Martirológio Romano

Dec 20, 2017

1.   Em Roma, no cemitério de Calisto, junto à Via Ápia, o sepultamento de São Zeferino, papa, que presidiu à Igreja Romana durante dezoito anos e encomendou ao seu diácono Calisto o encargo de construir para a Igreja Romana este cemitério.

(† 217/218)

2.   Também em Roma, junto à Via Salária Antiga, no cemitério “ad Septem Palumbas”, São Liberal, mártir, que, segundo a tradição, tinha exercido o ofício de cônsul.

(† data inc.)

3.   Em Antioquia, na Síria, hoje Antakya, na Turquia, São Filogónio, bispo, que, chamado por vontade divina da profissão do ofício de advogado ao governo desta Igreja, foi um dos primeiros que, juntamente com o bispo Santo Alexandre e seus companheiros, combateram contra Ario pela fé católica, e descansou no Senhor cumulado de méritos. São João Crisóstomo celebra-o com um eloquente panegírico.

(† 324)

4*.   No território do Jura Helvético, junto ao rio Doubs, na actual Suíça, Santo Ursicino, discípulo de São Columbano, que, levando vida eremítica na solidão, depois de ser descoberto induziu muitos a seguir o mesmo género de vida.

(† c. 620)

5.   No mosteiro de Silos, em Castela, região da Espanha, São Domingos, abade, que, depois de ter sido eremita, restaurou este mosteiro arruinado, restabeleceu a observância e promoveu o louvor divino dia e noite.

(† 1073)

6*.   Em Torre del Greco, perto de Nápoles, na Campânia, região da Itália, o Beato Vicente Romano, presbítero, que, sendo pároco, se dedicou com todas as suas forças à educação das crianças e às necessidades dos operários e dos pescadores.

(† 1831)

7*.   No campo de concentração de Sachsenhausen, na Alemanha, o Beato Miguel Piaszczynski, presbítero e mártir, que, sendo natural da Polónia, foi encarcerado nesta prisão estrangeira por causa da fé e, superados os suplícios, partiu para a glória celeste.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(† 1940)