Martirológio Romano

Jul 16, 2017

Nossa Senhora do Carmo, que evoca o monte Carmelo, onde o profeta Elias reconduziu o povo de Israel ao culto do Deus vivo e, mais tarde, ali se retiraram alguns eremitas à procura de solidão, constituindo uma ordem de vida contemplativa sob o patrocínio da Santa Mãe de Deus.

 

2.   Em Anastasiópolis, na Galácia, na hodierna Turquia, Santo Antíoco, mártir, irmão de São Platão.

(† s. III-IV)

3.   Em Sebaste, na antiga Arménia, hoje Sivas, na Turquia, Santo Atenógenes, corepíscopo e mártir, que deixou aos discípulos um hino sobre a divindade do Espírito Santo e morreu queimado vivo por Cristo.

(† c. 305)

4*.   Em Jersey, ilha do Mar do Norte, Santo Helério, eremita, que, segundo a tradição, sofreu o martírio às mãos de piratas.

(† s. VI)

5*.   Em Maastricht, no Brabante, região da Austrásia, actualmente na Holanda, os santos Monulfo e Gondulfo, bispos.

(† s. VI/VII)

6.   Em Saintes, no Hainaut, na actual França, os santos mártires Reinilde, virgem, Grimoaldo e Gondulfo, que, segundo a tradição sofreram o martírio às mãos de salteadores.

(† c. 680)

7.   Em Córdova, na Andaluzia, região da Espanha, São Sisenando, diácono e mártir, que foi degolado pelos Mouros por causa da sua fé em Cristo.

(† 851)

8*.   No mosteiro de Chiemsee, na Baviera, região da actual Alemanha, a Beata Irmengarda, abadessa, que, desde tenra idade abandonou o fausto do palácio real e se entregou ao serviço de Deus, levando consigo muitas companheiras virgens para seguirem o Cordeiro.

(† 866)

9*.   A paixão do Beato Simão da Costa, religioso da Companhia de Jesus e o último dos mártires da nau «São Tiago», que na véspera deste dia foram assassinados em ódio à Igreja.

(† 1570)

10*.   Em Viana do Castelo, no mosteiro da Santa Cruz, em Portugal, o Beato Bartolomeu dos Mártires, bispo de Braga, cuja memória em Portugal se celebra no dia dezoito deste mês.

(† 1590)

11*.   Em Warwich, na Inglaterra, os beatos João Sugar, presbítero, e Roberto Grissold, mártires, que foram condenados à morte no reinado de Jaime I – o primeiro por ter entrado na Inglaterra como sacerdote, o segundo por tê-lo ajudado – e, atormentados com duros suplícios, alcançaram a palma do martírio.

(† 1604)

12*.   Em Cunhaú, cidade próxima de Natal, no Brasil, os beatos André de Soveral, presbítero da Companhia de Jesus, e Domingos Carvalho, mártires, que durante a celebração da Missa com um numeroso grupo de fiéis, foram dolosamente retidos na igreja e barbaramente assassinados.

(† 1645)

13*.   Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na França, os beatos Nicolau Savouret, da Ordem dos Frades Menores Conventuais, e Cláudio Béguignot, da Ordem Cartusiana, que, durante a Revolução Francesa, encarcerados na sórdida galera em ódio ao seu sacerdócio, pereceram consumidos pela enfermidade.

(† 1794)

14*.   Em Orange, na França, as beatas Amada de Jesus (Maria Rosa de Gordon) e seis companheiras[1], virgens e mártires, que, na mesma revolução, tendo-se recusado a abandonar a vida religiosa, foram condenadas à morte e receberam com alegria a palma do martírio.

 


[1]  São estes os seus nomes: Maria de Jesus (Margarida Teresa Charansol), São Joaquim (Maria Ana Béguin-Royal), São Miguel (Maria Ana Doux), Santo André (Maria Rosa Laye), Doroteia do Coração de Maria  (Doroteia Madalena Júlia de Justamond) e Madalena do Santíssimo Sacramento (Madalena Francisca de Justamont).

 

(† 1794)

15.   No território de Saint-Sauveur-le-Vicomte, na Normandia, região da França, Santa Maria Madalena Postel, virgem, que, na mesma perseguição, perante a expulsão dos sacerdotes, prestou todo o género de auxílio aos enfermos e aos fiéis e, estabelecida a paz, fundou a Congregação das Filhas da Misericórdia para a formação cristã das meninas pobres.

(† 1846)

16.   Em Lujiapo, localidade próxima de Qinghe, no Hebei, província da China, os santos Lang Yangzhi, catecúmena, e Paulo Lang Fu, seu filho, mártires, que, durante a perseguição dos «Yihetuan», porque a mãe se declarou cristã, consumaram o martírio por Cristo na sua casa devorada pelas chamas.

(† 1900)

17.   Em Zhangjiaji, localidade próxima de Ningjin, também no Hebei, Santa Teresa Zhang Hezhi, mártir, que, na mesma perseguição, foi levada ao pagode dos pagãos e, recusando-se a prestar culto aos ídolos do lugar, foi trespassada pela lança com os seus dois filhos.

(† 1900)