Santos

S. JOÃO BAPTISTA DE LA SALLE, presbítero

 

Nota Histórica

Nasceu em Reims (França) no ano 1651. Ordenado sacerdote, dedicou-se principalmente à educação das crianças e à fundação de escolas para os pobres. Com os companheiros que se associaram à sua obra constituiu uma Congregação, cuja subsistência lhe causou muitas tribulações. Morreu em Ruão no ano 1719.
Comum dos Pastores da Igreja, p. 1834; ou dos Santos (Educadores), p. 1908 (l972).

 

Missa

ORAÇÃO
Deus de bondade, que escolhestes São João Baptista de La Salle para formar os jovens na vida cristã, suscitai na vossa Igreja educadores e mestres que se consagrem inteiramente à formação humana e cristã da juventude. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Liturgia das Horas

Das Meditações de São João Baptista de la Salle, presbítero

(Medit. 201) (Sec. XVIII)

O amor de Deus nos impele

Considerai o que diz o apóstolo Paulo, isto é, que Deus colocou na Igreja apóstolos, profetas e doutores, e chegareis à conclusão de que foi Ele mesmo que vos colocou no vosso cargo. Disto vos dá testemunho o mesmo santo ao declarar que são diversos os ministérios e diversas as actividades, e que é o mesmo Espírito que Se manifesta em cada um destes dons para utilidade comum, quer dizer, para utilidade da Igreja.
Não ponhais em dúvida, por conseguinte, que a graça que vos foi dada – ensinar crianças, anunciar-lhes o Evangelho e educá-las no espírito da religião – é um grande dom de Deus, porque foi Ele que vos chamou para este santo ministério.
Portanto, no vosso modo de ensinar, comportai-vos de tal maneira que as crianças entregues aos vossos cuidados vejam que exercitais a vossa actividade como ministros de Deus, com caridade sincera e fraterna diligência. Além disso, deveis pensar que no cumprimento do vosso dever sois não só ministros de Deus, mas também de Jesus Cristo e da Igreja.
Assim o afirma São Paulo, quando exorta que todos devem considerar como ministros de Cristo os que anunciam o Evangelho, os que escrevem aquela carta, ditada pelo mesmo Cristo, não com tinta mas com o Espírito de Deus vivo, não em tábuas de pedra mas nas tábuas de carne do coração, que são os corações das crianças. É o amor de Deus que vos impele, porque Jesus Cristo morreu por todos, a fim de que os que vivem não vivam já para si mesmos, mas para Aquele que por eles morreu e ressuscitou. Deste modo, os vossos discípulos, estimulados pela vossa diligência e solicitude, hão-de sentir que é Deus que os exorta por meio de vós, porque actuais como embaixadores de Cristo.
É necessário, além disso, que mostreis um grande amor à Igreja e lhe deis provas da vossa diligência. De facto, vós trabalhais pela Igreja, que é o Corpo de Cristo. Demonstrai então, com a vossa diligência, que amais aqueles que Deus vos entregou, como Cristo amou a Igreja.
Esforçai-vos por que os vossos alunos cheguem efectivamente a fazer parte deste templo e se tornem dignos de se apresentarem um dia no tribunal de Jesus Cristo, gloriosos, sem mancha nem ruga nem coisa semelhante, a fim de que se manifestem às gerações futuras as abundantes riquezas da graça que Deus lhes concedeu por meio de vós. De facto, é o Senhor que lhes dá a eles a graça de aprender e a vós a de os ensinar e educar, para que recebam a herança no reino de Deus e de Jesus Cristo Nosso Senhor.