bridlington, na Inglaterra, São João, presbítero, prior do mosteiro dos cónegos regrantes de Santo Agostinho, célebre pela sua oração, austeridade e mansidão.

(† 1379)

13.    Em Khartum, cidade do Sudão, São Daniel Combóni, bispo, que fundou o Instituto das Missões para a Negritude, hoje com o nome de Missionários Combonianos do Coração de Jesus, e, eleito bispo na África, dedicou todas as suas energias para anunciar o Evangelho por aquelas regiões e promoveu de muitos modos a dignidade humana.

(† 1881)

14*.   Em Cracóvia, na Polónia, a Beata Ângela Maria (Sofia Camila Truszkowska), virgem, que fundou a Congregação Franciscana de São Félix Cantalício, para ajudar as crianças abandonadas, os pobres e os marginados.

(† 1899)

15♦.   Em Chamberi, bairro de Madrid, na Espanha, a Beata Maria Catarina Irigoyen Echegaray, religiosa do Instituto das Servas de Maria, Ministra dos Enfermos.

(† 1911)

16♦.   Em Garraf, perto de Barcelona, também na Espanha, o Beato Pedro Tomás de Nossa Senhora do Pilar (Pedro de Alcântara Fortón y de Cascajares), religioso da Ordem dos Carmelitas Descalços e mártir, assassinado em ódio à fé.

(† 1936)

17*.   Em Dzialdowo, povoação da Polónia, o Beato Leão Wetmanski, bispo auxiliar de Plock, que, durante a ímpia perseguição na Polónia contra Deus e os homens, com a sua heróica morte num campo de concentração consumou o seu martírio.

(† 1941)

18*.   Em Linz, na Áustria, o Beato Eduardo Detkens, mártir, natural da Polónia, que morreu numa câmara de gás durante a mesma perseguição.

(† 1942)