Martirológio Romano

Dec 29, 2017

São Tomás Becket, bispo e mártir, que, por defender a justiça e a Igreja, foi desterrado da sede de Cantuária e da Inglaterra, regressando seis anos depois à sua pátria, onde teve ainda de sofrer muito, até que, trespassado à espada pelos guardas do rei Henrique II na igreja catedral, foi ao encontro de Cristo.

 

(† 1170)

2.   Comemoração de São David, rei e profeta, filho de Jessé de Belém, que encontrou graça diante de Deus e foi ungido com o óleo santo pelo profeta Samuel para reinar sobre o povo de Israel; trasladou a arca da aliança do Senhor para a cidade de Jerusalém, e o Senhor lhe jurou que a sua descendência permaneceria para sempre, porque dela nasceria Jesus Cristo, segundo a carne.

3.   Em Arles, na Provença, região da Gália, actualmente na França, São Trófimo, considerado o primeiro bispo desta cidade.

(† s. III)

4.   Em Cartago, na hodierna Tunísia, São Liboso, bispo de Vaga, hoje Béja, em Túnis, e mártir, que no Concílio de Cartago afirmou acerca da questão do baptismo dos hereges: «No Evangelho Cristo disse: “Eu sou a verdade”, e não “Eu sou o costume”».

(† d. 258)

5.   Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, região da Itália, São Martiniano, bispo.

(† d. 431)

6.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, São Marcelo, abade do mosteiro dos Acemetas junto ao Bósforo, onde dia e noite ininterruptamente se cantavam os salmos.

(† c. 480)

7.   Em Exmes, na Nêustria, agora na França, Santo Ebrulfo, abade do mosteiro de Ouche no tempo do rei Childeberto.

(† c. 596)

8*.   Em Palermo, na Sicília, região da Itália, o Beato Gerardo Cagnóli, religioso da Ordem dos Menores, que durante muito tempo tinha vivido como eremita.

(† 1342)

9*.   Em Londres, na Inglaterra, o Beato Guilherme Howard, mártir, que, sendo visconde de Stafford, professou a fé católica e, por isso, falsamente acusado de conspiração contra o rei Carlos II, morreu ao fio da espada por Cristo.

(†1680)

10.   Em Seul, na Coreia, os santos Benedita Hyon Kyong-nyon, viúva e catequista, e seis companheiros[1], mártires, que, depois de sofrerem muitos suplícios por causa do nome cristão, finalmente foram degolados.

 


[1]  São estes os seus nomes: Pedro Ch’oe Ch’ang-hub, catequista; Bárbara Cho Chungi, viúva de São Sebastião Nam I-gwam; Madalena Han Yong-i, viúva; Isabel Chong Chong-hye, virgem, filha de Santa Cecília Yu So-sa e irmã de São Paulo Chong Hasang; Bárbara Ko Sun-i, esposa de Santo Agostinho Pak Chong-won; e Madalena Yi Yongdog, virgem, irmã de Santa Catarina Yi.

 

(† 1839)

11*.   Em Paterna, cidade da província de Valência, na Espanha, o Beato José Aparício Sanz, presbítero e mártir, que, durante a perseguição contra a fé, derramou o seu sangue por Cristo.

(† 1936)

12*.   Em Picadero de Paterna, localidade da mesma província de Valência, os beatos Henrique João Requena, presbítero, e José Perpiñá Nácher, que travaram um nobre combate por Cristo.

(† 1936)

13*.   Em San Miguel de los Reyes, na mesma província de Valência, o Beato João Baptista Ferreres Boluda, presbítero da Companhia de Jesus e mártir, que, durante a mesma perseguição, imitando a paixão de Cristo, mereceu alcançar a glória do martírio.

(† 1936)