Martirológio Romano

Aug 02, 2017

Santo Eusébio, primeiro bispo de Vercelas, que consolidou a Igreja em toda a região  do Piemonte, na actual Itália, e, por ter confessado a verdadeira fé do Concílio de Niceia, foi exilado pelo imperador Constâncio, primeiro para Citópolis, depois para a Capadócia e para a Tebaida; tendo regressado oito anos mais tarde à sua sede, trabalhou valorosamente para restaurar a fé contra os arianos.

 

(† 371)

São Pedro Julião Eymard, presbítero, que, depois de ter sido sacerdote diocesano e mais tarde membro da Sociedade de Maria, foi exímio apóstolo do mistério eucarístico e fundou novas Congregações, uma de clérigos e outra de religiosas, para venerarem e difundirem o culto do Santíssimo Sacramento. Morreu na localidade de La Mure, perto de Grenoble, na França, onde tinha nascido.

 

(† 1868)

3.   Na África Setentrional, na actual Tunísia, a comemoração de São Rutílio, mártir, que, mudando várias vezes de residência para fugir à perseguição e pagando por vezes o resgate com dinheiro, por fim foi inesperadamente preso e entregue ao governador; depois de ter sofrido inumeráveis suplícios, foi lançado ao fogo e coroado gloriosamente com o martírio.

(† a. 212)

4.   Em Roma, no cemitério de Calisto, Santo Estêvão I, papa, que, para afirmar claramente que a união baptismal dos fiéis com Cristo se realizava uma só vez, proibiu que os hereges que quisessem voltar à plena comunhão com a Igreja fossem de novo baptizados.

(† 257)

5.   No território de Burgos, na Hispânia, Santa Centola, mártir.

(† data inc.)

6.   Em Pádua, na Venécia, hoje na Itália, São Máximo, bispo, que é considerado sucessor de São Prosdócimo.

(† s. III-IV)

7*.   Em Marselha, na Provença, região da Gália, actualmente na França, São Sereno, bispo, que deu hospitalidade a Santo Agostinho e seus companheiros enviados pelo papa São Gregório Magno para a evangelização da Inglaterra e, quando se dirigia a Roma, morreu em Vercelas, território da actual Itália.

(† d. 601)

8*.   Em Chartres, na Nêustria, hoje também na França, São Betário, bispo.

(† c. 623)

9*.   Em Palência, na região de Castela, na Espanha, o passamento de São Pedro, bispo de Osma, que primeiramente foi monge, depois arcediago da Igreja de Toledo e finalmente eleito para a sede de Osma, pouco tempo antes libertada do domínio dos Mouros, que ele reconstituiu com grande zelo pastoral.

(† 1109)

10*.   Em Caleruega, também na região de Castela, a comemoração da Beata Joana, mãe de São Domingos, que, com grande espírito de fé, fez grandes obras de misericórdia em favor dos miseráveis e dos aflitos.

(† s. XIII in.)

11*.   Em Barbastro, também na Espanha, os beatos Filipe de Jesus Munárriz Azcona, João Díaz Nosti e Leôncio Pérez Ramos, presbíteros e mártires, que eram Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria e, durante a perseguição contra a Igreja, foram fuzilados às portas do cemitério, em ódio à vida religiosa.

(† 1936)

12*.   Também em Barbastro, o Beato Zeferino Giménez Malla, mártir, que, sendo de etnia cigana, se dedicou a promover a paz e concórdia entre o seu povo e os vizinhos, até que, durante a mesma perseguição, por ter defendido um sacerdote maltratado pelos milicianos, foi metido no cárcere e depois levado ao cemitério e fuzilado com o Rosário nas mãos, terminando assim a sua peregrinação terrena.

(† 1936)

13*.   Em Híjar, localidade próxima de Teruel, na Espanha, o Beato Francisco Calvo Burillo, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir, que na mesma perseguição contra a fé sofreu o martírio.

(† 1936)

14*.   Em Madrid, também na Espanha, o Beato Francisco Tomás Serer, presbítero da Congregação dos Terciários Capuchinhos de Nossa Senhora das Dores, que na mesma perseguição derramou o seu sangue por Cristo.

(† 1936)

15♦.   Em Pianura, na Campânia, região da Itália, o Beato Justino Maria Russolíllo, presbítero da diocese de Nápoles, fundador da Sociedade das Divinas Vocações.

(† 1955)