Martirológio Romano

Mar 04, 2017

São Casimiro, filho do rei da Polónia, que foi um príncipe insigne no zelo pela fé, na castidade e na penitência, na benignidade para com os pobres e na piedosa veneração da Sagrada Eucaristia e da bem-aventurada Virgem Maria, e, ainda jovem, vítima da tuberculose, na cidade de Grodno, perto de Vilna, na Lituânia, hoje na Bielorrússia, descansou piedosamente no Senhor.

(† 1484)

2.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, os santos Fócio, Arquelau, Quirino e outros dezassete mártires.

(† s. III/IV)

3*.   Em Tréveris, na Renânia da Austrásia, hoje na Alemanha, São Basino, bispo, descendente das famílias nobres do reino da Austrásia, que primeiro foi monge, depois abade de São Maximino de Tréveris, e, elevado à dignidade episcopal, aprovou a fundação do mosteiro de Ephternach, realizada por Santa Irmina.

(† 705)

4*.   Em Comáquio, na Emília-Romanha, região da Itália, Santo Apiano, monge, que, enviado do mosteiro de Pavia, seguiu nesta cidade a vida eremítica.

(† s. VIII)

5*.   No mosteiro de Cava de’ Tirréni, na Campânia, também região da Itália, São Pedro, que, depois de seguir desde a sua juventude a vida monástica, foi eleito bispo de Policastro, mas, insatisfeito com o bulício da vida mundana, regressou ao mosteiro, onde foi constituído abade e restaurou admiravelmente a observância religiosa.

(† 1123)

6*.   Em Chambéry, na Savóia, hoje na França, o Beato Humberto, terceiro conde da Sabóia, que, constrangido a abandonar o claustro para presidir à governação civil, praticou fervorosamente a vida monástica, à qual pouco tempo depois regressou.

(† 1188)

7*.   Em Londres, na Inglaterra, os beatos Cristóvão Bales, presbítero, Alexandre Blake e Nicolau Horner, mártires, que, na perseguição da rainha Isabel I, receberam ao mesmo tempo a coroa de glória.

(† 1590)

8♦   Em Vannes, na Bretanha, região da França, a Beata Maria Luísa (Isabel de Lamoignon Molé de Champlatreux), viúva, mãe de S. Luís e fundadora das Irmãs da Caridade de São Luís, que, evitando o fausto e a riqueza da sua família nobre, viveu pobre e para os pobres, e se dedicou ao ensino dos ignorantes e à educação das crianças no caminho da virtude.

(† 1825)

9*.   No cenóbio de Saint-Sauveur-le-Vicomte, na Normandia, região da França, a Beata Plácida (Eulália Viel), virgem, que resplandeceu pelo seu zelo e humildade no governo da Congregação das Escolas Cristãs da Misericórdia.

(† 1877)

10*.   Em Vicenza, na Itália, São João António Farina, bispo, que desenvolveu uma intensa e multiforme actividade pastoral e fundou o Instituto das Irmãs Mestras de Santa Doroteia Filhas dos Sagrados Corações, destinado a trabalhar na formação das jovens pobres e de todos os oprimidos e marginados.

(† 1888)

11♦.   Em Wroclaw, na Polónia, o Beato Roberto Spiske, presbítero diocesano, fundador da Congregação das Irmãs de Santa Edviges.

(† 1888)

12*.   Em Berezwecz, perto de Glebokie, cidade da Polónia, os beatos Miecislau Bohatkiewicz, Ladislau Mackowiak e Estanislau Pyrtek, presbíteros e mártires, que, durante a guerra, por causa da sua fé em Cristo foram encerrados no cárcere e fuzilados.

(† 1942)

13♦.   Em Kistarcsa, próximo de Budapeste, na Hungria, o Beato Zoltan Lajos Meszlényi, bispo de Esztergom-Budapeste e mártir.

(† 1951)