Martirológio Romano

Apr 28, 2017

 

São Pedro Chanel, presbítero da Sociedade de Maria e mártir, que se dedicou ao ministério das povoações rurais e à instrução das crianças; depois, enviado com alguns companheiros para a evangelização da Oceania ocidental, chegou à ilha Futuna, onde ainda nenhuma comunidade cristã tinha sido constituída; apesar das dificuldades de toda a espécie, com a sua singular mansidão conseguiu converter à fé alguns habitantes da ilha, entre eles o filho do próprio rei, que, enfurecido, o mandou matar, fazendo dele o primeiro mártir da Oceania.

 

(† 1841)

São Luís Maria Grignion de Montfort, presbítero, que percorreu as regiões ocidentais da França a anunciar o mistério da Sabedoria Eterna; fundou Congregações, pregou e escreveu obras sobre a cruz de Cristo e sobre a verdadeira devoção à Virgem Maria e reconduziu muita gente a uma vida de penitência; finalmente, em Saint-Laurent-sur-Sèvre, localidade da França, descansou da sua peregrinação terrena.

 

(† 1716)

3.   Em Biterra, na Gália Narbonense, hoje Béziers, na França, Santo Afrodísio, venerado como o primeiro bispo desta cidade.

(† data inc.)

4.   Em Nicomédia, hoje Izmit, na Turquia, os santos Eusébio, Caralampo e companheiros, mártires.

(† data inc.)

5.   Em Ravena, na Flamínia, hoje na Emília-Romanha, região da Itália, a comemoração de São Vital, no dia em que, segundo a tradição, foi dedicada com o seu nome a célebre basílica desta cidade. Juntamente com os santos mártires Valéria, Gervásio, Protásio e Ursicino, é venerado desde tempos imemoriais por ter defendido tenazmente a sua intrépida fé cristã.

(† data inc.)

6.   Em Doróstoro, na Mésia, hoje Silistra, na Bulgária, os santos Máximo, Dada e Quintiliano, mártires durante a perseguição de Diocleciano.

(† s. IV in.)

7.   Em Tarazona, na Hispânia Tarraconense, São Prudêncio, bispo.

(† s. V/VI)

8.   Em Sulmona, nos Abruzos, região da Itália, o sepultamento de São Pânfilo, bispo de Corfínio.

(† c. 700)

9*.   Em Poggibónsi, na Etrúria, hoje na Toscana, também na Itália, o Beato Luquésio, que, depois de ter sido dominado pela avidez do lucro, se converteu e tomou o hábito da Ordem Terceira dos Penitentes de São Francisco, vendeu os seus bens e deu tudo aos pobres, dedicando-se ao serviço de Deus e do próximo em pobreza e humildade segundo o espírito evangélico.

(† 1260)

10*.   Em Sain-Laurent-sur-Sèvre, localidade da França, a Beata Maria Luísa de Jesus (Maria Luísa Trichet), virgem, a primeira religiosa a vestir o hábito da Congregação das Filhas da Sabedoria, que governou com grande prudência.

(† 1759)

11.   Em Ninh-Binh, cidade do Tonquim, hoje no Vietnam, os santos mártires Paulo Pham Khac Khoan, presbítero, João Baptista Dinh Van Thanh e Pedro Nguyen Van Hieu, catequistas, que, depois de passarem três anos presos e torturados para que negassem a fé cristã, finalmente, no tempo do imperador Minh Mang, foram degolados e alcançaram a palma do martírio.

(† 1840)

12*.   No campo de concentração de Mauthausen, na Áustria, o Beato José Cebula, presbítero da Congregação dos Missionários Oblatos da Virgem Imaculada e mártir, natural da Polónia, que, deportado da pátria para o cárcere em ódio à fé, sofreu cruéis suplícios até à morte.

(† 1941)

13.   Em Magenta, próximo de Milão, na Itália, Santa Joana Beretta Molla, mãe de família, que, trazendo um filho gerado em seu ventre, morreu antepondo a liberdade e a vida do nascituro à sua própria vida.

(† 1962)