Liturgia diária

Agenda litúrgica

2022-09-20

Terça-feira da semana XXV

SS. André Kim Taegon, presbítero,
Paulo Chang Hasang, e Companheiros, mártires – MO
Vermelho – Ofício da memória.
Missa da memória.

L1: Prov 21, 1-6. 10-13; Sal 118 (119), 1 e 27. 30 e 34. 35 e 44
Ev: Lc 8, 19-21

* Na Diocese do Porto – Aniversário da Ordenação episcopal de D. Manuel da Silva Rodrigues Linda (2009).

 

Missa

 

Antífona de entrada
Eu sou a salvação do meu povo, diz o Senhor.
Quando chamar por Mim nas suas tribulações,
Eu o atenderei e serei o seu Deus para sempre.

Oração coleta
Senhor nosso Deus,
que fizestes consistir a plenitude da lei
no vosso amor e no amor do próximo,
dai-nos a graça de cumprirmos este duplo mandamento,
para alcançarmos a vida eterna.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


LEITURA I (anos pares) Prov 21, 1-6.10-13
Sentenças diversas

Durante duas semanas, lemos os livros da sabedoria, um dos quais é o dos Provérbios. Além dos Profetas, que alertavam o povo para a fidelidade à Aliança, há um outro grupo de homens no meio do povo de Deus que procura ensinar-lhe a arte de viver segundo os caminhos de Deus, Os seus ensinamentos são, quase sempre, brados da observação da natureza ou da experiência da vida e da história. Hoje à maneira de pequenas máximas ou provérbios a palavra de Deus vem até nós como norma de sabedoria. Em todas estas sentenças ressoa a voz de alguém que muito meditou e que procurou tirar dessa meditação normas de vida.

Leitura do Livro dos Provérbios
O coração do rei está nas mãos do Senhor, como curso de água que Ele dirige para onde quer. Aos olhos do homem todos os caminhos parecem rectos, mas o Senhor é que pesa os corações. Praticar a justiça e o direito vale mais do que o sacrifício aos olhos do Senhor. Olhar altivo, coração soberbo: assim é a lâmpada dos ímpios, que é o pecado. Os projectos do homem activo trazem lucro, mas os planos do impaciente trazem miséria. Acumular tesouros com língua mentirosa é sopro que passa, é laço de morte. A alma do ímpio deseja o mal; nem para o amigo tem olhar benévolo. O homem simples adquire a sabedoria, quando vê o castigo do insolente, e adquire a ciência, quando ouve a instrução do sábio. Se o insolente for castigado, o ingénuo torna-se prudente; se ao homem prudente se der instrução, ele acolhe a ciência. O Deus justo observa a casa do ímpio e precipita na desgraça os homens perversos. Quem fecha os ouvidos ao clamor do pobre também clamará, mas sem que lhe respondam.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 118 (119), 1 e 27.30 e 34.35 e 44 (R. 35a)
Refrão: Conduzi-me, Senhor,
pelo caminho dos vossos mandamentos. Repete-se

Felizes os que seguem o caminho perfeito
e andam na lei do Senhor.
Fazei-me compreender o caminho
dos vossos preceitos,
para meditar nas vossas maravilhas. Refrão

Escolhi o caminho da verdade
e decidi-me pelos vossos juízos.
Dai-me entendimento para guardar a vossa lei
e para a cumprir de todo o coração. Refrão

Conduzi-me pela senda dos vossos mandamentos,
porque nela estão as minhas delícias.
Quero cumprir fielmente a vossa lei,
agora e para sempre. Refrão


ALELUIA Lc 11, 28
Refrão: Aleluia. Repete-se
Felizes os que ouvem a palavra de Deus
e a põem em prática. Refrão


EVANGELHO Lc 8, 19-21
«Minha mãe e meus irmãos
são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática»

Não são os laços do sangue os que mais contam, vistas as coisas com olhos espirituais. Por isso, a este propósito, escreve S. Ambrósio: «Os laços das almas são mais sagrados que os dos corpos”. E a respeito de Nossa Senhora diz S. Leão que Ela concebeu o Filho no seu espírito antes de O conceber em seu ventre. É a Palavra de Deus que está sempre na origem da relação entre o homem e Deus.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, vieram ter com Jesus sua Mãe e seus irmãos, mas não podiam chegar junto d’Ele por causa da multidão. Então disseram-Lhe: «Tua Mãe e teus irmãos estão lá fora e querem ver-Te». Mas Jesus respondeu-lhes: «Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática».
Palavra da salvação.


Oração sobre as oblatas
Aceitai benignamente, Senhor, os dons da vossa Igreja,
para que receba nestes santos mistérios
os bens em que pela fé acredita.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Sl 118, 4-5
Promulgastes, Senhor, os vossos preceitos para se cumprirem fielmente.
Fazei que os meus passos sejam firmes
na observância dos vossos mandamentos.

Ou: Cf. Jo 10, 14
Eu sou o Bom Pastor, diz o Senhor;
conheço as minhas ovelhas e as minhas ovelhas conhecem-Me.

Oração depois da comunhão
Sustentai, Senhor, com o auxílio da vossa graça,
aqueles que alimentais nos sagrados mistérios,
para que os frutos de salvação,
que recebemos neste sacramento,
se manifestem em toda a nossa vida.
Por Cristo nosso Senhor.

 

Santo

Santos André Kim Tae-gôn, presbítero, Paulo Chông Ha-sang e companheiros, mártires

 

 

Martirológio

Memória dos santos André Kim Tae-gon, presbítero, Paulo Chong Ha-sang e companheiros[1], mártires na Coreia. Neste dia veneram-se na mesma celebração todos os cento e três mártires que na Coreia deram testemunho da fé cristã, neste reino introduzida primeiro por iniciativa de alguns leigos fervorosos e depois alimentada e fortalecida pela pregação dos missionários e a celebração dos sacramentos. Todos estes atletas de Cristo – entre os quais três bispos, oito presbíteros e todos os outros leigos: homens e mulheres, casados ou não, anciãos, jovens e crianças – suportando o suplício, consagraram com o seu precioso sangue os primórdios da Igreja na Coreia.

 


[1]  São estes os seus nomes: Simeão Berneux, António Daveluy, Lourenço Imbert, bispos; Justo Ranfer de Bretenières, Luís Beaulieu, Pedro Henrique Dorie, Pedro Maubant, Tiago Chastan, Pedro Aumaître, Martinho Lucas Huin, presbíteros; João Yi Yun-il, André Chong Hwa-gyong, Estêvão Min Kuk-ka, Paulo Ho Hyob, Agostinho Pak Chonwon, Pedro Hong Pyong-ju, Paulo Hong Yong-ju, José Chang Chu-gi, Tomé Son Chason, Lucas Huwang Sok-tu, Damião Nam Myong-hyog, Francisco Ch’oe Kyong-hwan, Carlos Hyon Song-mun, Lourenço Han I-hyong, Pedro Nam Kyong-mun, Agostinho Yu Chin-gil, Pedro Yi Ho-yong, Pedro Son Son-ji, Benedita Hyong Kyong-nyon, Pedro Ch’oe Ch’ang-hub, catequistas; Águeda Yi, Maria Yi In-dog, Bárbara Yi, Maria Won Kwi-im, Teresa Kim Im-i, Columba Kim Hyo-im, Madalena Cho, Isabel Chong Chong Hye, virgens; Teresa Kim, Bárbara Kim, Susana U Sur-im, Águeda Yi Kan-nan, Madalena Pak Pong-son, Perpétua Hong Kum-ju, Catarina Yi, Cecília Yu So-sa, Bárbara Cho Chung-i, Madalena Han Yong-i, viúvas; Madalena Son So-byog, ÁguedaYi Kiong-i, Águeda Kwon Chin-i, João Yi Mun-u, Bárbara Ch’oe Yong-i, Pedro Yu Chong-nyul, João Baptista Nam Chongsam, João Baptista Chon Chang-un, Pedro Ch’oe Hyong, Marcos Chong Ui-bae, Aleixo U Se-yong, António Kim Song-u, Protásio Chong Kuk-bo, Agostinho Yi Kwang-hon, Águeda Kim A-gi, Madalena Kim O-bi, Bárbara Han A-gi, Ana Pak A-gi, Águeda Yi So-sa, Luzia Pak Hui-sun, Pedro Kwon Tu-gin, José Chang Song-jib, Madalena Yi Yong-hui, Teresa Yi Mae-im, Marta Kim Song-im, Luzia Kim, Rosa Kim, Ana Kim Chang-gum, João Baptista Yi Kwang-nyol, João Pak Hu-jae, Maria Pak Kun-a-gi Hui-sun, Bárbara Kwon-hui, Bárbara Yi Chong-hui, Maria Yi Yon-hui, Inês Kim Hyo-ju, Catarina Chong Ch’or-yom, José Im Ch’i-baeg, Sebastião Nam I-gwan, Inácio Kim Che-jun, Carlos Cho Shin-ch’ol, Julieta Kim, Águeda Chon Kyong-hyob, Madalena Ho Kye-im, Luzia Kim, Pedro Yu Taech’ol, Pedro Cho Hwa-so, Pedro Yi Myong-so, Bartolomeu Chong Mun-ho, José Pedro Han Chae-kwon, Pedro Chong Wom-ji, José Cho Yun-ho, Bárbara Ko Sun-i, Madalena Yi Yong-dog.

 

2.   Em Sínada, na Frígia, hoje Cifitkasaba, na Turquia, São Dorimedonte, mártir.

3.   Em Roma, a comemoração de Santo Eustáquio, mártir, cujo nome é celebrado numa antiga diaconia da cidade.

4.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, os santos mártires Hipácio, e Asiano, bispos, e André, presbítero, que, no tempo do imperador Leão o Isáurico, pela defesa das sagradas imagens, depois de cruéis e graves tormentos, foram lançados como alimento aos cães.

5*.   Perto da cidade de Arco, no Trentino, região da Itália, o Beato Adelpreto, bispo, estrénuo defensor dos pobres e crianças e da liberdade da Igreja, que, surpreendido pelas ciladas dos inimigos, foi cruelmente espancado até à morte.

6*.   Em Londres, na Inglaterra, o Beato Tomás Johnson, presbítero da Cartuxa desta cidade e mártir, que, no reinado de Henrique VIII, encarcerado na prisão de Newport     por causa da sua fidelidade à Igreja, foi o nono dos seus confrades que ali morreu de fome e enfermidade.

7*.   Em Córdova, na Espanha, o Beato Francisco de Posadas, presbítero da Ordem dos Pregadores, insigne pela sua penitência, humildade e caridade, que durante quarenta anos anunciou a Cristo nesta região.

8.   Na fortaleza de Son-Tay, no Tonquim, agora no Vietnam, São João Carlos Cornay, presbítero da Sociedade das Missões Estrangeiras de Paris e mártir, que, por decreto do imperador Minh Mang, depois de sofrer cruéis suplícios foi esquartejado e finalmente degolado por causa da fé cristã.

9.   Em Seul, na Coreia, os santos Lourenço Han I-hyong, catequista, e seis companheiros[2], mártires, que morreram por Cristo, enforcados em diversos cárceres. A sua memória celebra-se hoje, juntamente com a dos outros mártires desta região.

 


[2]  São estes os seus nomes: Pedro Nam Kyong-mun, catequista; Teresa Kim Im-i, virgem; Susana U Sur-im e Águeda Yi Kan-nan, viúvas; Catarina Chong Ch’or-yom e José Im Ch’i-nbeg, baptizado no cárcere.

 

10.   Em Puebla, no México, São José Maria de Yermo y Parres, presbítero, que fundou a Congregação das Servas do Coração de Jesus e dos Pobres, para socorrer os indigentes nas necessidades da alma e do corpo.

11♦.   Em Pozoblanco, perto de Córdova, também na Espanha, a Beata Teresa Cejudo Redondo, mãe de família, cooperadora salesiana e mártir, que, na violenta perseguição contra a Igreja, foi assassinada em ódio à vida religiosa. 

12♦.   Em Sittard, na Holanda, a Beata María Teresa de São José (Anna Maria Tauscher van den Bosch), virgem, fundadora da Congregação das Irmãs Carmelitas do Divino Coração de Jesus.