Liturgia diária

Agenda litúrgica

2022-02-26

Sábado da semana VII

Santa Maria no Sábado – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 19, n. 18).

L1: Tg 5, 13-20; Sal 140 (141), 1-2. 3 e 8
Ev: Mc 10, 13-16

* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

Antífona de entrada Cf. Sl 12, 6
Eu confio, Senhor, na vossa bondade.
O meu coração alegra-se com a vossa salvação.
Cantarei ao Senhor por tudo o que Ele fez por mim.

Oração coleta
Concedei-nos, Deus todo-poderoso,
que, meditando continuamente nas realidades espirituais,
pratiquemos sempre, em palavras e obras,
o que Vos agrada.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.



LEITURA I Tg 5, 13-20
«A oração perseverante do justo tem muito poder»

A oração nasce, habitualmente, das circunstâncias em que o homem se encontra. Uma das circunstâncias que mais pode levar o homem a erguer-se para Deus em oração é a doença. A libertação da doença será normalmente sinal de libertação do pecado, o mal maior. O sacramento da “Unção dos Doentes” é sinal de perdão e simultaneamente de renovação da vida, porque é sinal do mistério pascal de Jesus Cristo, que tudo renova.

Leitura da Epístola de São Tiago
Caríssimos: Sofre alguém no meio de vós? Reze. Sente-se alguém alegre? Cante. Está doente alguém entre vós? Mande chamar os presbíteros da Igreja para que orem por ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração feita com fé salvará o enfermo e o Senhor o restabelecerá; e se tiver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai uns aos outros os vossos pecados e orai uns pelos outros, para que sejais curados. A oração persistente do justo tem muito poder. Elias era um homem semelhante a nós: orou com insistência para que não chovesse e não choveu sobre a terra durante três anos e três meses. Orou novamente e o céu fez cair a chuva e a terra deu o seu fruto. Meus irmãos, se algum de vós se afastar da verdade e outro o converter, sabei que aquele que reconduz um pecador do erro à verdade salvará a sua alma da morte e obterá o perdão de muitos pecados.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 140 (141), 1-2.3 e 8 (R. cf. 2a)
Refrão: Suba até Vós, Senhor, a minha oração,
como fumo de incenso. Repete-se

Senhor, a Vós clamo, socorrei-me sem demora,
escutai a minha voz quando Vos invoco.
Suba até Vós a minha oração como incenso,
elevem-se as minhas mãos como oblação da tarde. Refrão

Guardai, Senhor, a minha boca,
defendei a porta dos meus lábios.
Para Vós, Senhor, se voltam os meus olhos:
em Vós me refugio, não me desampareis. me refugio, não me desampareis. Refrão

ALELUIA cf. Mt 11, 25
Refrão: Aleluia Repete-se
Bendito sejais, ó Pai, Senhor do céu e da terra,
porque revelastes aos pequeninos
os mistérios do reino. Refrão

EVANGELHO Mc 10, 13-16
«Quem não acolher o reino de Deus como uma criança não entrará nele»

A criança é aqui o símbolo daqueles que acolhem a Boa Nova do reino de Deus sem lhe oporem obstáculos, mas em atitude de obediência e de docilidade. Acolher a Boa Nova é já entrar no reino de Deus. Foi este espírito de infância espiritual, disponível, acolhedor, amigo de escutar para aprender a caminhar, que sempre animou os homens grandes.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, apresentaram a Jesus umas crianças para que Ele lhes tocasse, mas os discípulos afastavam-nas. Jesus, ao ver isto, indignou-Se e disse-lhes: «Deixai vir a Mim as criancinhas, não as estorveis: dos que são como elas é o reino de Deus. Em verdade vos digo: Quem não acolher o reino de Deus como uma criança, não entrará nele». E, abraçando-as, começou a abençoá-las, impondo as mãos sobre elas.
Palavra da salvação.


Oração sobre as oblatas
Concedei, Senhor,
que celebremos dignamente estes divinos mistérios,
de modo que os dons oferecidos para vossa glória
sejam para nós fonte de salvação eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Sl 9, 2-3
Cantarei todas as vossas maravilhas.
Quero alegrar-me e exultar em Vós.
Cantarei ao vosso nome, ó Altíssimo.

Ou: Cf. Jo 11, 27
Senhor, eu creio que sois Cristo, Filho de Deus vivo,
o Salvador do mundo.

Oração depois da comunhão
Nós Vos pedimos, Deus todo-poderoso,
que este sacramento de salvação
seja para nós penhor seguro de vida eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

 

Martirológio

1.   Comemoração de Santo Alexandre, bispo, um glorioso ancião inflamado de zelo pela fé, que, designado bispo de Alexandria depois de São Pedro, excluiu da comunhão da Igreja o seu presbítero Ario, pervertido pela ímpia heresia e afastado da verdade divina e, mais tarde, com mais trezentos e dezoito Padres, o condenou no Primeiro Concílio de Niceia.

2.   Em Bolonha, na Emília-Romanha, região da Itália, São Faustiniano, bispo, que, pela palavra da pregação, fortaleceu e fez crescer esta Igreja atormentada pela perseguição.

3.   Em Gaza, na Palestina, São Porfírio, bispo, natural de Tessalónica, que viveu como anacoreta cinco anos no deserto de Cete e outros cinco na Transjordânia, com grandes manifestações de bondade para com os pobres. Depois, ordenado bispo de Gaza, abateu muitos templos dedicados aos ídolos, cujos sequazes o tinham feito sofrer duras adversidades, até que finalmente descansou na paz dos Santos.

4*.   Em Nevers, cidade da Nêustria, actualmente na França, Santo Agrícola, bispo.

5.   Em Arcis-sur-Aube, na região de Champagne, hoje também na França, São Vítor, eremita, que é louvado nos escritos de São Bernardo.

6.   Em Florença, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, Santo André, bispo.

7*.   Em Londres, cidade da Inglaterra, o Beato Roberto Drury, presbítero e mártir, que, acusado falsamente de conspiração contra o rei Jaime I, na praça de Tyburn, revestido com o hábito eclesiástico para mostrar a sua dignidade sacerdotal, sofreu por Cristo o suplício do patíbulo.

8*.   Em Olesa de Montserrat, povoação da província de Barcelona, na Espanha, Santa Paula de São José Calasanz (Paula Montal Fornés), virgem, que fundou o Instituto das Filhas de Maria das Escolas Pias.

9*.   Em Alcantarilla, perto de Múrcia, na Espanha, a Beata Piedade da Cruz (Tomasina Ortiz Real), virgem, que por amor de Deus se consagrou diligentemente à formação e catequese dos pobres e fundou a Congregação das Irmãs Salesianas do Sagrado Coração de Jesus.