Liturgia diária

Agenda litúrgica

2021-10-21

Quinta-feira da semana XXIX

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 19, n. 18).

L 1 Rom 6, 19-23; Sal 1, 1-2. 3. 4 e 6
Ev Lc 12, 49-53

* Na Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs (Lassalistas/La Salle) – B. Nicolau Barré, presbítero, da Ordem dos Mínimos – MF
* Na Congregação dos Missionários do Preciosíssimo Sangue – S. Gaspar del Búfalo, presbítero, Fundador da Congregação – SOLENIDADE
* Na Arquidiocese de Braga – I Vésp. de S. Martinho de Dume.
* Na Diocese da Guarda (Sé) – I Vésp. do aniversário da Dedicação da Igreja Catedral.
* Na Ordem de São Domingos – I Vésp. do aniversário da Dedicação das igrejas conventuais (nas igrejas em que se desconhece o dia da Dedicação).

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 16, 6.8.9
Respondei-me, Senhor, quando Vos invoco,
ouvi a minha voz, escutai as minhas palavras.
Guardai-me dos meus inimigos, Senhor.
Protegei-me à sombra das vossas asas.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e omnipotente,
dai-nos a graça de consagrarmos sempre ao vosso serviço
a dedicação da nossa vontade
e a sinceridade do nosso coração.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Rom 6, 19-23
«Agora, libertos do pecado e tornados servos de Deus»

“Escravo” e “liberto” eram palavras bem conhecidas dos Romanos a quem S. Paulo escreve: Escravos eram homens ao serviço de outros, mas de tal maneira que não eram considerados “pessoas”; compravam-se e vendiam-se, como se fossem “coisas”. “Libertos” chamavam-se os que, depois de terem sido escravos, recebiam a liberdade. Assim, o cristão, outrora escravo antes da conversão a Cristo, é agora um liberto por Deus em Cristo Jesus. Há-de, portanto, viver agora a liberdade da santidade, e não voltar à escravidão da vida de que foi libertado.

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos
Irmãos: Falo com linguagem humana, por causa da vossa fraqueza: Assim como entregastes os vossos membros como escravos ao serviço da impureza e da desordem, que conduz à revolta contra Deus, colocai agora os vossos membros ao serviço da justiça, que conduz à santidade. Na verdade, quando éreis escravos do pecado, éreis livres em relação à justiça. Mas que fruto colhestes então dessas obras de que actualmente vos envergonhais? De facto, o seu fim é a morte. Mas agora, libertos do pecado e tornados servos de Deus, produzis o fruto que conduz à santificação, cujo fim é a vida eterna. Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, em Jesus Cristo, nosso Senhor.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 1, 1-2.3.4 e 6 (R. Salmo 39, 5a)
Refrão: Feliz o homem que pôs a sua esperança no Senhor. Repete-se

Feliz o homem que não segue o conselho dos ímpios,
nem se detém no caminho dos pecadores,
mas antes se compraz na lei do Senhor,
e nela medita dia e noite. Refrão

É como árvore plantada à beira das águas:
dá fruto a seu tempo e sua folhagem não murcha.
Tudo quanto fizer será bem sucedido. Refrão

Bem diferente é a sorte dos ímpios:
são como palha que o vento leva.
O Senhor vela pelo caminho dos justos,
mas o caminho dos pecadores leva à perdição. Refrão


ALELUIA Filip 3, 8-9
Refrão: Aleluia. Repete-se
Considero todas as coisas como prejuízo,
para ganhar a Cristo e n’Ele me encontrar. Refrão


EVANGELHO Lc 12, 49-53
«Não vim trazer a paz, mas a divisão»

Há dias, S. Paulo dava a Jesus o nome de Paz. Hoje, é o próprio Senhor que diz que não veio estabelecer a paz. É preciso que entendamos a maneira forte, muito ao gosto dos Evangelhos, de apresentar certas ideias fundamentais da doutrina de Jesus. Ele veio como fogo para iluminar e abrasar; mas, entre aqueles que O acolhem e aqueles que recusam recebê-l’O, Jesus será ocasião de divisão e desavença.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Eu vim trazer o fogo à terra e que quero Eu senão que ele se acenda? Tenho de receber um baptismo e estou ansioso até que ele se realize. Pensais que Eu vim estabelecer a paz na terra? Não. Eu vos digo que vim trazer a divisão. A partir de agora, estarão cinco divididos numa casa: três contra dois e dois contra três. Estarão divididos o pai contra o filho e o filho contra o pai, a mãe contra a filha e a filha contra a mãe, a sogra contra a nora e a nora contra a sogra».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Fazei, Senhor,
que possamos servir ao vosso altar
com plena liberdade de espírito,
para que estes mistérios que celebramos
nos purifiquem de todo o pecado.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 32, 18-19
O Senhor vela sobre os seus fiéis,
sobre aqueles que esperam na sua bondade,
para libertar da morte as suas almas,
para os alimentar no tempo da fome.

Ou Mc 10, 45
O Filho do homem veio ao mundo para dar a vida pela redenção dos homens.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Concedei, Senhor, que a participação nos mistérios celestes
nos faça progredir na santidade, nos obtenha as graças temporais
e nos confirme nos bens eternos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Martirológio

1.       Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, os santos Dásio, Zótico e Caio, que eram servos do imperador Diocleciano e, falsamente acusados de terem incendiado o palácio, foram condenados à morte e lançados ao mar com grandes pedras atadas ao pescoço.

2.       Em Colónia, na Germânia, na hodierna Alemanha, a comemoração das santas virgens que deram a sua vida por Cristo no lugar da cidade onde mais tarde foi levantada a basílica dedicada à jovem Úrsula, virgem inocente, considerada a principal do grupo.

3.       Na ilha de Chipre, Santo Hilarião, abade, que, seguindo os passos de Santo Antão, depois de passar algum tempo em vida solitária perto da cidade de Gaza, foi fundador e exemplo da vida eremítica nesta região.

4.       Comemoração de São Malco, monge, cuja ilustre vida ascética em Marónia, perto de Antioquia da Síria, na actual Turquia, é referida por São Jerónimo.

5.       Em Bordéus, na Aquitânia, na actual França, São Severino, bispo, que, originário das terras do Oriente, foi honrosamente recebido por Santo Amando, que o quis como seu sucessor.

6.       Em Laon, na Gália, também na hodierna França, Santa Cilínia, mãe dos santos bispos Princípio de Soissons e Remígio de Reims.

7.       Em Lião, também na Gália, hoje na França, a comemoração de São Viador, leitor, que foi discípulo e ministro de São Justo, bispo de Lião, e o acompanhou no ermo do Egipto e na sua morte.

8*.     Em Tréveris, na Austrásia, actualmente na Alemanha, São Vendelino, eremita.

9*.     Em Marselha, na Provença da Gália, na hodierna França, São Mauronto, bispo, que foi também abade do mosteiro de São Vítor.

10*.   Em Cortona, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, o Beato Pedro Capúcci, presbítero da Ordem dos Pregadores, que, meditando sobre a morte, se voltou para as realidades celestes e com fervorosa pregação exortou os fiéis a evitar a morte eterna.

11♦.   Em Nishizaka, colina de Nagasáki, cidade do Japão, Julião Nakaura, religioso da Companhia de Jesus e mártir.

12.     Em Seul, na Coreia, São Pedro Yu Tae-ch’ol, mártir, que, com a idade de treze anos, no cárcere exortava os companheiros de cativeiro a suportar os suplícios e, flagelado com cem açoites e depois estrangulado, consumou o seu martírio.

13♦.   Em Montes de Saja, na Cantábria, no litoral da Espanha, o Beato Estanislau Garcia Obeso, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir, que, no tempo da perseguição, pela sua morte gloriosamereceu passar à felicidade eterna.

14*.   Em Belencito, povoação próxima de Medellin, na Colômbia, Santa Laura de Santa Catarina de Sena (Laura Montoya y Upegui), virgem, que, com grande sucesso se dedicou a anunciar o Evangelho aos indígenas que ainda desconheciam a fé em Cristo e fundou a Congregação das Irmãs Missionárias de Maria Imaculada e Santa Catarina de Sena.