Liturgia diária

Agenda litúrgica

2020-12-04

SEXTA-FEIRA da semana I

S. João Damasceno, presbítero e doutor da Igreja – MF
Roxo ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa da féria ou da memória, pf. I do Advento.

L 1 Is 29, 17-24; Sal 26 (27), 1. 4. 13-14
Ev Mt 9, 27-31

* Na Congregação da Paixão de Jesus Cristo – Ofício e Missa votivos da Paixão.
* Na Arquidiocese de Braga (Cidade) – I Vésp. de S. Geraldo.
* Na Ordem Franciscana (Comunidade de Braga) – I Vésp. de S. Geraldo.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA
O Senhor virá no esplendor da sua glória
visitar o seu povo e dar-lhe a paz e a vida eterna.


ORAÇÃO COLECTA
Mostrai, Senhor, o vosso poder e vinde em nosso auxílio: libertai-nos dos perigos que nos ameaçam por causa dos nossos pecados e salvai-nos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Is 29, 17-24
«Nesse dia os olhos dos cegos hão-de ver»

A renovação do povo de Deus é frequentemente apresentada em comparações tiradas da renovação da natureza e da melhoria das situações materiais ou morais. Com tais imagens exprime-se o ambiente de felicidade e de alegria, de paz e de santidade, de renovação e de restauração que o Senhor quer enviar ao seu povo, para que ele reencontre os caminhos da sabedoria.

Leitura do Livro de Isaías
Assim fala o Senhor Deus: Daqui a muito pouco tempo, não há-de o Líbano transformar-se num jardim e o jardim parecer uma floresta? Nesse dia, os surdos ouvirão ler as palavras do livro; libertos da escuridão e das trevas, os olhos dos cegos tornarão a ver. Os humildes alegrar-se-ão cada vez mais no Senhor e os mais pobres dos homens rejubilarão no Santo de Israel. O tirano deixará de existir, o escarnecedor desaparecerá e serão exterminados os que só pensam no mal: aqueles que fazem condenar os outros pelas suas palavras, os que armam ciladas no tribunal a quem promove a justiça e sem razão arruínam o justo. Por isso, o Senhor, que libertou Abraão, assim fala à casa de Jacob: ‘Doravante Jacob não terá de que se envergonhar, o seu rosto não voltará a empalidecer, porque, ao verem no meio dele os seus filhos, obras das minhas mãos, proclamarão santo o meu nome’. Proclamarão a santidade do Santo de Jacob e temerão o Deus de Israel. Os espíritos desnorteados aprenderão a sabedoria e os murmuradores hão-de aceitar a instrução».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 26 (27), 1.4.13-14 (R. 1a)
Refrão: O Senhor é a minha luz e a minha salvação. Repete-se

O Senhor é minha luz e salvação:
a quem hei-de temer?
O Senhor é protector da minha vida:
de quem hei-de ter medo? Refrão

Uma coisa peço ao Senhor, por ela anseio:
habitar na casa do Senhor todos os dias da minha vida,
para gozar da suavidade do Senhor
e visitar o seu santuário. Refrão

Espero vir a contemplar a bondade do Senhor
na terra dos vivos.
Confia no Senhor, sê forte.
Tem coragem e confia no Senhor. Refrão

ALELUIA
Refrão: Aleluia Repete-se
O Senhor virá com poder e majestade
e iluminará os olhos dos seus fiéis. Refrão


EVANGELHO Mt 9, 27-31
Dois cegos acreditam em Jesus e são curados

O que a leitura anterior anunciava, Jesus agora o realiza no Evangelho: “os olhos dos cegos tornarão a ver”. Há uma continuidade constante em toda a história da salvação, porque Deus é sempre o mesmo, e sempre igual é a sua vontade de vir ao encontro dos cegos, que somos nós todos. Estes “últimos tempos”, que Jesus inaugurou com a sua vinda no mistério de Encarnação, são particularmente significativos desta vontade de Deus sobre os homens. Curando os cegos, Jesus revela-Se como a própria luz de Deus enviada ao mundo, ao mesmo tempo que manifesta a vontade divina de iluminar a nossa cegueira. Esta luz há-de finalmente brilhar em todo o seu esplendor, quando Ele vier no fim destes nossos tempos, que o Advento prepara.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus pôs-Se a caminho e seguiram-n’O dois cegos, gritando: «Filho de David, tem piedade de nós». Ao chegar a casa, os cegos aproximaram-se d’Ele. Jesus pergun¬¬-tou-lhes: «Acreditais que posso fazer o que pedis?» Eles responde¬ram: «Acreditamos, Senhor». Então Jesus tocou-lhes nos olhos e disse: «Seja feito segundo a vossa fé». E abriram-se os seus olhos. Jesus advertiu-os, dizendo: «Tende cuidado, para que ninguém o saiba». Mas eles, quando saíram, divulgaram a fama de Jesus por toda aquela terra.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Olhai benignamente, Senhor, para as nossas humildes ofertas e orações e, como diante de Vós não temos méritos, ajudai-nos com a vossa misericórdia. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
Prefácio do Advento I: p. 396


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Filip 3, 20-21
Esperamos o nosso salvador, Jesus Cristo,
que transformará o nosso corpo mortal
à imagem do seu corpo glorioso.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Saciados com o alimento espiritual, humildemente Vos pedimos, Senhor, que, pela participação neste sacramento, nos ensineis a apreciar com sabedoria os bens da terra e a amar os bens do Céu. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. JOÃO DAMASCENO, presb. e dout. da Igreja

 

 

Martirológio

São João Damasceno, presbítero e doutor da Igreja, insigne pela sua santidade e doutrina, que lutou ardorosamente com a sua palavra e seus escritos contra o imperador Leão, o Isáurico, em defesa do culto das sagradas imagens e, tornando-se monge na laura de São Sabas, perto de Jerusalém, compôs hinos sagrados e ali morreu. O seu corpo foi sepultado neste dia.

 

2.   Comemoração de Santa Bárbara, que, segundo a tradição, foi virgem e mártir em Nicomédia, na actual Turquia.

3.   Em Alexandria, no Egipto, Santo Héraclas, bispo, discípulo de Orígenes, seu colaborador e sucessor na escola catequética, que adquiriu extraordinária fama e depois foi eleito para dirigir esta sede episcopal.

4.   Em Sebastopol, no Ponto, na hodierna Turquia, São Melécio, bispo, que, embora já famoso pela sua erudição, foi ainda mais eminente pela sua virtude e integridade de vida.

5.   Em Bolonha, na Emília-Romanha, região da Itália, São Félix, bispo, que tinha sido diácono com Santo Ambrósio na Igreja de Milão.

6*.   Em Vienne, na Gália Lionense, na actual França, Santo Apro, presbítero, que, deixando a sua pátria, construiu para si uma pequena cela e seguiu a vida solitária e penitente.

7*.   No território de Bourges, na Aquitânia, também na hodierna França, São Sigirano ou Sirano, monge, peregrino e abade de Longoret.

8*.   Em Le Mans, na Nêustria, hoje também na França, Santa Adraílde ou Ada, abadessa do mosteiro de Santa Maria.

9*.   No mosteiro de Ellwangen, na Baviera, região da Alemanha, São Sola ou Sualo, presbítero e eremita.

10.   Em Poliboto, na Frígia, na hodierna Turquia, São João, chamado o Taumaturgo, bispo, que se empenhou intensamente contra o decreto do imperador Leão o Arménio a favor do culto das sagradas imagens.

11.   No mosteiro de Siegburg, na Renânia, região da Alemanha, Santo Anónio, bispo de Colónia, homem de exímio talento, que, durante o reinado do imperador Henrique IV, teve uma actuação de grande prestígio, tanto na Igreja como nos assuntos civis e, para aumentar a fé e a piedade, fomentou a construção de muitas igrejas e mosteiros.

12.   Em Salisbury, na Inglaterra, Santo Osmundo, bispo, que, acompanhando o rei Guilherme, se trasladou da Normandia para a Inglaterra, e, promovido ao episcopado, celebrou a dedicação da igreja catedral e promoveu a administração da diocese e a dignidade do culto divino.

13.   Em Parma, na Emília-Romanha, região da Itália, São Bernardo, bispo, que, sendo monge, procurou sempre a vida de perfeição, como cardeal o bem da Igreja e como bispo a salvação das almas.

14*.   Em Sena, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, o Beato Pedro Pectinário, religioso da Ordem Terceira de São Francisco, insigne pela sua peculiar caridade para com os pobres e os enfermos, bem como pela sua vida de humildade e silêncio.

15*.   Em Edo, localidade do Japão, os beatos mártires Francisco Gálvez, presbítero da Ordem dos Frades Menores, Jerónimo de Ângelis, presbítero, e Simão Yempo, religioso, ambos da Companhia de Jesus, que foram queimados vivos em ódio à fé.

16♦.   Em Tóquio, no Japão, o Beato João Hara Mondo, religioso da Ordem Terceira de São Francisco e mártir.

17*.   Em Colónia, na Renânia da Prússia, hoje na Alemanha, o beato Adolfo Kolping, presbítero, que, ardentemente solícito para com os trabalhadores e a justiça social, fundou uma associação de jovens operários e a difundiu em muitos lugares.

18.   Em Verona, na Itália, São João Calábria, presbítero, que fundou a Congregação dos Pobres Servos e das Servas da Divina Providência.