Santos

S. JOÃO DE BRÉBEUF e S. ISAAC JOGUES, presbíteros, e COMPANHEIROS, mártires

 

Nota Histórica

Entre os anos 1642 e 1649, oito membros da Companhia de Jesus (seis sacerdotes e dois irmãos coadjutores), que evangelizavam a parte setentrional da América, foram mortos, depois de terríveis tormentos, pelos indígenas hurões e iroqueses. Isaac Jogues foi martirizado no dia 18 de Outubro de 1647 e João de Brébeuf no dia 16 de Março de 1648.

 

Missa

ORAÇÃO
Senhor, que consagrastes as primícias da fé nas regiões da América do Norte com a pregação e o sangue dos vossos mártires São João de Brébeuf, Santo Isaac Jogues e seus companheiros, fazei que, por sua intercessão, a Igreja floresça e frutifique em todo o mundo. Por Nosso Senhor.

 

Liturgia das Horas

Dos Escritos Espirituais de São João de Brébeuf,
presbítero e mártir

(The Jesuit Relations and Allied Documents, The Burrow Brothers
C.º, Cleveland 1898, 164-166) (Sec. XVII)

Não morrerei senão por Vós, Jesus,
que Vos dignastes morrer por mim

Durante dois dias consecutivos senti grande desejo do martírio e queria suportar todos os tormentos que os mártires padeceram.
Jesus, meu Senhor e Salvador, como poderei pagar Vos todos os benefícios que me concedestes? Das vossas mãos tomarei o cálice dos vossos sofrimentos e invocarei o vosso nome. Na presença de vosso Eterno Pai e do Espírito Santo, de vossa Mãe santíssima e de seu castíssimo Esposo, diante dos Anjos, dos Apóstolos e dos Mártires, do meu Pai Santo Inácio e de São Francisco Xavier, faço voto, Jesus meu Salvador, de nunca recusar, quanto de mim dependa, a graça do martírio, se pela vossa infinita misericórdia Vos dignardes concedê la algum dia a este vosso indigno servo.
Obrigo me assim, para o que me restar de vida, a não ter por lícito ou livre recusar as ocasiões de morrer e de derramar o sangue por Vós, a não ser que alguma vez esteja convencido de que nesse momento convirá proceder de outro modo para vossa maior glória. Além disso, quando chegar o momento da morte, comprometo me também a recebê la das vossas mãos com o maior contentamento e alegria do coração. Por isso, meu amável Jesus, ofereço Vos desde já, com a mais profunda satisfação espiritual o meu sangue, o meu corpo e a minha vida, para que não morra senão por Vós, se me concederdes essa graça, já que Vos dignastes morrer por mim. Fazei que eu viva de tal modo que mereça alcançar essa graça de morrer tão felizmente. Assim, meu Deus e meu Salvador, tomarei das vossas mãos o cálice dos vossos sofrimentos e invocarei o vosso nome: Jesus! Jesus! Jesus!
Meu Deus, como tenho pena de que não sejais ainda conhecido nesta terra, que esta região selvagem ainda não esteja inteiramente convertida a Vós e que o pecado ainda não tenha sido completamente exterminado aqui! Pela minha parte, meu Deus, se vierem sobre mim todos os tormentos e toda a crueldade dos suplícios que os prisioneiros podem sofrer neste país, eu me ofereço de todo o coração para suportar, em mim só, todos esses sofrimentos.