Liturgia diária

Agenda litúrgica

2022-10-31

Segunda-feira da semana XXXI

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 19, n. 18).

L1: Filip 2, 1-4; Sal 130 (131), 1. 2ab e 3
Ev: Lc 14, 12-14

* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – S. Ângelo de Acri, presbítero, da I Ordem – MO
* Na Companhia de Jesus – S. Afonso Rodrigues, religioso – MO
* I Vésp. de Todos os Santos – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

Antífona de entrada Cf. Sl 37, 22-23
Não me abandoneis, Senhor; meu Deus, não Vos afasteis de mim.
Senhor, socorrei-me e salvai-me.

Oração coleta
Deus omnipotente e misericordioso,
de quem procede a graça de Vos servirmos fiel e dignamente,
fazei-nos caminhar, sem obstáculos,
para os bens por Vós prometidos.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


LEITURA I (anos pares) Filip 2, 1-4
«Completai a minha alegria,
tendo entre vós os mesmos sentimentos»

Há no princípio desta leitura uma alusão rápidas às três Pessoas divinas: Cristo, a caridade ou o amor (o Pai) e o Espírito Santo. Os três são Um só. É a imitação desta unidade divina que os cristãos hão-de procurar reproduzir na sua vida, “numa só alma e num só coração”, onde não haverá nenhum lugar para a rivalidade e a vanglória.

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Filipenses
Irmãos: Se há em Cristo alguma consolação, algum conforto na caridade, se existe alguma comunhão no Espírito, alguns sentimentos de ternura e misericórdia, então completai a minha alegria, tendo entre vós os mesmos sentimentos e a mesma caridade, numa só alma e num só coração. Não façais nada por rivalidade nem por vanglória; mas, com humildade, considerai os outros superiores a vós mesmos, sem olhar cada um aos seus próprios interesses, mas aos interesses dos outros.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 130 (131), 1.2ab e 3
Refrão: Guardai-me junto de Vós, na vossa paz, Senhor. Repete-se
Ou: Guardai-me na vossa paz, Senhor. Repete-se

Senhor, não se eleva soberbo o meu coração,
nem se levantam altivos os meus olhos.
Não ambiciono riquezas,
nem coisas superiores a mim. Refrão

Antes fico sossegado e tranquilo,
como criança ao colo da mãe.
Espera, Israel, no Senhor,
agora e para sempre. Refrão


ALELUIA Jo 8, 31b-32
Refrão: Aleluia. Repete-se
Se permanecerdes na minha palavra,
sereis verdadeiramente meus discípulos
e conhecereis a verdade, diz o Senhor. Refrão


EVANGELHO Lc 14, 12-14
«Não convides os teus amigos, mas os pobres e os doentes»

A comunidade cristã é aberta a todos os homens, particularmente a todos os que procuram a Deus em Jesus Cristo. Os critérios de escolha não são, por isso, os critérios do mundo; a prioridade é para os mais infelizes. Deste modo, o cristão imitará a bondade de Deus, que ama a todos e a todos quer salvar, e que, pela sua maneira de proceder, Se torna a revelação dessa mesma bondade divina.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus a um dos principais fariseus, que O tinha convidado para uma refeição: «Quando ofereceres um almoço ou um jantar, não convides os teus amigos nem os teus irmãos, nem os teus parentes nem os teus vizinhos ricos, não seja que eles por sua vez te convidem e assim serás retribuído. Mas quando ofereceres um banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos; e serás feliz por eles não terem com que retribuir-te: ser-te-á retribuído na ressurreição dos justos».
Palavra da salvação.


Oração sobre as oblatas
Senhor, fazei que este sacrifício
seja, para Vós, uma oblação pura
e, para nós, o dom generoso da vossa misericórdia.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Sl 15, 11
O Senhor me ensinará o caminho da vida,
a seu lado viverei na plenitude da alegria.

Ou: Cf. Jo 6, 58
Assim como o Pai que Me enviou é o Deus vivo e Eu vivo pelo Pai,
também o que Me come viverá por Mim, diz o Senhor.

Oração depois da comunhão
Multiplicai em nós, Senhor, os frutos da vossa graça,
para que os sacramentos celestes,
que nos alimentam na vida presente,
nos preparem para alcançarmos a herança prometida.
Por Cristo nosso Senhor.

 

Martirológio

1.   Em Alexandria, no Egipto, Santo Epimáquio de Pelúsio, mártir, que, segundo a tradição, no tempo da perseguição do imperador Décio, ao ver como o prefeito obrigava os cristãos a sacrificar aos ídolos, tentou destruir a ara, sendo por isso preso, torturado e finalmente degolado.

2.   EmVermand, hoje Saint-Quentin, na Gália Bélgica, actualmente na França, São Quintino, mártir, da ordem senatorial, que padeceu por Cristo no tempo do imperador Maximiano

3*.   Em Fosses, no Brabante da Austrásia, no território da actual Bélgica, São Felano, presbítero e abade, que, nascido na Irlanda e irmão e companheiro de São Furseu, foi sempre fiel à observância monástica da sua pátria, fundou dois mosteiros – em Fosses e em Nivelles – um para monges e outro para monjas, e no caminho entre os dois foi assassinado por salteadores.

4.   Em Milão, na Lombardia, região da Itália, Santo Antonino, bispo, que trabalhou incansavelmente para extinguir a heresia ariana entre os Lombardos.

5.   Em Ratisbona, na Baviera, actualmente na Alemanha, São Volfgango, bispo, que, depois de ter sido mestre-escola e ter abraçado a profissão monástica, foi elevado à sede episcopal, onde instaurou a disciplina do clero e, quando visitava a região de Puppingen, morreu humildemente no Senhor.

6*.   Em Cahors, na Aquitânia, região da França, o Beato Cristóvão de Romanha, presbítero da Ordem dos Menores, que, enviado por São Francisco, depois de muitos trabalhos para a salvação das almas, morreu já centenário.

7*.   Em Riéti, na Sabina, território da Itália, o Beato Tomás de Florença Belláci, religioso da Ordem dos Menores, que, enviado à Terra Santa e à Etiópia, sofreu por Cristo o cativeiro e as torturas por parte dos infiéis e, finalmente, tendo regressado à sua pátria, descansou na paz do Senhor.

8*.   Em Youghal, perto de Cork, na Irlanda, o Beato Domingos Collins, religioso da Companhia de Jesus, que, durante um longo cativeiro, com repetidos interrogatórios e atrozes torturas, confessou firmemente a sua fé católica, consumando na forca o seu martírio.

9.   Em Palma de Maiorca, na Espanha, Santo Afonso Rodríguez, que, ao perder a esposa e os filhos, foi recebido como religioso na Companhia de Jesus e exerceu o ofício de porteiro durante muitos anos no Colégio, procedendo sempre com grande humildade, obediência e contínua penitência.

10*.   Em Piotrkow Kujawski, localidade da Polónia, o Beato Leão Nowakowski, presbítero e mártir, que, durante a ocupação militar da Polónia, por defender energicamente a sua fé perante um regime hostil a Deus, foi fuzilado.

11♦.   Em Sevilha, na Espanha, Santa Maria da Imaculada Conceição (Maria Isabel Salvat y Romero), virgem, fundadora do Instituto das Irmãs da Companhia da Cruz.