Liturgia diária

Agenda litúrgica

2022-10-26

Quarta-feira da semana XXX

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 19, n. 18).

L1: Ef 6, 1-9; Sal 144 (145), 10-11. 12-13ab. 13cd-14
Ev: Lc 13, 22-30

* Na Arquidiocese de Évora (Évora) – I Vésp. de SS. Vicente, Sabina e Cristeta.

 

Missa

 

Antífona de entrada Sl 104, 3-4
Alegre-se o coração dos que procuram o Senhor.
Buscai o Senhor e o seu poder, procurai sempre a sua face.

Oração coleta
Deus todo-poderoso e eterno,
aumentai em nós a fé, a esperança e a caridade;
e, para merecermos alcançar o que prometeis,
fazei-nos amar o que mandais.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


LEITURA I (anos pares) Ef 6, 1-9
«Não como servos dos homens, mas servos de Cristo»

O comportamento cristão tem uma exigência própria, que lhe vem de os baptizados serem membros de Cristo. Este facto deve orientar todas as relações humanas de uns para com os outros e S. Paulo tirou daí todas as consequências para a vida dos cristãos, independentemente da situação social em que cada um se encontrasse.

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios
Filhos, obedecei aos vossos pais, no Senhor, como é justo: «Honra pai e mãe» é o primeiro mandamento acompanhado de uma promessa: «para que sejas feliz e tenhas vida longa sobre a terra». Pais, não exaspereis os vossos filhos, mas educai-os com a disciplina e os conselhos inspirados pelo Senhor. Servos, obedecei aos vossos senhores terrenos, como a Cristo, com temor e respeito e na simplicidade de coração; não com a submissão aparente de quem pretende agradar aos homens, mas como servos de Cristo, que com toda a alma fazem a vontade de Deus. Servi de bom grado, como se servísseis ao Senhor e não a homens, pois sabeis que cada um receberá do Senhor a recompensa do bem que tiver praticado, quer seja escravo ou homem livre. E vós, senhores, tratai os vossos servos do mesmo modo; evitai as ameaças, pois sabeis que tanto eles como vós tendes o mesmo Senhor, que está no Céu e não faz distinção de pessoas.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 144 (145), 10-11.12-13ab.13cd-14
(R. cf. 13c)
Refrão: O Senhor é fiel em todas as suas palavras. Repete-se

Graças Vos dêem, Senhor, todas as criaturas
e bendigam-Vos os vossos fiéis.
Proclamem a glória do vosso reino
e anunciem os vossos feitos gloriosos; Refrão

Para darem a conhecer aos homens o vosso poder,
a glória e o esplendor do vosso reino.
O vosso reino é um reino eterno,
o vosso domínio estende-se por todas as gerações. Refrão

O Senhor é fiel à sua palavra
e perfeito em todas as suas obras.
O Senhor ampara os que vacilam
e levanta todos os oprimidos. Refrão


ALELUIA cf. 2 Tes 2, 14
Refrão: Aleluia. Repete-se
Deus chamou-nos por meio do Evangelho,
para alcançarmos a glória
de Nosso Senhor Jesus Cristo. Refrão


EVANGELHO Lc 13, 22-30
«Virão muitos do Oriente e do Ocidente
e sentar-se-ão à mesa no reino de Deus»

A respeito de Deus e da vida do Além temos sempre a tentação de querer saber coisas por caminhos “extraordinários”. Jesus, interrogado sobre o número dos que se salvam, não responde à curiosidade, mas vai direito ao essencial. A resposta está na vida do presente; ela traz em si a orientação do seu próprio crescimento para o futuro. E recorda aos seus ouvintes que não basta apoiarem-se no facto de terem convivido com Ele, de O terem visto e ouvido. Apresentando o reino de Deus sob a imagem do banquete, anuncia-lhes que muitos dos de fora, os pagãos, virão tomar parte nesse banquete messiânico, uma vez tornados filhos do reino, enquanto que muitos dos que tinham sido convidados desde a primeira hora, como eram eles próprios, poderiam vir a ser excluídos.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus dirigia-Se para Jerusalém e ensinava nas cidades e aldeias por onde passava. Alguém Lhe perguntou: «Senhor, são poucos os que se salvam?». Ele respondeu: «Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, porque Eu vos digo que muitos tentarão entrar sem o conseguir. Uma vez que o dono da casa se levante e feche a porta, vós ficareis fora e batereis à porta, dizendo: ‘Abre-nos, senhor’; mas ele responder-vos-á: ‘Não sei donde sois’. Então começareis a dizer: ‘Comemos e bebemos contigo e tu ensinaste nas nossas praças’. Mas ele responderá: ‘Repito que não sei donde sois. Afastai-vos de mim, todos os que praticais a iniquidade’. Aí haverá choro e ranger de dentes, quando virdes no reino de Deus Abraão, Isaac e Jacob e todos os Profetas, e vós a serdes postos fora. Virão muitos do Oriente e do Ocidente, do Norte e do Sul, e sentar-se-ão à mesa no reino de Deus. Há últimos que serão dos primeiros e primeiros que serão dos últimos».
Palavra da salvação.


Oração sobre as oblatas
Olhai, Senhor, para os dons que Vos apresentamos
e fazei que a celebração destes mistérios
dê glória ao vosso nome.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Sl 19, 6
Celebramos, Senhor, a vossa salvação
e glorificamos o vosso santo nome.

Ou: Ef 5, 2
Cristo amou-nos e deu a vida por nós,
oferecendo-Se em sacrifício agradável a Deus.

Oração depois da comunhão
Fazei, Senhor, que os vossos sacramentos
realizem em nós o que significam,
para alcançarmos um dia em plenitude
o que celebramos nestes santos mistérios.
Por Cristo nosso Senhor.

 

Martirológio

1.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, os santos Luciano e Marciano, mártires, que, segundo a tradição, no tempo do imperador Décio, por ordem do procônsul Sabino, foram queimados vivos.

2.   Em Cartago, na hodierna Tunísia, a comemoração de São Rogaciano, presbítero, a quem, no tempo do imperador Décio, São Cipriano confiou a administração da Igreja de Cartago, e que, juntamente com São Felicíssimo, suportou torturas e cárceres pelo nome de Cristo.

3*.   Em Estrasburgo, na Germânia, actualmente na França, Santo Amando, que é considerado o primeiro bispo desta cidade.

4.   Em Narbona, no litoral da Gália, também na actual França, São Rústico, bispo, que, estando na intenção de abandonar a sua função para se retirar à vida de silêncio, foi convencido pelo papa São Leão Magno à santa perseverança e, assim confortado, permaneceu no ministério que lhe fora confiado e nos encargos assumidos.

5*.   Em Angoulème, na Aquitânia, hoje também na França, Santo Aptónio, bispo.

6*.   Em Lastingham, na Nortúmbria, região da Inglaterra, São Ceda, irmão de São Ceada, que foi ordenado bispo dos Saxões orientais por São Finano e lançou entre eles os fundamentos da Igreja.

7*.   Em Hexham, também na Nortúmbria, Santo Eata, bispo, homem sumamente afável e simples, que regeu vários cenóbios e Igrejas, até que, ao regressar a Hexham, foi eleito bispo e abade, ministério que exerceu sabiamente, sem nunca deixar a sua vida ascética.

8*.   Em Metz, na Austrásia, actualmente na França, São Sigebaldo, bispo, fundador de vários mosteiros.

9*.   No mosteiro de Heresfeld, na Alemanha, o sepultamento de São Vita ou Albuíno, primeiro bispo de Bürberg, que, oriundo da Inglaterra, foi chamado por São Bonifácio e enviado para Hessen, com a missão de semear nesta região a palavra divina.

10*.   Na Escócia, São Beano, bispo de Mortlach.

11.   Em Pavia, na Lombardia, região da Itália, São Fulco, bispo, natural da Escócia, homem de paz, zelo apostólico e insigne caridade.

12*.   Em Réggio Emília, também na Itália, o Beato Damião Furchéri, presbítero da Ordem dos Pregadores, egrégio arauto do Evangelho.

13*.   Em Ravello, próximo de Amálfi, na Campânia, também região da Itália, o Beato Boaventura de Potenza, presbítero da Ordem dos Frades Menores Conventuais, que se distinguiu pela sua obediência e caridade.

14♦.   Em Cracóvia, na Polónia, a Beata Celina Chludzindska Borzecka, religiosa, fundadora da Congregação das Irmãs da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.