Liturgia diária

Agenda litúrgica

2020-09-05

SÁBADO da semana XXII

Santa Maria no Sábado – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 1 Cor 4, 6b-15; Sal 144 (145), 17-18. 19-20. 21
Ev Lc 6, 1-5

* Na Ordem de São Domingos – Aniversário dos familiares e benfeitores falecidos da Ordem.
* Na Congregação das Missionárias da Caridade – S. Teresa de Calcutá, virgem e Fundadora da Congregação – SOLENIDADE
* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 85, 3.5
Tende compaixão de mim, Senhor,
que a Vós clamo o dia inteiro.
Vós, Senhor, sois bom e indulgente,
cheio de misericórdia para àqueles que Vos invocam.


ORAÇÃO COLECTA
Deus do universo, de quem procede todo o dom perfeito,
infundi em nossos corações o amor do vosso nome
e, estreitando a nossa união convosco,
dai vida ao que em nós é bom
e protegei com solicitude esta vida nova.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos pares) 1 Cor 4, 6b-15
«Suportamos a fome e a sede e andamos mal vestidos»

É um perigo, sempre presente em todos os tempos, confundir o pregador com a mensagem que ele é chamado a anunciar, e, mais ainda, não reconhecer naquele que é enviado a missão de quem o envia e daí nascerem oposições e divisões, que, no caso do anúncio da Palavra de Deus, muito dificultam a aceitação dessa Palavra e da mensagem que ela pretende fazer chegar a quem a escuta. São Paulo encontrou, por vezes, opositores à sua missão, fruto do orgulho, que facilmente leva à divisão. Daí que o Apóstolo, que era para os Coríntios como que o seu pai na fé, agora lhes pode lembrar tudo o que fez por eles. A linguagem é aqui intencionalmente irónica, mas a intenção é procurar levá-los a reconhecer o amor que Deus tinha por eles.

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo
aos Coríntios
Irmãos: Aprendei de mim e de Apolo a sentença: «não se deve ir além do que está escrito», para que nenhum de vós se encha de orgulho, tomando partido de um contra o outro. Pois quem te considera superior aos demais? Que possuis que não tenhas recebido? E, se o recebeste, porque te orgulhas, como se não o tivesses recebido? Já estais saciados, já estais ricos! Sem nós vos tornastes reis! Quem dera que vos tivésseis tornado reis, para nós reinarmos também convosco! Na verdade, parece-me que Deus nos expôs a nós, os Apóstolos, no último lugar, como homens condenados à morte, porque nos tornámos espectáculo para o mundo, para os Anjos e para os homens. Nós somos loucos por causa de Cristo, vós sábios em Cristo; nós somos fracos, vós sois fortes; vós sois honrados, nós desprezados. Ainda agora, suportamos a fome e a sede, andamos mal vestidos, somos maltratados, não temos morada certa e cansamo-nos a trabalhar com as próprias mãos. Insultam-nos e abençoamos; perseguem-nos e suportamos; somos difamados e respondemos com bondade. Temos sido considerados até ao presente como o lixo deste mundo, como a escória da humanidade. Não é para vos envergonhar que vos escrevo estas palavras, mas para vos advertir como a filhos caríssimos. Na verdade, podíeis ter dez mil tutores em Cristo, mas não tendes muitos pais; e fui eu que vos fiz nascer, por meio do Evangelho, como membros de Cristo Jesus.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 144 (145), 17-18.19-20.21 (R. 18a)
Refrão: O Senhor está perto de quantos O invocam. Repete-se

O Senhor é justo em todos os seus caminhos
e perfeito em todas as suas obras.
O Senhor está perto de quantos O invocam,
de quantos O invocam em verdade. Refrão

Atende os desejos daqueles que O temem,
ouve os seus clamores e os salva.
O Senhor vela por aqueles que o amam
e extermina todos os ímpios. Refrão

Cante a minha boca os louvores do Senhor
e todo o ser vivo bendiga eternamente o seu nome santo. Refrão


ALELUIA Jo 14, 16
Refrão: Aleluia Repete-se
Eu sou o caminho, a verdade e a vida, diz o Senhor;
ninguém vai ao Pai senão por Mim. Refrão


EVANGELHO Lc 6, 1-5
«Porque fazeis o que não é permitido ao sábado?»

Na continuação da leitura do dia anterior, Jesus procura, por outro exemplo, levar os seus opositores a compreenderem que o Evangelho é mais do que uma simples lei, e que é preciso entendê-lo segundo o Espírito. Ao cumprimento exterior e material da Lei, Jesus opõe uma atitude verdadeiramente espiritual, como a que tomou David, numa hora de necessidade. Quanto ao sábado, ele era, no judaísmo do Antigo Testamento, instituição sagrada da maior importância. Era sobretudo o dia do repouso, que reproduzia, de algum modo, o repouso de Deus depois da obra da criação, na linguagem prática do Génesis, e anunciava o repouso futuro em Deus, próprio do tempo do Messias. Jesus afirma que é Ele agora quem faz encontrar o repouso em Deus, Ele que é o Senhor do sábado, e não seu súbdito.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Passava Jesus através das searas num dia de sábado e os discípulos apanhavam e comiam as espigas, debulhando-as com as mãos. Alguns fariseus disseram «Porque fazeis o que não é permitido ao sábado?». Respondeu-lhes Jesus: «Não lestes o que fez David, quando ele e os seus companheiros sentiram fome? Entrou na casa de Deus, tomou e comeu os pães da proposição, que só aos sacerdotes era permitido comer, e também os deu aos companheiros». E acrescentou; «O Filho do homem é senhor do sábado».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Santificai, Senhor, a oferta que Vos apresentamos
e realizai em nós, com o poder da vossa graça,
a redenção que celebramos nestes mistérios.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 30, 20
Como é grande, Senhor,
a vossa bondade para aqueles que Vos servem!

Ou Mt 5, 9-10
Bem-aventurados os pacíficos,
porque serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os perseguidos por amor da justiça,
porque deles é o reino dos céus.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor, que nos alimentastes com o pão da mesa celeste,
fazei que esta fonte de caridade
fortaleça os nossos corações
e nos leve a servir-Vos nos nossos irmãos.
Por Nosso Senhor.

 

Martirológio

1.   Em Porto Romano, perto do actual Fiumicino, na Itália, os santos Aconto, Nono, Herculano e Taurino, mártires.

2.   Em Cápua, na Campânia, região da Itália, São Quinto, mártir.

3.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, os santos mártires Urbano, Teodoro, Menedemo e companheiros, clérigos e leigos, que, por ordem do imperador Valente, foram metidos num barco e nele queimados em ódio à fé católica.

4.   No território de Therouanne, na Flandres, actualmente na França, São Bertino, abade de Sithieu, que foi sepultado no mosteiro por ele mesmo fundado juntamente com São Mumolino e que ficou designado com o seu nome.

5*.   Em Tortona, na Ligúria, hoje no Piemonte, região da Itália, Santo Alperto, que é considerado o fundador e primeiro abade do mosteiro de Bútrio, perto de Pavia.

6*.   Na Dalmácia, na hodierna Croácia, o Beato João o Bom de Siponto, abade, que edificou o mosteiro de São Miguel no litoral da Dalmácia, frente ao monte Gargano.

7*.   Em Ripon, na Inglaterra, o Beato Guilherme Browne, mártir, que, condenado à morte, no reinado de Jaime I, por ter induzido outras pessoas a aceitar a fé católica, foi enforcado e atrozmente esquartejado.

8*.   Num sórdido barco ancorado ao largo de Rochefort, na França, o Beato Florêncio Dumontet de Cardaillac, presbítero e mártir, que, condenado à morte por causa do sacerdócio durante a Revolução Francesa, consumou o seu martírio na enfermidade, vítima da sua grande caridade e zelo na assistência aos companheiros de cativeiro enfermos.

9.   Em Nihn Tai, cidade do Tonquim, no actual Vietnam, os santos mártires Pedro Nguyen Van Tu, presbítero da Ordem dos Pregadores, e José Huang Luong Canh, médico, que foram degolados em ódio ao nome de Cristo.

10*.   Em Calcutá, na Índia, Santa Teresa (Inês Gonhxa Bojaxhiu), virgem, natural da Albânia, que apagou a sede de Cristo abandonado na cruz assistindo com exímia caridade os irmãos mais pobres e fundou as Congregações das Missionárias e dos Missionários da Caridade, destinadas inteiramente ao serviço dos enfermos e dos abandonados.