Martirológio Romano

Sep 24, 2017

1.   Em Milão, na Transpadana, hoje na Lombardia, região da Itália, Santo Anatólio, que é considerado o primeiro bispo desta cidade.

(† s. II)

2.   Em Sedelaucum, hoje Seaulieu, no território de Autun, na França, os santos Andóquio, Tirso e Félix, mártires.

(† data inc.)

3.   Em Arvena, na Aquitânia, hoje Clermont-Ferrand, também na França, São Rústico, bispo, que, sendo presbítero nesta cidade, assumiu, com grande alegria da cidade, a honra do episcopado.

(† s. V)

4.   Em Lião, na Gália, hoje também na França, São Lopo, bispo, que antes tinha vivido como anacoreta.

(† d. 528)

5*.   Em Marselha, na Provença, também na França, Santo Isarno, abade, homem austero para consigo, mas benevolente e pacífico para com os outros, que renovou a vida regular no mosteiro de São Vítor.

(† 1043)

6.   Na Panónia, em território da actual Hungria, São Gerardo Sagredo, bispo de Csanad e mártir, que foi preceptor de Santo Emerico, príncipe adolescente, filho do rei Santo Estêvão, e morreu apedrejado junto ao rio Danúbio numa sedição de húngaros pagãos.

(† 1046)

7*.   Em Gerona, na Catalunha, região da Espanha, o Beato Dalmácio Moner, presbítero da Ordem dos Pregadores, insigne pelo seu amor à solidão e ao silêncio.

(† 1341)

8*.   Em York, na Inglaterra, os beatos mártires Guilherme Spenser, presbítero, e Roberto Hardesty, condenados à pena capital e enforcados no reinado de Isabel I, o primeiro por ser sacerdote, o segundo por lhe ter dado hospitalidade.

(† 1589)

9.   Em Nagasáki, no Japão, Santo António González, presbítero da Ordem dos Pregadores, que, enviado para o Japão com outros cinco companheiros e encarcerado pouco tempo depois, foi submetido duas vezes ao suplício da água, até que, consumido pela febre, precedeu os seus companheiros na morte, no tempo do chefe supremo Tokugawa Yemitsu.

(† 1637)

10.     Em San Severino, nas Marcas, região da Itália, São Pacífico, presbítero da Ordem dos Frades Menores, insigne pela suas penitências, amor à solidão e oração ante o Santíssimo Sacramento.

(† 1721)

11*.   Em Maribor, na Eslovénia, o Beato António Martinho Slomsek, bispo, que se dedicou com todas as suas energias ao cuidado da vida cristã das famílias, à formação do clero e à defesa da unidade da Igreja.

(† 1862)

12*.   Em Roma, a Beata Colomba Gabriel (Joana Matilde Gabriel), abadessa do mosteiro de L’viv, na Ucrânia, que, injustamente caluniada, se dirigiu para Roma, onde viveu pobre e alegre e fundou a Congregação das Irmãs Beneditinas da Caridade, além da obra social chamada Casa da Família, em favor das jovens operárias pobres ou afastadas da família.

(† 1926)

13*.   Em Ablat de la Ribera, povoação da província de Valência, na Espanha, o Beato José Raimundo Pascoal Ferrer Botella, presbítero e mártir, que padeceu o martírio durante a perseguição contra a fé cristã.

(† 1936)

14*.   Em Rotglà y Corbera, também na província de Valência, o Beato José Maria Ferrándiz Hernández, presbítero e mártir, que na mesma perseguição religiosa terminou vitoriosamente o combate da fé.

(† 1936)

15*.   Em Olleria, na mesma província de Valência, a Beata Encarnação Gil Valls, virgem e mártir, que, levando a lâmpada acesa, foi ao encontro de Cristo Esposo.

(† 1936)

16*.   Em Alcira, também na província de Valência, o Beato José Raimundo Ferragut Girbés, mártir, pai de família que morreu como vítima por Cristo na mesma perseguição contra a fé cristã.

(† 1936)

17♦.   Em Barcelona, também na Espanha, o Beato Afonso do Sagrado Coração de Maria (Afonso Arimány Ferrer), presbítero da Ordem dos Carmelitas Descalços e mártir, que, durante a perseguição contra a Igreja, foi assassinado  em ódio ao sacerdócio.

(† 1936)

18♦.   Em Málaga, também na Espanha, os beatos Manuel Gómez Contioso, presbítero, e companheiros[1] mártires, que, durante a mesma perseguição, foram assassinados em ódio à fé cristã.

 


[1]  São estes os seus nomes: Estêvão Garcia Garcia e Rafael Rodríguez Mesa, religiosos da Sociedade Salesiana.

 

(† 1936)

19♦.   Em Cuenca, também na Espanha, os beatos Melchior do Espírito Santo (Melchior Rodríguez Villastrigo), presbítero da Ordem da Santíssima Trindade e companheiros[2] mártires, que consumou egregiamente o seu combate por Cristo.

 


[2]  São estes os seus nomes: Luís de São Miguel dos Santos (Luís de Erdoíza y Zamalloa), Tiago de Jesus (Tiago Arriaga y Arríen), presbíteros, e João de Nossa Senhora do Castellar (João Francisco Joya y Corralero), religioso, todos da Ordem da Santíssima Trindade.

 

(† 1936)