Santos

S. CLEMENTE I, papa e mártir

 

Nota Histórica

Clemente foi o terceiro sucessor de Pedro no governo da Igreja de Roma, no final do século I. Escreveu uma importante carta aos Coríntios para restabelecer entre eles a paz e a concórdia.

 

Missa

ORAÇÃO
Deus eterno e omnipotente, que em todos os Santos manifestais o vosso poder admirável, dai nos a graça de celebrar com alegria a festa de São Clemente, sacerdote e mártir de Cristo, que provou com o exemplo da sua vida a doutrina que pregava e confirmou com o testemunho da sua morte os mistérios que celebrava. Por Nosso Senhor.

 

Liturgia das Horas

Da Carta de São Clemente I, papa, aos Coríntios

(Cap. 35, 1-5; 36, 1-2; 37, 1.4-5; 38, 1-2.4: Funk 1, 105-109) (Sec. I)

Os dons de Deus são admiráveis

Irmãos, como são preciosos e admiráveis os dons de Deus! A vida na imortalidade, o esplendor na justiça, a verdade na liberdade, a fé na confiança, a continência na santidade: tudo isto está ao alcance da nossa inteligência. Que será então o que está preparado para aqueles que O esperam? Só o Criador e Pai dos séculos, o Santíssimo, só Ele conhece o seu número e a sua beleza. Lutemos, portanto, com denodado esforço para sermos contados no número dos que esperam n’Ele, a fim de sermos participantes dos dons prometidos.
Como alcançar isto, irmãos? Podemos alcançá lo, se o nosso pensamento estiver arraigado em Deus pela fé, se procurarmos com diligência o que Lhe é agradável e aceite, se praticarmos o que estiver de acordo com a sua vontade santa e seguirmos o caminho da verdade, afastando de nós toda a injustiça e perversidade, toda a avareza e rivalidade, toda a malícia e engano.
O caminho, irmãos, em que encontramos a nossa salvação é Jesus Cristo, sumo sacerdote das nossas oblações, advogado e protector da nossa fragilidade. Por Ele fixamos o nosso olhar nas alturas do Céu; por Ele contemplamos, como num espelho, a face imaculada e soberana de Deus; por Ele se abrem os olhos do nosso coração; por Ele se abre para a luz a nossa inteligência obscurecida; por Ele o Senhor quis dar nos a saborear o conhecimento imortal, Ele que, sendo o esplendor da majestade de Deus, é tão superior aos Anjos quanto mais excelente é o nome que recebeu em herança.
Por isso, irmãos, militemos com toda a valentia sob as suas ordens justíssimas. Os grandes não podem subsistir sem os pequenos nem os pequenos sem os grandes. Em todas as coisas há uma certa mistura e daí a sua utilidade. Sirva nos de exemplo o nosso próprio corpo. A cabeça nada é sem os pés, nem os pés sem a cabeça; os mais pequenos membros do nosso corpo são necessários e úteis a todo o corpo; de facto, todos os membros cooperam e se subordinam mutuamente.
Conservemos pois o nosso corpo íntegro em Jesus Cristo e submeta se cada um ao seu próximo conforme o dom que por graça lhe foi concedido. O forte cuide do fraco e o fraco respeite o forte; o rico socorra o pobre e o pobre louve o Senhor por lhe ter dado quem remedeie a sua necessidade. O sábio manifeste a sua sabedoria não com palavras mas com boas obras; o humilde não dê testemunho de si próprio, mas deixe que os outros o façam por ele. Portanto, já que recebemos d’Ele todos estes dons, devemos dar Lhe graças por todos eles. A Ele glória pelos séculos dos séculos. Amen.