Liturgia diária

Agenda litúrgica

2021-01-07

Quinta-feira depois da Epifania

S. Raimundo de Penaforte, presbítero – MF
Branco – Ofício da féria ou da memória.
Missa da féria ou da memória, pf. da Epifania ou do Natal.

L 1 1 Jo 4, 19 – 5, 4; Sal 71 (72), 2. 14-15bc. 17
Ev Lc 4, 14-22a

* Na Ordem de São Domingos – S. Raimundo de Penaforte, presbítero – MO
* Na Congregação da Missão e na Companhia das Filhas da Caridade – B. Lindalva Justo de Oliveira, virgem e mártir – MO

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Jo l, l
No princípio, antes da criação do universo,
o Verbo era Deus.
Ele dignou-Se nascer para salvar o mundo.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor, que por meio do vosso Filho manifestastes a todos os povos a luz da sabedoria eterna, concedei aos vossos fiéis que, iluminados plenamente pelo esplendor da redenção de Cristo e progredindo sempre no conhecimento da verdade, alcancem a claridade da vossa glória. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I 1 Jo 4, 19 – 5, 4
«Quem ama a Deus ame também o seu irmão»

Quem tem fé em Jesus Cristo torna-se filho de Deus, nasce de Deus. Por isso, quem ama a Deus ame também os seus filhos, que são nossos irmãos. Amor de Deus e amor do próximo andam sempre juntos. A fé está na base deste amor, a fé que torna o homem vitorioso sobre o mundo, como Jesus foi vitorioso sobre o Mundo (Jo 16, 33).

Leitura da Primeira Epístola de São João
Caríssimos: Nós devemos amar, porque Deus nos amou primeiro. Se alguém disser: «Amo a Deus» e odiar o seu irmão, é mentiroso. Quem não ama o seu irmão, que vê, não pode amar a Deus, que não vê. É este o mandamento que recebemos d’Ele: quem ama a Deus ame também o seu irmão. Quem acredita que Jesus é o Messias nasceu de Deus e quem ama Aquele que gerou ama também o que d’Ele nasceu. Nós sabemos que amamos os filhos de Deus quando amamos a Deus, cumprindo os seus mandamentos, porque o amor de Deus consiste em guardar os seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados, porque todo o que nasceu de Deus vence o mundo. E esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 71 (72), 2.14.15bc.17 (R. cf. 11)
Refrão: Virão adorar-Vos, Senhor,
todos os povos da terra. Repete-se

Deus, concedei ao rei o poder de julgar
e a vossa justiça ao filho do rei.
Ele governará o vosso povo com justiça
e os vossos pobres com equidade. Refrão

Ele os libertará da opressão e da violência
e o sangue deles será precioso a seus olhos;
por ele hão-de rezar sempre
e todos os dias o bendirão. Refrão

O seu nome será eternamente bendito
e durará tanto como a luz do sol;
nele serão abençoadas todas as nações,
todos os povos da terra o hão-de bendizer. Refrão


ALELUIA Lc 4, 18
Refrão: Aleluia Repete-se
O Senhor enviou-me a anunciar aos pobres a boa nova,
a proclamar aos cativos a redenção. Refrão


EVANGELHO Lc 4, 14-22a
«Cumpriu-se hoje esta passagem da Escritura»

Esta passagem apresenta a primeira pregação de Jesus. Foi em Nazaré e numa celebração litúrgica. Jesus, segundo o uso da Sinagoga, fez a leitura, e depois a homilia. Aplicando a Si próprio a passagem do profeta que acabava de ler, Jesus manifesta-Se como sendo Ele mesmo o Ungido de Deus, o Messias, o Cristo esperado desde os tempos antigos. A sua homilia foi aqui, pela primeira vez, a proclamação do Evangelho na celebração litúrgica.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus voltou para a Galileia, com a força do Espírito, e a sua fama propagou-se por toda a região. Ensinava nas sinagogas e era elogiado por todos. Foi então a Nazaré, onde Se tinha criado. Segundo o seu costume, entrou na sinagoga a um sábado e levantou-Se para fazer a leitura. Entregaram-Lhe o livro do profeta Isaías e, ao abrir o livro, encontrou a passagem em que estava escrito: «O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para anunciar a boa nova aos pobres; Ele Me enviou a proclamar a redenção aos cativos e a vista aos cegos, a restituir a liberdade aos opri¬midos e a proclamar o ano da graça do Senhor». Depois enrolou o livro, entregou-o ao ajudante e sentou-Se. Estavam fixos em Jesus os olhos de toda a sinagoga. Começou então a dizer-lhes: «Cumpriu-se hoje mesmo esta passagem da Escritura que acabais de ouvir». Todos davam testemunho em seu favor e se admiravam da mensagem da graça que saía da sua boca.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai, Senhor, a oblação que trazemos ao vosso altar nesta admirável permuta de dons, de modo que, oferecendo-Vos o que nos destes, mereçamos receber-Vos a Vós mesmo. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Jo 3, 16
Deus amou tanto o mundo que lhe deu o seu Filho Unigénito.
Quem acredita n’Ele tem a vida eterna.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Concedei-nos, Deus todo-poderoso, que a nossa vida seja cons¬tantemente fortalecida pela comunhão nos vossos santos mistérios. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. RAIMUNDO DE PENHAFORTE, presbítero

 

 

Martirológio

São Raimundo de Penhaforte, presbítero da Ordem dos Pregadores, que foi exímio na ciência do Direito Canónico, escreveu obras de sólida doutrina e grande proveito sobre o sacramento da Penitência e, eleito mestre geral da sua Ordem, preparou para ela a redacção das novas Constituições. Em idade avançada, faleceu piedosamente em Barcelona, cidade da Espanha.

 

2.   Em Melitene, na Arménia, hoje Malatya, na Turquia, São Polieucto, mártir, que, sendo soldado, constrangido pelo edito do imperador Décio a sacrificar aos deuses, quebrou as estátuas; por isso suportou muitos tormentos e, finalmente degolado, foi baptizado com o derramamento do seu sange.

3.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, a paixão de São Luciano, presbítero e mártir da Igreja de Antioquia, célebre pela sua sabedoria e eloquência, que, levado ao tribunal para contínuas interrogações acompanhadas de torturas, persistiu intrepidamente em declarar-se cristão.

4*.   Em Passau, no Nórico, na actual Baviera, comemoração de São Valentim, bispo da Récia.

5.   Em Pavia, na Ligúria, região da Itália, São Crispim, bispo.

6*.   Em Chur, no território da Helvécia, actual Suíça, São Valentiniano, bispo, que socorreu os pobres com os seus bens, pagou o resgate de cativos e distribuiu vestes aos mais necessitados.

7*.   Em Solignac, junto de Limoges, na Aquitânia, hoje na França, São Tilo, discípulo de Santo Elói, que foi artesão e monge.

8*.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, São Ciro, bispo, que, sendo monge na Paflagónia, foi elevado à sede de Constantinopla, da qual foi depois expulso, morrendo no exílio.

9*.   Em Le Mans, na Gália, hoje na França, Santo Alderico, bispo, que se dedicou com grande ardor ao culto de Deus e dos Santos.

10.   Na floresta próxima de Ringsted, na Dinamarca, São Canuto Lavard, que, sendo duque de Schleswig, governou com prudência e bondade o principado e fomentou a piedade do seu povo, mas foi assassinado pelos inimigos que invejavam a sua autoridade.

11.   Em Palermo, na Sicília, hoje região da Itália, o passamento do Beato Mateus Guimerá, bispo de Agrigento, da Ordem dos Menores, singularmente dedicado ao culto e à exaltação do Santíssimo Nome de Jesus.

12*.   Em Suzuta, no Japão, o Beato Ambrósio Fernandes, mártir, que partiu para o Oriente à procura de comércio e lucro, mas, conquistado pelo fervor da vida cristã foi admitido como religioso na Companhia de Jesus e, depois de ter padecido muitas privações, morreu por Cristo no cárcere.

13.   Em An Bai, localidade do Tonquim, hoje Vietnam, São José Tuân, mártir, que, sendo pai de família e agricultor, morreu degolado no tempo do imperador Tu Duc, por se ajoelhar e orar diante duma cruz, em vez de a calcar aos pés como lhe tinha sido ordenado.

14.   Em Liège, na Bélgica, a Beata Maria Teresa do Sagrado Coração (Joana Haze), virgem, que fundou a Congregação das Filhas da Cruz, destinada ao serviço dos mais débeis e dos pobres.