Liturgia diária

Agenda litúrgica

2021-02-03

Quarta-feira da semana IV

S. Brás, bispo e mártir – MF
S. Anscário, bispo – MF
Verde, verm. ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 19, n. 18).
L 1 Hebr 12, 4-7. 11-15; Sal 102 (103), 1-2. 13-14. 17a e 18
Ev Mc 6, 1-6

* Na Diocese de Viana do Castelo – S. Brás, bispo e mártir – MO
* Na Ordem Agostiniana – B. Estêvão Bellesini, presbítero – MO
* Na Ordem Beneditina – S. Anscário – MF; S. Brás – MF
* Na Ordem de Cister – S. Anscário, bispo – MF
* Na Congregação da Apresentação de Maria – B. Maria Rivier, Fundadora da Congregação – FESTA
* Na Congregação da Missão e na Companhia das Filhas da Caridade – B. Josefina Nicola, virgem – MO

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 105, 47
Salvai-nos, Senhor nosso Deus, e reuni-nos de todas as nações,
para dar graças ao vosso santo nome
e nos alegrarmos no vosso louvor.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei, Senhor nosso Deus,
que Vos adoremos de todo o coração
e amemos todos os homens com sincera caridade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Hebr 12, 4-7.11-15
«O Senhor corrige aqueles que ama»

Depois de ter apresentado a vida da fé como um combate, que exige do cristão coragem e capacidade de resistência, (que é o sentido profundo da paciência), o autor sagrado evoca indirectamente o testemunho do martírio, que foi já o de outros e que não tinha sido ainda o dos seus destinatários. E lembra que o sofrimento não é, em si mesmo, sinal de castigo, mas antes do amor que Deus tem aos seus filhos; ele é a escola onde melhor se aprendem os caminhos de Deus. E termina apontando alguns desses caminhos, sublinhando, em particular, os que dizem respeito à vida da comunidade cristã.

Leitura da Epístola aos Hebreus
Irmãos: Vós ainda não resististes até ao sangue na luta contra o pecado e já esquecestes a exortação que vos é dirigida, como a filhos que sois: «Meu filho, não desprezes a correcção do Senhor, nem desfaleças quando Ele te repreende; porque o Senhor corrige aqueles que ama e castiga aqueles que reconhece como filhos». É para vossa correcção que sofreis; Deus trata-vos como filhos. Qual é o filho a quem o pai não corrige? Toda a correcção, no momento em que se recebe, é considerada mais como motivo de tristeza que de alegria. Mais tarde, porém, dá àqueles que foram exercitados um fruto de paz e de justiça. Por isso, levantai as vossas mãos fatigadas e os vossos joelhos vacilantes; dirigi os vossos passos por caminhos direitos, para que o coxo não se desvie, mas antes seja curado. Procurai viver em paz com todos e levai uma vida santa, porque sem isso ninguém verá o Senhor. Velai por que ninguém se afaste da graça de Deus: que nenhuma raiz amarga comece a crescer e lance o contágio na comunidade.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 102 (103), 1-2.13-14.17a e 18 (R. 17)
Refrão: A misericórdia do Senhor permanece para sempre
sobre aqueles que O temem. Repete-se

Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e todo o meu ser bendiga o seu nome santo.
Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e não esqueças nenhum dos seus benefícios. Refrão

Como um pai se compadece dos seus filhos,
assim o Senhor Se compadece dos que O temem.
Ele sabe de que somos formados
e não Se esquece que somos pó da terra. Refrão

A bondade do Senhor permanece para sempre
sobre aqueles que O temem,
sobre aqueles que guardam a sua aliança
e se lembram de cumprir os seus preceitos. Refrão


ALELUIA Lc 10, 27
Refrão: Aleluia Repete-se
As minhas ovelhas escutam a minha voz, diz o Senhor;
Eu conheço as minhas ovelhas e elas seguem-Me. Refrão


EVANGELHO Mc 6, 1-6
«Um profeta só é desprezado na sua terra»

Jesus começa a sua pregação em Nazaré, a terra onde Se tinha criado. A convivência, ao fim de tantos anos, no meio daquela gente não foi capaz de a levar a ver em Jesus mais do que o Filho do carpinteiro e a subir até ao Filho de Deus. Mas, em Nazaré, a terra onde viveu e Se criou, não encontrou Jesus estas disposições nos seus vizinhos e compatriotas; por isso, “não pôde fazer ali qualquer milagre”! A fé é o único meio de reconhecer o Senhor. A experiência dos sentidos pode ser caminho para a fé, e normalmente é, se houver rectidão de coração, humildade de espírito e não existirem obstáculos vindos sobretudo de preconceitos e respeitos humanos injustificados.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, Jesus dirigiu-Se à sua terra e os discípulos acompanharam-n’O. Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga. Os numerosos ouvintes estavam admirados e diziam: «De onde Lhe vem tudo isto? Que sabedoria é esta que Lhe foi dada e os prodigiosos milagres feitos por suas mãos? Não é Ele o carpinteiro, Filho de Maria, e irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? E não estão as suas irmãs aqui entre nós?». E ficavam perplexos a seu respeito. Jesus disse-lhes: «Um profeta só é desprezado na sua terra, entre os seus parentes e em sua casa». E não podia ali fazer qualquer milagre; apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos. Estava admirado com a falta de fé daquela gente. E percorria as aldeias dos arredores, ensinando.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Apresentamos, Senhor, ao vosso altar
os dons do vosso povo santo;
aceitai-os benignamente
e fazei deles o sacramento da nossa redenção.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 30, 17-18
Fazei brilhar sobre mim o vosso rosto,
salvai-me, Senhor, pela vossa bondade
e não serei confundido por Vos ter invocado.

Ou Mt 5, 3-4
Bem-aventurados os pobres em espírito,
porque deles é o reino dos Céus.
Bem-aventurados os humildes,
porque possuirão a terra prometida.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Fortalecidos pelo sacramento da nossa redenção,
nós Vos suplicamos, Senhor,
que, por este auxílio de salvação eterna,
cresça sempre no mundo a verdadeira fé.
Por Nosso Senhor.

 

Santo

S. BRÁS, bispo e mártir

 

S. ANSCÁRIO (ÓSCAR), bispo

 

 

Martirológio

São Brás, bispo e mártir, que padeceu pela fé cristã em Sebaste, na antiga Arménia, hoje Sivas, na Turquia, sob o mandato do imperador Licínio.

Santo Óscar (ou Anscário), bispo de Hamburgo e depois também de Bremen, na Saxónia, actualmente na Alemanha, que, tendo sido monge de Corbie, foi legado do papa Gregório IV nas missões de toda a Escandinávia; anunciou o Evangelho a multidões de pessoas e estabeleceu a Igreja de Cristo na Dinamarca e na Suécia, superando com grande fortaleza de ânimo numerosas dificuldades, até que, em Bremen, descansou dos seus trabalhos.

 

3.   Em Jerusalém, a comemoração dos santos Simeão, ancião justo e piedoso, e Ana, viúva e profetiza, que no dia em que o Menino Jesus foi levado ao templo para ser apresentado segundo o costume da lei de Moisés, O mereceram saudar como o Messias e Salvador, esperança e redenção de Israel.

4.   Em Cartago, na hodierna Tunísia, São Celerino, leitor e mártir, que, atribulado no cárcere com açoites e cadeias e outros tormentos, professou invencivelmente a fé em Cristo, seguindo o exemplo da sua avó Celerina já anteriormente coroada com o martírio, do seu tio paterno Lourenço e de seu tio materno Inácio, os quais, tendo sido antes soldados no exército, se tornaram soldados do verdadeiro Deus e, com a sua gloriosa paixão, alcançaram as palmas e coroas do Senhor.

5*.   Em Poitiers, na Aquitânia, hoje na França, São Leónio, presbítero, que, segundo a tradição, foi discípulo de Santo Hilário.

6.   Em Gap, cidade da Provença, actualmente na França, os santos Terídio e Remédio, bispos.

7.   Em Lião, na Gália Lionense, também na actual França, São Lupicino, bispo, no tempo da perseguição desencadeada pelos Vândalos.

8*.   No mosteiro de Celles, no Hainault, na actual Bélgica, Santo Adelino, presbítero e abade.

9*.   Em Chester, Mércia, região da Inglaterra, Santa Vereburga, abadessa de Ely, que fundou muitas casas de vida religiosa.

10*.   Em Meerbecke, no Brabante, hoje na Bélgica, Santa Berlinda, virgem, que nesta cidade se consagrou à vida religiosa de pobreza e caridade.

11*.   No mosteiro cisterciense de Froidmont, no território de Beauvais, na França, a comemoração do Beato Helinando, monge, que era um célebre trovador e se entregou depois à vida humilde e oculta no claustro.

12*.   Em Londres, na Inglaterra, o Beato João Nélson, presbítero da Companhia de Jesus e mártir, que, por ter negado o poder supremo de Isabel I nas questões espirituais, foi condenado à pena capital e morreu enforcado na praça de Tyburn.

13*.   Em Lyon, na França, Santa Maria de Santo Inácio (Cláudina Thévenet), virgem, que, movida pelo ardor da caridade e fortaleza de ânimo, fundou a Congregação das Irmãs de Jesus e Maria, destinada à formação cristã das jovens, sobretudo das mais pobres.

14*.   Em Bourg-Saint-Andéol, no território de Viviers, na França, a Beata Maria Ana Rivier, virgem, que, durante a Revolução Francesa, quando tinham sido extintas todas as Ordens e Congregações religiosas, fundou a Congregação das Irmãs da Apresentação de Maria para instruir na fé o povo cristão.

15*.   Na povoação de Steyl, na Holanda, a Beata Maria Helena Stollenwerk, virgem, que colaborou com Santo Arnaldo Janssen na fundação da Congregação das Missionárias Servas do Espírito Santo e, depois de ter deixado a função de superiora, se entregou com grande fervor de alma à adoração perpétua.

16♦.   Em Dachau, perto de Munique, na Alemanha, o Beato Aloísio Andritzki, presbítero e mártir, assassinado durante o domínio de um regime hostil a Deus e à dignidade humana.