Liturgia diária

Agenda litúrgica

2024-07-27

SÁBADO da semana XVI

Santa Maria no Sábado – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha.

L 1 Jr 7, 1-11; Sl 83 (84), 3. 4. 5-6a e 8a. 11
Ev Mt 13, 24-30

* Na Diocese do Porto (Porto) – S. Pantaleão, mártir – MF
* Na Ordem Carmelita e na Ordem dos Carmelitas Descalços – S. Tito Brandsma, presbítero e mártir – MO e MF
* Na Ordem Franciscana – B. Maria Madalena Martinengo, virgem, da II Ordem – MF
* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – B. Maria Madalena Martinengo, virgem, da II Ordem – MF
* Na Instituição Teresiana – I Vésp. de S. Pedro Poveda Castroverde.
* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

Antífona de entrada Sl 53, 6.8
Deus vem em meu auxílio, o Senhor sustenta a minha vida.
De todo o coração Vos oferecerei sacrifícios,
cantando a glória do vosso nome.

Oração coleta
Sede propício, Senhor, aos vossos servos
e multiplicai neles os dons da vossa graça,
para que, fervorosos na fé, esperança e caridade,
perseverem na fiel observância dos vossos mandamentos.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


LEITURA I (anos pares) Jer 7, 1-11
«Será porventura um covil de ladrões
esta casa onde é invocado o meu nome?»

Esta palavra, que será repetida por Jesus no templo, disse-a já o profeta aos seus contemporâneos para os chamar à prática de uma religião sincera e interior e os afastar da hipocrisia. Não pode haver descontinuidade entre a oração e a vida dos outros momentos. Não é só no templo que se é praticante da fé cristã.

Leitura do Livro de Jeremias
Palavra que o Senhor dirigiu ao profeta Jeremias: «Vai à entrada do templo do Senhor e proclama ali a seguinte mensagem: Escutai a palavra do Senhor, vós todos, homens de Judá, que entrais por estas portas para adorar o Senhor. Assim fala o Senhor do Universo, o Deus de Israel: Emendai os vossos caminhos e as vossas ações e Eu vos deixarei habitar neste lugar. Não vos fieis em palavras enganadoras, dizendo: ‘É o templo do Senhor, o templo do Senhor, o templo do Senhor!’. Mas se endireitardes os vossos caminhos e corrigirdes as vossas obras, se praticardes a justiça uns para com os outros, se não oprimirdes o estrangeiro, o órfão e a viúva, se não derramardes neste lugar sangue inocente, se não seguirdes outros deuses para vossa desgraça, então vos deixarei habitar neste lugar, na terra que dei a vossos pais desde há muito e para sempre. Mas vós fiais-vos em palavras enganadoras que para nada servem. Assim podeis roubar, matar, cometer adultério, jurar falso, queimar incenso a Baal, seguir deuses estrangeiros que não conheceis. Depois vindes aqui apresentar-vos diante de Mim, nesta casa em que é invocado o meu nome, e dizeis: ‘Estamos salvos’, para voltar a cometer todas essas abominações. Será porventura um covil de salteadores esta casa onde é invocado o meu nome? Eu também vi tudo isto».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 83 (84), 3.4.5-6a e 8a.11 (R. 2)
Refrão: Como é agradável a vossa morada,
Senhor do Universo! Repete-se

A minha alma suspira ansiosamente
pelos átrios do Senhor.
O meu ser e a minha carne
exultam no Deus vivo. Refrão

Até as aves do céu encontram abrigo
e as andorinhas um ninho para os seus filhos,
junto dos vossos altares, Senhor dos Exércitos,
meu Rei e meu Deus. Refrão

Felizes os que moram em vossa casa:
podem louvar-Vos continuamente.
Felizes os que em Vós encontram a sua força,
os que caminham para ver a Deus em Sião. Refrão

Um dia em vossos átrios
vale por mais de mil longe de Vós.
Antes quero ficar no vestíbulo da casa do meu Deus,
do que habitar nas tendas dos pecadores. Refrão


ALELUIA Tg 1, 21bc
Refrão: Aleluia Repete-se

Acolhei docilmente a palavra em vós plantada,
que pode salvar as vossas almas. Refrão


EVANGELHO Mt 13, 24-30
«Deixai-os crescer ambos até à ceifa»

A parábola do trigo e do joio vem mostrar-nos que o bem e o mal andarão sempre de mistura, durante os dias desta vida; mas também que Deus nunca abandona este mundo, antes o tem em suas mãos, e, por fim, Ele próprio saberá salvar o bem do meio de todo o mal que, porventura, o envolva. Este julgamento começa agora já, na medida em que a palavra de Deus vai apontando a cada um o caminho da salvação e afastando-o do caminho da perdição.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus disse às multidões mais esta parábola: «O reino dos Céus pode comparar-se a um homem que semeou boa semente no seu campo. Enquanto todos dormiam, veio o inimigo, semeou joio no meio do trigo e foi-se embora. Quando o trigo cresceu e começou a espigar, apareceu também o joio. Os servos do dono da casa foram dizer-lhe: ‘Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde vem então o joio?’. Ele respondeu-lhes: ‘Foi um inimigo que fez isso’. Disseram-lhe os servos: ‘Queres que vamos arrancar o joio?’. ‘Não! — disse ele — não suceda que, ao arrancardes o joio, arranqueis também o trigo. Deixai-os crescer ambos até à ceifa e, na altura da ceifa, direi aos ceifeiros: Apanhai primeiro o joio e atai-o em molhos para queimar; e ao trigo, recolhei-o no meu celeiro’».
Palavra da salvação.


Oração sobre as oblatas
Senhor nosso Deus,
que levastes à plenitude os sacrifícios da Antiga Lei
no único sacrifício de Cristo,
aceitai e santificai esta oblação dos vossos fiéis,
como outrora abençoastes a oblação de Abel;
e fazei que os dons oferecidos em vossa honra por cada um de nós
sirvam para a salvação de todos.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Sl 110, 4-5
O Senhor misericordioso e compassivo
instituiu o memorial das suas maravilhas,
deu sustento àqueles que O temem.

Ou: Cf. Ap 3, 20
Eu estou à porta e chamo, diz o Senhor.
Se alguém ouvir a minha voz e Me abrir a porta,
entrarei em sua casa, cearei com ele e ele comigo.

Oração depois da comunhão
Protegei, Senhor, o vosso povo,
que saciastes nestes divinos mistérios,
e fazei-nos passar da antiga condição do pecado
à vida nova da graça.
Por Cristo nosso Senhor.

 

Martirológio

1.   Comemoração dos santos Sete Dormentes de Éfeso, que, segundo a tradição, consumado o martírio, descansam em paz, esperando o dia da ressurreição.

2.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, São Pantaleão ou Pantalaimão, mártir, venerado no Oriente por ter exercitado a profissão de medicina sem receber recompensa alguma pelo seu trabalho.

3.   Em Lons-le-Saulnier, nos montes do Jura, na Gália, actualmente na França, São Desiderato, que é considerado como bispo de Besançon.

4.   Em Roma, no cemitério de Priscila, junto à Via Salária, São Celestino I, papa, que, para defender a fé da Igreja e expandir as suas fronteiras, constituiu o episcopado na Inglaterra e na Irlanda e apoiou o Concílio de Éfeso, no qual, em oposição a Nestório, foi saudada a Bem-aventurada Virgem Maria como Mãe de Deus.

5.   Próximo de Antioquia, na Síria, hoje na Turquia, São Simeão, monge, que viveu muitos anos sobre uma coluna, pelo qual foi denominado o Estilita, homem admirável pela sua vida e pela sua palavra.

6*.   Em Loches, junto ao rio Indre, no território de Tours, na Gália, actualmente na França, Santo Urso, abade, pai de muitos cenóbios, célebre pela sua abstinência e outras virtudes.

7*.   Em Ravena, na Flamínia, hoje na Emília-Romanha, região da Itália, Santo Eclésio, bispo, que foi companheiro do papa São João I na oposição às atrocidades do rei Teodorico e, depois de as superar sozinho, deu à sua Igreja novo esplendor.

8*.   Na região de Béarn, situada nos Pireneus, na Gasconha da Gália, hoje na França, São Galactório, que é venerado como bispo de Lescar e mártir.

9.   Em Mantineia, próximo de Eskihisar, em Honoríades, território da Anatólia, hoje na Turquia, Santa Antusa, virgem, que, sendo monja, sofreu a flagelação e o exílio no tempo do imperador Constantino Coprónimo por causa do culto das sagradas imagens e, finalmente, pôde regressar à sua pátria, onde morreu em paz.

10.     Em Córdova, na Andaluzia, região da Espanha, os santos mártires Jorge, diácono e monge sírio, Aurélio e Sabigoto, esposos, Félix e Liliosa, também esposos, que, durante a perseguição dos Mouros, animados pelo desejo de dar testemunho da fé em Cristo, não cessaram de louvar Jesus Cristo até ao momento de serem decapitados.

11*.   Em Ocrida, no Ilírico, na actual Macedónia, São Clemente, bispo de Velica, ilustre pela sua cultura e conhecimento das ciências sagradas, que levou a luz da fé ao povo búlgaro. Com ele se comemoram os santos bispos Gorazdo, Nahum, Sabas e Angelário, que continuaram na Bulgária a obra dos santos Cirilo e Metódio.

12*.   No cenóbio de Garsten, na Estíria, na hodierna Áustria, o Beato Bertoldo, abade, ao qual tinham fácil acesso os penitentes em busca de conselho e todos os que procuravam auxílio.

13*.   Em Piacenza, na Emília-Romanha, região da Itália, o Beato Raimundo Palmério, pai de família, que, depois de morrerem a esposa e os filhos, fundou um hospício para acolher os pobres.

14*.   Em Faenza, também na Emília-Romanha, o Beato Nevolone, célebre pelas suas peregrinações religiosas, austeridade de vida e observância eremítica.

15*.   Em Amélia, na Úmbria, também região da Itália, a Beata Lúcia Bufalári, virgem, irmã de São João de Riéti, das Oblatas da Ordem de Santo Agostinho, ilustre pela sua penitência e zelo das almas.

16*.   Em Stafford, na Inglaterra, o Beato Roberto Sutton, presbítero e mártir, que, no reinado de Isabel I, foi enforcado por causa do sacerdócio.

17*.   Em Beaumaris, no País de Gales, o Beato Guilherme Davies, presbítero e mártir, que, na mesma perseguição, por causa do sacerdócio, depois de orar pelos presentes, sofreu o mesmo suplício.

18*.   Em Bréscia, na Lombardia, região da Itália, a Beata Maria Madalena Martinengo, abadessa da Ordem das Clarissas Capuchinhas, insigne pela sua abstinência.

19♦.   Em San Giórgio a Cremano, cidade da província de Nápoles, na Itália, a Beata Maria da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo (Maria da Graça Tarallo), religiosa da Congregação das Religiosas Crucificadas Adoradoras da Eucaristia.

20*.   Em Olleria, povoação da província de Valência, na Espanha, o Beato Joaquim Vilanova Camallonga, presbítero e mártir, que, em tempo de perseguição contra a fé, alcançou a glória celeste.

21*.   Em Llisà, localidade próxima de Barcelona, também na Espanha, o Beato Modesto Vegas Vegas, presbítero da Ordem dos Frades Menores Conventuais e mártir, que, durante a mesma perseguição contra a fé, derramou o seu sangue por Cristo.

22*.   Em Barcelona, também na Espanha, os beatos Filipe Hernández Martínez, Zacarias Abadia Buesa e Jaime Ortiz Alzueta, religiosos da Sociedade Salesiana e mártires, que na mesma perseguição sofreram o martírio.

23♦.   Em Guadalajara, também na Espanha, o Beato André Jiménez Galera, presbítero da Sociedade Salesiana e mártir, que consumou gloriosamente o combate da fé durante a mesma perseguição religiosa.

24♦.   Em Las “emes” de Belinchón, perto de Cuenca, também na Espanha, os beatos mártires Antolin Astorga Díaz, Henrique Bernardino Francisco Serra Chorro, José Aurélio Calleja del Hierro e José Gutiérrez Arranz, presbíteros da Ordem de Santo Agostinho; e Vicente Toledano Valenciano, presbítero da diocese de Cuenca, que passaram à glória celeste depois de terem dado um inquebrantável testemunho de fé em Cristo.

25♦.   Em Munera, na província de Albacete, também na Espanha, o Beato Bartolomeu Rodríguez Sória, presbítero da diocese de Albacete e mártir, que na mesma perseguição religiosa terminou vitoriosamente o combate da fé.

26♦.   Em Toledo, também na Espanha, o Beato Joaquim de la Madrid Arespacochaga, presbítero da diocese de Toledo e mártir, que deu o supremo testemunho de Cristo durante a mesma perseguição contra a fé cristã.

27♦.   Em Balsareñy, cidade da Catalunha, também na Espanha, os beatos Francisco Magino (António Tost Llaveria) e Raimundo Elói (Narciso Serra Rovina), religiosos da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártires, que, pelo combate do martírio, alcançaram a imperecível coroa de glória.

28♦.   Em San Frutuoso de Bages, localidade da Catalunha, também na Espanha, o Beato Honesto Maria (Francisco Pujol Espinalt), religioso da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártir, que, na mesma perseguição, foi assassinado por causa da sua fé.

29♦.   Em Vallvidrera, na Catalunha, também na Espanha, as beatas Raimunda Fossas Romans, Adelfa Soro Bó, Teresa Prats Marti, Otília Alonso González e Raimunda Perramón Vila, virgens da Congregação das Irmãs Dominicanas da Anunciata e mártires, que, de lâmpadas acesas, foram dignas de entrar na ceia eterna de Cristo Esposo.

30*.   Em Auschwitz, próximo de Cracóvia, na Polónia, a Beata Maria Clemente de Jesus Crucificado (Helena Staszewska), virgem da Ordem de Santa Úrsula e mártir, que, durante o furor da guerra, foi encarcerada no desumano campo de extermínio, onde morreu vítima dos tormentos suportados pela fé cristã.