Martirológio Romano

Mar 31, 2017

1.   Em Argol, localidade da antiga Pérsia, hoje no Irão, São Benjamim, diácono, que, por persistir em pregar a palavra de Deus, no reinado de Vararáne V, torturado com canas agudas cravadas nas unhas, consumou o seu martírio.

(† c. 420)

2.   Em Roma, a comemoração de Santa Balbina, cuja basílica no monte Aventino testemunha a veneração do seu nome.

(† a. 595)

3*.   Em Colónia, na Austrásia, actualmente na Alemanha, Santo Agilolfo, bispo, ilustre pela sua pregação e santidade de vida.

(† 751/752)

4*.   Em Borgo San Donino, localidade da província de Parma, na Itália, São Guido, abade do mosteiro de Pomposa, que, depois de ter recebido muitos discípulos e construído edifícios sagrados, se consagrou inteiramente à oração, à contemplação e ao culto divino, e quis viver no ermo para se concentrar só em Deus.

(† 1046)

5*.   Em Toulouse, na França, a Beata Joana, virgem da Ordem das Carmelitas.

(† s. XIV)

6*.   Em Údine, no território de Friúli-Venézia Giúlia, região da Itália, o Beato Boaventura de Forli, presbítero da Ordem dos Servos de Maria, que, pregando em diversas regiões da Itália, exortou o povo à penitência e morreu octogenário durante uma pregação quaresmal.

(† 1491)

7*.   Em Carlisle, na Inglaterra, a comemoração do Beato Cristóvão Robinson, presbítero e mártir, que foi testemunha do martírio de São João Boste e, passado algum tempo, no reinado de Isabel I, também ele, conduzido à forca em dia desconhecido, igualmente em ódio ao sacerdócio recebeu a coroa de glória.

(† 1597)

8*.   Em Ravensbrück, localidade da Alemanha, a Beata Natália Tulasiewicz, mártir, que, durante a ocupação militar da Polónia, sua pátria, depois de ter sido encerrada num campo de concentração por sequazes duma nefasta doutrina hostil à dignidade humana e à fé, com a inalação de gás letal entregou a alma a Deus.

 

 

 

 

 

 

(† 1945)