Martirológio Romano

Dec 05, 2017

Memória dos santos Martinho de Dume, Frutuoso e Geraldo, bispos de Braga, em Portugal.

Martinho de Dume, oriundo da Panónia, da actual Hungria, homem de grande erudição, ocupou a sede episcopal de Dume e depois a de Braga. Graças ao seu zelo apostólico e à sua pregação, os Suevos abandonaram a heresia ariana e abraçaram a fé católica. Empenhou-se com ardor na erradicação dos costumes da idolatria, inclusive linguísticos, como na designação cristã dos dias da semana, e escreveu importantes opúsculos, nomeadamente de orientação moral, catequética, pastoral e de vida monástica. Com a sua virtude e sabedoria, diz Santo Isidoro de Sevilha, a Igreja floresceu na Galécia. Morreu no dia 20 de Março.

Frutuoso, de nobre família visigótica, depois de ter sido monge e fundador de cenóbios, foi eleito bispo de Dume e finalmente nomeado bispo metropolitano de Braga pelos Padres do Concílio X de Toledo, governando simultaneamente com suma prudência esta Igreja e os seus mosteiros. A sua santidade e labor apostólico estenderam-se a toda a península ibérica. Morreu no dia 16 de Abril.

Geraldo, natural da Gália, professou no mosteiro de Moissac, de onde passou para Toledo; depois foi eleito bispo de Braga, onde exerceu grande actividade na reorganização da diocese, na promoção da vida monástica, na reforma litúrgica e pastoral, na reconstrução de igrejas, bem como na aplicação da disciplina eclesiástica. Morreu neste dia 5 de Dezembro, na localidade de Bornes, quando fazia as visitas pastorais nessa distante região.

 

(† c. 579; c. 665; 1108)

2.   Em Tabessa, na Numídia, na actual Argélia, a paixão de Santa Crispina de Tagore, mãe de família, que, no tempo dos imperadores Diocleciano e Maximiano, porque se recusou sacrificar aos ídolos, por ordem do procônsul Anolino foi degolada.

(† 304)

3.   Perto de Jerusalém, São Sabas, abade, que, nascido na Capadócia, se retirou para o deserto da Judeia, onde instituiu um novo estilo de vida eremítica em sete mosteiros, que se chamaram lauras, nas quais os eremitas se reuniam sob a direcção de um superior. Viveu durante muitos anos na Grande Laura, posteriormente designada com o seu nome, resplandecendo pelo exemplo da santidade e lutando arduamente pela fé de Calcedónia.

(† 532)

4.   No cenóbio de São Pedro de Aquara, na Lucânia, hoje na Campânia, região da Itália, São Lúcido, monge.

(† c. 938)

5.   Em Mântua, na Lombardia, também região da Itália, o Beato Bartolomeu Fánti, presbítero da Ordem dos Carmelitas, que, pela sua palavra e exemplo, estimulou o coração dos fiéis ao santo amor de Deus e à devoção filial a Maria, Mãe de Deus.

(† 1495)

6.   Em Londres, na Inglaterra, São João Almond, presbítero e mártir, que, durante mais de dez anos exerceu clandestinamente o ministério pastoral, até que, no reinado de Jaime I, por causa do seu sacerdócio foi enforcado em Tyburn, não deixando de dar esmolas mesmo no patíbulo.

(† 1612)

7*.   Em Scwerin, cidade da região de Mecklenburg, na Alemanha, o passamento do Beato Nicolau Stensen, bispo titular de Ticiópolis, que, oriundo da Dinamarca, foi um dos mais notáveis investigadores das ciências naturais; mas, abraçando a fé católica, quis servir a Deus ao serviço da verdade e foi ordenado presbítero e depois bispo, desenvolvendo com grande zelo a sua missão na Europa setentrional.

(† 1683)

8*.   Em Turim, na Itália, o Beato Filipe Rináldi, presbítero da Sociedade Salesiana, que se dedicou à propagação da fé em terras de missão.

(† 1931)

9♦.   Em Guadalajara, na Espanha, o Beato Luís Martínez Alvarellos, religioso da Sociedade Salesiana e mártir, que, no tempo de perseguição religiosa, enfrentou gloriosamente o combate por Cristo.

(† 1936)

10*.   Perto de Munique, na Baviera, região da Alemanha, o Beato Narciso Putz, presbítero e mártir, que, desterrado da Polónia ocupada por um regime estrangeiro durante a guerra, foi levado para o campo de concentração de Dachau, onde morreu consumido por cruéis tormentos.

(† 1942)