Martirológio Romano

Jul 15, 2017

Memória do sepultamento de São Boaventura, bispo de Albano, na Itália, e doutor da Igreja, insigne pela sua doutrina, santidade de vida e eminente actividade ao serviço da Igreja. Dirigiu com suma prudência, como ministro geral, a Ordem dos Menores, segundo o espírito de São Francisco. Soube aliar nos seus numerosos escritos a amplitude da erudição com o ardor da piedade. Quando trabalhava na preparação do Concílio de Lião II, mereceu passar à bem-aventurada visão de Deus.

 

(† 1274)

2.   Em Porto Romano, perto do actual Fiumicino, na Itália, os santos Eutrópio, Zósima e Bonosa, mártires.

(† data inc.)

3.   Em Cartago, actualmente na Tunísia, junto à Via chamada dos Cilitanos, na basílica de Fausto, o sepultamento de São Félix, bispo de Tibiuca e mártir, que, respondendo à ordem do procurador Magniliano para que lançasse ao fogo os livros da Escritura, declarou que preferia ser queimado ele mesmo em vez da Escritura divina, e imediatamente foi morto à espada pelo procônsul Anulino.

(† 303)

4.   Também em Cartago, a comemoração dos santos Catulino, diácono e mártir, em cuja honra Santo Agostinho pregou um sermão ao povo, e outros mártires cujos corpos repousam na basílica de Fausto.

(† 303)

5.   Em Alexandria, no Egipto, os santos mártires Filipe e dez crianças.

(† c. s. IV)

6.   Na ilha de Ténedo, no Helesponto, junto ao actual estreito de Dardanelos, Santo Abudémio, mártir.

(† s. IV)

7.   Em Nísibe, na Mesopotâmia, hoje Nusaybin, na Turquia, São Tiago, primeiro bispo desta cidade, que participou no Concílio de Niceia, governou em paz o seu povo e o defendeu dos ataques dos inimigos da fé.

(† 338)

8*.   Em Roermond, no Brabante, região da Austrásia, actualmente na Holanda, São Plequelmo, bispo, que, oriundo da Nortúmbria, anunciou a muitos as riquezas de Cristo.

(† c. 713)

9*.   No mosteiro de Ansbach, na Francónia, actualmente na Alemanha, São Gumberto, abade, que fundou este cenóbio na sua herdade.

(† c. 790)

10.   Na Tessália, região da Grécia, o passamento de São José, bispo de Tessalónica, irmão de São Teodoro Estudita, que, durante a vida de monge, compôs numerosos hinos e, promovido depois ao episcopado, suportou muitas e ásperas adversidades por defender a disciplina eclesiástica e o culto das sagradas imagens contra a heresia iconoclasta; finalmente foi relegado para a Tessália, onde morreu de fome.

(† 832)

11.   Em Nápoles, na Campânia, região da Itália, Santo Atanásio, bispo, que, depois de ter sofrido muito da parte do seu ímpio sobrinho Sérgio, foi expulso da sua sede episcopal e, consumido pelas tribulações, em Véroli, território dos Hérnicos, no Lácio, subiu à morada celeste.

(† 872)

12.   Em Kiev, na Rússia, actualmente na Ucrânia, São Vladimir, príncipe, que recebeu no Baptismo o nome de Basílio e trabalhou diligentemente para difundir a verdadeira fé entre os povos que governava.

(† 1015)

13*.   Em Ratzeburgo, no Holstein, na actual Alemanha, Santo Ansuero, abade e mártir, que, com outros vinte e oito monges, foi apedrejado até à morte pelos Vendos, amotinados contra os pregadores da fé cristã.

(† 1066)

14*.   Em Västeras, na Suécia, São David, bispo, que, de nacionalidade inglesa, depois de ter sido foi monge de Cluny, dali partiu para converter os Suecos a Cristo e, já ancião, morreu piedosamente no mosteiro que fundara.

(† c. 1082)

15*.   Em Breslau, na Silésia, actualmente na Polónia, o Beato Ceslau, presbítero dos primeiros irmãos da Ordem dos Pregadores, que trabalhou pelo reino de Deus na Silésia e noutras regiões da Polónia.

(† 1242)

16*.   Em Moncaliéri, localidade do Piemonte, região da Itália, o Beato Bernardo, margrave de Baden, que foi surpreendido pela morte quando se dirigia para o Oriente a fim de defender os povos cristãos depois da conquista de Constantinopla pelos inimigos.

(† 1458)

17*.   Comemoração dos beatos mártires Inácio de Azevedo, presbítero, e trinta e nove companheiros da Companhia de Jesus, que em Portugal se celebram no dia dezassete deste mês.

(† 1570)

18.   Em Campi Salentina, na Apúlia, região da Itália, São Pompílio Maria Pirróti, presbítero da Ordem dos Clérigos Regrantes das Escolas Pias, insigne pela austeridade da sua vida.

(† 1766)

19*.   Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na costa marítima da França, o Beato Miguel Bernardo Marchand, presbítero e mártir, que, durante a Revolução Francesa, por causa do seu sacerdócio foi deportado de Ruão para a prisão na esquálida galera, onde morreu consumido pela enfermidade.

(† 1794)

20.   Em Nam Dinh, cidade do Tonquim, actualmente no Vietnam, São Pedro Nguyen Ba Tuan, presbítero e mártir, que, preso pela sua fidelidade a Cristo no tempo do imperador Minh Mang, morreu de fome no cárcere.

(† 1838)

21*.   Em Paris, na França, a Beata Ana Maria Javouhey, virgem, que fundou a Congregação das Irmãs de São José de Cluny para o cuidado dos enfermos e a formação cristã da juventude feminina, obra que difundiu nas terras de missão.

(† 1851)

22.   Em My Tho, província da Cochinchina, actualmente no Vietnam, Santo André Nguyen Kim Thong Nam (Nam Thuong), mártir, que, no tempo do imperador Tu Duc, por ser catequista, foi encarcerado e depois enviado para o exílio, obrigado a caminhar preso com cadeias e carregando uma trave, até que, finalmente, consumou durante a viagem o seu martírio.

(† 1855)

23*.   Em Bielsk Podlaski, povoação da Polónia, o Beato António Beszta-Borowski, presbítero e mártir, que, durante a guerra, foi preso pelos inimigos da fé cristã e fuzilado, morrendo por Cristo.

(† 1943)