Liturgia diária

Agenda litúrgica

2021-04-28

Quarta-feira da semana IV

S. Pedro Chanel, presbítero e mártir – MF
S. Luís Maria Grignion de Montfort, presbítero – MF
Branco ou verm. – Ofício da féria ou da memória.
Missa da féria ou da memória, pf. pascal.

L 1 At 12, 24 – 13, 5a; Sal 66 (67), 2-3. 5. 6 e 8
Ev Jo 12, 44-50

* Na Ordem Franciscana (III Ordem) – B. Luquésio, da III Ordem – MF
* Na Ordem de São Domingos – S. Luís Maria Grignion de Montfort, presbítero – MF
* Na Congregação dos Irmãos Maristas – S. Pedro Chanel, presbítero e mártir – MO
* Na Congregação dos Missionários Monfortinos – S. Luís Maria Grignion de Montfort, Fundador da Congregação – SOLENIDADE
* Na Congregação das Irmãs Dominicanas de S. Catarina de Sena – I Vésp. de S. Catarina de Sena.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 17, 50; 21, 23
Eu Vos louvarei, Senhor, entre os povos
e anunciarei o vosso nome aos meus irmãos. Aleluia.


ORAÇÃO COLECTA
Deus todo-poderoso, vida dos fiéis, glória dos humildes e feli¬cidade dos justos, ouvi as súplicas do vosso povo e saciai com a abundância dos vossos dons os que têm sede das vossas promessas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Actos 12, 24 __ 13, 5a
«Separai Barnabé e Saulo para o trabalho a que os chamei»

Barnabé e Paulo vão ser, durante algum tempo, companheiros na expansão missionária do Evangelho. Partem de Antioquia, onde se tinham encontrado, e navegam para a ilha de Chipre, donde Barnabé é oriundo. A sua missão tem origem numa graça do Espírito Santo, e é, ao mesmo tempo, um gesto da Igreja; esta ora por eles, impõe-lhes as mãos e envia-os. O Espírito actua na Igreja, e a Igreja é o lugar onde o Espírito está e Se manifesta.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, a palavra de Deus crescia e multiplicava-se. Depois de Barnabé e Saulo cumprirem a sua missão, voltaram de Jerusalém, trazendo consigo João, que tinha o sobrenome de Marcos. Na Igreja de Antioquia havia profetas e doutores: Barnabé, Simeão, chamado o Negro, Lúcio de Cirene, Manaen, irmão colaço do tetrarca Herodes e Saulo. Estando eles a celebrar o culto do Senhor e a jejuar, disse-lhes o Espírito Santo: «Separai Barnabé e Saulo para o trabalho a que os chamei». Então, depois de terem jejuado e orado, impuseram-lhes as mãos e deixaram- nos partir. Enviados pelo Espírito Santo, Barnabé e Saulo desceram a Selêucia e de lá navegaram para Chipre. Tendo chegado a Salamina, começaram a anunciar a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 66 (67), 2-3.6.8 (R. 4)
Refrão: Louvado sejais, Senhor,
pelos povos de toda a terra. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Deus Se compadeça de nós e nos dê a sua bênção,
resplandeça sobre nós a luz do seu rosto.
Na terra se conhecerão os vossos caminhos
e entre os povos a vossa salvação. Refrão

Alegrem-se e exultem as nações,
porque julgais os povos com justiça
e governais as nações sobre a terra. Refrão

Os povos Vos louvem, ó Deus,
todos os povos Vos louvem.
Deus nos dê a sua bênção
e chegue o seu louvor aos confins da terra. Refrão


ALELUIA Jo 8, 12
Refrão: Aleluia Repete-se

Eu sou a luz do mundo, diz o Senhor;
quem Me segue terá a luz da vida. Refrão


EVANGELHO Jo 12, 44-50
«Eu vim como luz do mundo»

Jesus continua a afirmar que é o Enviado do Pai, que nos diz as palavras do Pai, que vem cumprir os desígnios do Pai, que são de salvar o mundo, não de o condenar. Ele veio como luz; por isso, haverá trevas onde a sua luz não chegar, haverá condenação para quem não quiser ser salvo.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, Jesus disse em alta voz: «Quem acredita em Mim não é em Mim que acredita, mas n’Aquele que Me enviou; e quem Me vê, vê Aquele que Me enviou. Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que acredita em Mim não fique nas trevas. Se alguém ouvir as minhas palavras e não as guardar, não sou Eu que o julgo, porque não vim para julgar o mundo, mas para o salvar. Quem Me rejeita e não acolhe as minhas palavras tem quem o julgue: a palavra que anunciei o julgará no último dia. Porque Eu não falei por Mim próprio: o Pai, que Me enviou, é que determinou o que havia de dizer e anunciar. E Eu sei que o seu mandamento é vida eterna. Portanto, as palavras que Eu digo, digo-as como o Pai Mas disse a Mim».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor nosso Deus, que, pela admirável permuta de dons neste sacrifício, nos fazeis participar na comunhão convosco, único e sumo bem, concedei-nos que, conhecendo a vossa verdade, dêmos testemunho dela na prática das boas obras. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio pascal


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Jo 15, 16.19
Eu vos escolhi do mundo e vos destinei, diz o Senhor,
para que deis fruto e o vosso fruto permaneça. Aleluia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Protegei, Senhor, o vosso povo que saciastes nestes divinos mistérios e fazei-nos passar da antiga condição do pecado à vida nova da graça. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Fi¬lho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. PEDRO CHANEL, presbítero e mártir

 

S. Luís Maria Grignion de Monfort, presbítero

 

 

Martirológio

São Pedro Chanel, presbítero da Sociedade de Maria e mártir, que se dedicou ao ministério das povoações rurais e à instrução das crianças; depois, enviado com alguns companheiros para a evangelização da Oceania ocidental, chegou à ilha Futuna, onde ainda nenhuma comunidade cristã tinha sido constituída; apesar das dificuldades de toda a espécie, com a sua singular mansidão conseguiu converter à fé alguns habitantes da ilha, entre eles o filho do próprio rei, que, enfurecido, o mandou matar, fazendo dele o primeiro mártir da Oceania.

 

São Luís Maria Grignion de Montfort, presbítero, que percorreu as regiões ocidentais da França a anunciar o mistério da Sabedoria Eterna; fundou Congregações, pregou e escreveu obras sobre a cruz de Cristo e sobre a verdadeira devoção à Virgem Maria e reconduziu muita gente a uma vida de penitência; finalmente, em Saint-Laurent-sur-Sèvre, localidade da França, descansou da sua peregrinação terrena.

 

3.   Em Biterra, na Gália Narbonense, hoje Béziers, na França, Santo Afrodísio, venerado como o primeiro bispo desta cidade.

4.   Em Nicomédia, hoje Izmit, na Turquia, os santos Eusébio, Caralampo e companheiros, mártires.

5.   Em Ravena, na Flamínia, hoje na Emília-Romanha, região da Itália, a comemoração de São Vital, no dia em que, segundo a tradição, foi dedicada com o seu nome a célebre basílica desta cidade. Juntamente com os santos mártires Valéria, Gervásio, Protásio e Ursicino, é venerado desde tempos imemoriais por ter defendido tenazmente a sua intrépida fé cristã.

6.   Em Doróstoro, na Mésia, hoje Silistra, na Bulgária, os santos Máximo, Dada e Quintiliano, mártires durante a perseguição de Diocleciano.

7.   Em Tarazona, na Hispânia Tarraconense, São Prudêncio, bispo.

8.   Em Sulmona, nos Abruzos, região da Itália, o sepultamento de São Pânfilo, bispo de Corfínio.

9*.   Em Poggibónsi, na Etrúria, hoje na Toscana, também na Itália, o Beato Luquésio, que, depois de ter sido dominado pela avidez do lucro, se converteu e tomou o hábito da Ordem Terceira dos Penitentes de São Francisco, vendeu os seus bens e deu tudo aos pobres, dedicando-se ao serviço de Deus e do próximo em pobreza e humildade segundo o espírito evangélico.

10*.   Em Sain-Laurent-sur-Sèvre, localidade da França, a Beata Maria Luísa de Jesus (Maria Luísa Trichet), virgem, a primeira religiosa a vestir o hábito da Congregação das Filhas da Sabedoria, que governou com grande prudência.

11.   Em Ninh-Binh, cidade do Tonquim, hoje no Vietnam, os santos mártires Paulo Pham Khac Khoan, presbítero, João Baptista Dinh Van Thanh e Pedro Nguyen Van Hieu, catequistas, que, depois de passarem três anos presos e torturados para que negassem a fé cristã, finalmente, no tempo do imperador Minh Mang, foram degolados e alcançaram a palma do martírio.

12*.   No campo de concentração de Mauthausen, na Áustria, o Beato José Cebula, presbítero da Congregação dos Missionários Oblatos da Virgem Imaculada e mártir, natural da Polónia, que, deportado da pátria para o cárcere em ódio à fé, sofreu cruéis suplícios até à morte.

13.   Em Magenta, próximo de Milão, na Itália, Santa Joana Beretta Molla, mãe de família, que, trazendo um filho gerado em seu ventre, morreu antepondo a liberdade e a vida do nascituro à sua própria vida.