Martirológio Romano

May 21, 2017

Santos Cristóvão de Magallanes, presbítero, e companheiros[1], mártires, que, em várias regiões do México, perseguidos em ódio ao nome cristão e à Igreja católica, por terem professado a fé em Cristo Rei, alcançaram a coroa do martírio.

 


[1]  São estes os seus nomes: Romão Adame, Rodrigo Aguilar, Júlio Álvarez, Luís Batis Sáinz, Agostinho Caloca Cortés, Mateus Correa, Atilano Cruz, Miguel de la Mora, Pedro Esqueda Ramírez, Margarido Flores, José Isabel Flores, David Galván, Pedro Maldonado, Jesus Méndez, Justino Orona, Sabas Reyes, José Maria Robles, Toríbio Romo, Januário Sánchez Delgadillo, Tranquilino Ubiarco e David Uribe, presbíteros; e Manuel Morales, Salvador Lara Puente e David Roldán Lara, leigos.

 

(† 1927)

2.   Na Mauritânia, no território da actual Argélia, São Timóteo, diácono e mártir.

(† data inc.)

3.   Em Cesareia, na Capadócia, hoje Kayseri, na Turquia, São Polieuto, mártir.

(† data inc.)

4.   Comemoração dos santos mártires, homens e mulheres, que em Alexandria do Egipto, nos sagrados dias de Pentecostes, o bispo ariano Jorge, sob o governo do imperador Constâncio, mandou matar crudelissimamente ou enviar para o exílio.

(† 357/358)

5*.   Em Vannes, na Bretanha Menor, actualmente na França, a comemoração de São Paterno, bispo, que, segundo a tradição, neste dia foi ordenado bispo por São Perpétuo de Tours no concílio provincial congregado nessa cidade.

(† 460/490)

6.   Em Nice, na Provença, também na actual França, Santo Hospício, recluso, homem de admirável espírito de penitência, que predisse a chegada dos Lombardos.

(† c. 581)

7.   Em Évora, cidade da Lusitânia, hoje em Portugal, São Manços, mártir.

(† s. VI)

8*.   Em Vienne, na Borgonha, região da França, São Teobaldo, bispo, que, durante quarenta e quatro anos, dignificou esta sede episcopal com seu insigne exemplo de caridade e piedade.

(† 1001)

9*.   Em Túrku, na Finlândia, Santo Hemming, bispo, que, animado pelo seu ardente zelo pastoral, instaurou a disciplina nesta Igreja mediante as orientações de um sínodo, estimulou o estudo dos clérigos, dignificou o culto divino e promoveu a paz entre os povos.

(† 1366)

10*.   Ao largo de Rochefort, na França, o Beato João Mopinot, da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártir, que, durante a Revolução Francesa, por ser religioso, foi detido e encerrado numa pequena e sórdida barca, onde morreu vitimado pela tuberculose.

(† 1794)

11.   Em Marselha, na Provença, região da França, São Carlos Eugénio de Mazenod, bispo, que, para evangelizar os pobres, fundou o Instituto dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada e, durante quase vinte e cinco anos, ilustrou a Igreja com as suas virtudes, obras, sermões e escritos.

(† 1861)

12♦.   Em Feijão Miúdo, localidade de Rio Grande do Sul, no Brasil, os beatos Manuel Gómez González, presbítero, Adílio Daronch, mártires. 

(† 1924)