Martirológio Romano

Nov 22, 2017

 

Memória de Santa Cecília, virgem e mártir, que, segundo a tradição, alcançou a dupla palma da virgindade e do martírio por amor de Cristo, em Roma, no cemitério de Calisto, junto à Via Ápia. Desde a antiguidade, tem o seu nome o título de uma basílica no Transtêvere.

 

(† data inc.)

2.   Comemoração de São Filémon de Colossos, na actual Turquia, cujo amor a Jesus Cristo foi causa de alegria para São Paulo; juntamente com ele é venerada sua esposa, Santa Ápia.

3.   Em Arbela, na Pérsia, hoje Erbil, no Iraque, Santo Ananias, mártir, que, no tempo do rei Sapor II, por ordem do arquimago Ardisag foi feito prisioneiro e por três vezes espancado com tal crueldade, que os verdugos, julgando-o já morto, o deixaram caído na praça; mas de noite os cristãos levaram-no para sua casa, onde entregou a alma a Deus.

(† 345)

4.   Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, região da Itália, São Benigno, bispo, que na grande perturbação causada pelas invasões, administrou com grande zelo e piedade a Igreja que lhe foi confiada.

(† c. 470)

5.   Em Autun, na Gália Lionense, na hodierna França, São Pragmácio, bispo.

(† c. 517)

6*.   Junto ao rio Zihun, perto de Maras, cidade da Cilícia, no território actual da Turquia, os beatos Salvador Lillo, presbítero da Ordem dos Frades Menores, João, filho de Balzi, e outros seis companheiros[1] naturais da Arménia, mártires, que, perante a imposição dos soldados otomanos para renegarem Cristo, recusaram trair a sua fé e, trespassados pelas lanças, emigraram para o reino eterno.

 


[1]  São estes os seus nomes: K´adir, filho de Xodianin; Cerun, filho de K´urazi; Vardavar, filho de Dimbalac; Paulo, filho de Jeremias; David e Teodoro, irmãos, filhos de David.

 

(† 1895)

7*.   Na localidade de Triora, na Ligúria, região da Itália, o Beato Tomás Réggio, bispo de Génova, que, associando a austeridade de vida a uma admirável afabilidade, conseguiu estabelecer a concórdia entre os cidadãos e assistiu com todos os meios os indigentes, atendendo especialmente aos problemas da convivência humana.

(† 1901)

8.   Em Teocaltitlan, cidade do México, São Pedro Esqueda Ramírez, presbítero e mártir, que, durante a perseguição mexicana, por ser sacerdote foi encarcerado e fuzilado.

(† 1927)

9*.   Em Paterna, cidade da província de Valência, na Espanha, os beatos Elias (Julião Torrijo Sánchez) e Beltrão Francisco (Francisco Lahoz Moliner), religiosos da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártires, que, animados pelo exemplo de Cristo, durante a perseguição religiosa mereceram alcançar o prémio eterno prometido aos que perseveram na fé.

(† 1936)

10♦.   Em Orfans, perto de Gerona, também na Espanha, o Beato Fernando Maria  (Fernando Maria Llovera Puigsech), presbítero da Ordem dos Carmelitas e mártir, que, na mesma perseguição contra a fé, recebeu a coroa de glória.

(† 1936)