Liturgia diária

Agenda litúrgica

2021-11-13

Sábado da semana XXXII

Santa Maria no Sábado – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 19, n. 18).

L 1 Sab 18, 14-16 – 19, 6-9; Sal 104 (105), 2-3. 36-37. 42-43
Ev Lc 18, 1-8

* Na Diocese da Guarda – Sufrágio pelos Bispos e Presbíteros falecidos.
* Na Diocese de Leiria-Fátima (Basílica da Santíssima Trindade – Santuário de Fátima) – Aniversário da Basílica da Santíssima Trindade – SOLENIDADE
* Na Ordem Agostiniana – Todos os Santos da Família Agostiniana – FESTA
* Na Ordem de Cister e na Ordem Cisterciense da Estrita Observância – Todos os Santos que militaram sob a Regra de S. Bento – FESTA
* Na Ordem Franciscana – S. Diogo de Alcalá, religioso, da I Ordem – MF
* Na Companhia de Jesus – S. Estanislau Kostka, religioso – MO
* Na Congregação da Paixão de Jesus Cristo – B. Eugénio Bossilkov, bispo e mártir – MF
* Na Congregação Salesiana e no Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – B. Artémides Zatti, religioso – MO
* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 87, 3
Chegue até Vós, Senhor, a minha oração,
inclinai o ouvido ao meu clamor.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e misericordioso,
afastai de nós toda a adversidade,
para que, sem obstáculos do corpo ou do espírito,
possamos livremente cumprir a vossa vontade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Sab 18, 14-16; 19, 6-9
«O Mar Vermelho tornou-se um caminho livre
e eles saltavam como cordeiros»

A leitura refere-se, em linguagem poética, à noite da Páscoa antiga, quando, no Egipto, o Senhor libertou o seu povo e o fez atravessar a pé enxuto o Mar Vermelho. A Páscoa de Jesus Cristo, que é a Palavra de Deus encarnada, realizou a libertação definitiva na Páscoa da nova e eterna Aliança. E é nesta nova Páscoa, a de Cristo, que a Páscoa antiga encontra a sua plena significação.

Leitura do Livro da Sabedoria
Quando um silêncio profundo envolvia todas as coisas e a noite estava no meio do seu curso, a vossa palavra omnipotente, Senhor, veio do alto dos Céus, do seu trono real. Como implacável guerreiro, para o meio duma terra de ruína, trazia, como espada afiada, o vosso decreto irrevogável. Parou e encheu de morte o universo; tocava o céu e caminhava sobre a terra. Toda a criação, obedecendo às vossas ordens, tomava novas formas segundo a sua natureza, para guardar sãos e salvos os vossos filhos. Viu-se a nuvem cobrir de sombra o acampamento, a terra enxuta surgir do que antes era água, o Mar Vermelho tornar-se um caminho livre e as ondas impetuosas uma planície verdejante. Por ali passou um povo inteiro, protegido pela vossa mão, contemplando prodígios admiráveis. Expandiram-se como cavalos na pradaria e saltavam como cordeiros, cantando a vossa glória, Senhor, seu libertador.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 104 (105), 2-3.36-37.42-43 (R. 5a)
Refrão: Recordai as maravilhas do Senhor. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Cantai salmos e hinos ao Senhor,
proclamai todas as suas maravilhas.
Gloriai-vos no seu nome santo,
exulte o coração dos que procuram o Senhor. Refrão

Feriu de morte todos os primogénitos do Egipto,
as primícias da sua raça
e fez sair o seu povo carregado de prata e ouro
e não havia enfermo nas suas tribos. Refrão

Não Se esqueceu da palavra sagrada
que dera a Abraão, seu servo;
e fez sair o povo com alegria,
os seus eleitos com gritos de júbilo. Refrão


ALELUIA cf. 2 Tes 2, 14
Refrão: Aleluia. Repete-se
Deus chamou-nos por meio do Evangelho,
para alcançarmos a glória de Nosso Senhor Jesus Cristo. Refrão


EVANGELHO Lc 18, 1-8
«Deus fará justiça aos seus eleitos, que por Ele clamam»

O Senhor não tem receio de pôr Deus ao lado do juiz iníquo, para nos inculcar bem a fé e a confiança que havemos de pôr n’Ele. Se o juiz egoísta acabou por atender a súplica da viúva impertinente, quanto mais Deus há-de escutar os seus filhos! O que pode acontecer é que a nossa fé não saiba esperar a hora de Deus. Mas aquele que souber estar vigilante na fé à hora em que o Senhor voltar, esse será salvo.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus disse aos seus discípulos uma parábola sobre a necessidade de orar sempre sem desanimar: «Em certa cidade vivia um juiz que não temia a Deus nem respeitava os homens. Havia naquela cidade uma viúva que vinha ter com ele e lhe dizia: ‘Faz-me justiça contra o meu adversário’. Durante muito tempo ele não quis atendê-la. Mas depois disse consigo: ‘É certo que eu não temo a Deus nem respeito os homens; mas, porque esta viúva me importuna, vou fazer-lhe justiça, para que não venha incomodar-me indefinidamente’». E o Senhor acrescentou: «Escutai o que diz o juiz iníquo!... E Deus não havia de fazer justiça aos seus eleitos, que por Ele clamam dia e noite, e iria fazê-los esperar muito tempo? Eu vos digo que lhes fará justiça bem depressa. Mas quando voltar o Filho do homem, encontrará fé sobre a terra?»
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Olhai, Senhor, com benevolência
para o sacrifício que Vos apresentamos,
a fim de participarmos com sincera piedade
no memorial da paixão do vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 22, 1-2
O Senhor é meu pastor: nada me falta.
Leva-me a descansar em verdes prados.
Conduz-me às águas refrescantes
e reconforta a minha alma.

Ou Lc 24, 35
Os discípulos reconheceram
o Senhor Jesus ao partir o pão.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Nós Vos damos graças, Senhor,
pelo alimento celeste que recebemos
e imploramos da vossa misericórdia
que, pela acção do Espírito Santo,
perseverem na vossa graça
os que receberam a força do alto.
Por Nosso Senhor.

 

Martirológio

1.   Em Cesareia da Palestina, a paixão dos santos mártires Antonino, Nicéforo, Zebina, Germano e Mánata, virgem. Esta última, no tempo do imperador Galério Maximino, depois de ser açoitada, foi queimada viva; os outros, porque censuraram intrépida e claramente a impiedade do prefeito Firmiliano por oferecer sacrifícios aos deuses, foram decapitados.

2.   Em Aix-en-Provence, na Gália Narbonense, na hodierna França, São Mítrio, que, apesar da sua condição de escravo, saiu deste mundo livre pela justiça em Cristo.

3.   Em Tours, na Gália Lionense, também na actual França, São Brício, bispo, discípulo de São Martinho, que foi sucessor do seu mestre e durante quarenta e sete anos enfrentou muitas adversidades.

4.   Na África Proconsular, a comemoração dos santos mártires hispanos Arcádio, Pascásio, Probo e Eutiquiano, que, por não quererem decididamente aderir à heresia ariana, por ordem de Genserico foram proscritos, depois exilados e atormentados com atrozes suplícios e finalmente assassinados com vários género de morte. Então também o pequeno Paulilo, irmão de Pascásio e de Eutiquiano, com admirável constância, não permitindo ser separado da fé católica, foi longamente açoitado e condenado à mais vil escravidão.

5*.   Em Vienne, na Gália Lionense, actualmente na França, São Leoniano, abade, que, trazido da Panónia cativo para esta região por gente inimiga, dirigiu santamente monges e monjas durante mais de quarenta anos, primeiro em Autun e depois em Vienne.

6.   Em Arvena, na Aquitânia, hoje Clermont-Ferrand, na França, São Quinciano, bispo, que ocupou a sede de Rodez, mas depois, exilado pelos godos, foi nomeado bispo desta cidade.

7*.   Em Città di Castello, na Úmbria, região da Itália, a comemoração dos santos Florêncio, bispo, de cuja doutrina fiel e vida santa dá testemunho o papa São Gregório Magno, e de Santo Amâncio, seu presbítero, admirável na sua caridade para com os enfermos e em todas as virtudes.

8*.   Em Rodez, na Aquitânia, na hodierna França, São Dalmácio, bispo, cuja caridade para com os pobres é louvada por São Gregório de Tours.

9*.   No vale de Suze, entre os Helvécios, na actual Suíça, Santo Himério, eremita, que pregou o Evangelho nesta região.

10.   Em Toledo, cidade da Espanha, Santo Eugénio, bispo, que se dedicou ao ordenamento da sagrada liturgia.

11*.   Na região de Cambrai, na Gália, hoje na França, Santa Maxelendes, virgem e mártir, que, segundo a tradição, escolhendo a Cristo como seu esposo e recusando o homem a quem seus pais a tinham prometido, foi por ele morta ao fio da espada.

12.   Em Roma, junto de São Pedro, São Nicolau I, papa, que se distinguiu pela sua energia apostólica em confirmar a autoridade do Romano Pontífice em toda a Igreja de Deus.

13*.   No mosteiro de La Réole, na Gasconha da França, o passamento de Santo Abão, abade de Fleury, admiravelmente instruído na Sagrada Escritura e nas letras humanas, que, por defender a disciplina monástica e fomentar ardorosamente a paz, morreu trespassado por uma lança.

14*.   Em Ivrea, no Piemonte, região da Itália, a comemoração do Beato Varmundo, bispo, ilustre pela sua fé viva, piedade e humildade, que defendeu das insídias dos poderosos a liberdade da Igreja, construiu a catedral, fomentou a vida monástica e instituiu uma escola episcopal.

15.   Em Cremona, na Lombardia, também região da Itália, Santo Homobono, um comerciante que se tornou memorável pela sua caridade para com os pobres, por acolher e educar as crianças abandonadas e fomentar a paz entre as famílias.

16.   Em Roma, Santa Agostinha Pietrantóni (Lívia Pietrantóni), virgem da Congregação das Irmãs da Caridade, que se dedicou com generosidade cristã ao cuidado dos leprosos no hospital do Espírito Santo, onde morreu apunhalada por um enfermo num ataque de furor homicida.

17*.   Em Simat de Valldigna, na região de Valência, na Espanha, o Beato João Gonga Martínez, mártir, que, durante a perseguição contra a fé, derramou o seu sangue por Cristo.

18*.   Em Portichol de Tavernes, perto de Carcaixent, na mesma região da Espanha, a Beata Maria do Patrocínio de São João (Maria Cinta Assunção Giner Gomis), virgem do Instituto das Irmãs de Maria Imaculada Missionárias Claretianas e mártir, que na mesma perseguição no combate da fé alcançou a vida eterna.

19♦.   Em Halle an der Saale, na Saxónia, região da Alemanha, o Beato Carlos Lampert, presbítero e mártir, que depois de ter sido encarcerado três vezes por um regime inumano e hostil à religião, foi finalmente decapitado em ódio à fé cristã e ao sacerdócio.

20*.   Em Sófia, na Bulgária, os beatos Pedro Vicev, Paulo (José Dzidzov) e Josafat Siskov (Roberto Mateus Siskov), presbíteros da Congregação dos Agostinhos da Assunção, que, no tempo de um regime hostil a Deus, acusados falsamente de traição e encarcerados por serem cristãos, mereceram receber pela sua morte o prémio prometido aos fiéis discípulos de Cristo.