Martirológio Romano

Dec 14, 2017

Memória de São João da Cruz, presbítero da Ordem dos Carmelitas e doutor da Igreja, que, persuadido por Santa Teresa de Jesus, foi o primeiro entre os irmãos a empreender a reforma da sua Ordem, por ele conseguida através de muitos trabalhos, obras e árduas tribulações. Como revelam os seus escritos, buscando uma vida escondida em Cristo e deixando-se abrasar na chama do amor de Deus, subiu através da noite escura da alma ao monte de Deus. Finalmente em Úbeda, na Andaluzia, região da Espanha, descansou no Senhor.

 

(† 1591)

2.   Em Alexandria, no Egipto, a comemoração dos santos Herão, Arsénio e Isidoro, com Dióscoro, adolescente de doze anos de idade, mártires durante a perseguição de Décio. Quando o juiz viu os três primeiros suportar os diversos suplícios com a mesma constância na fé, mandou lançá-los à fogueira; mas a São Dióscoro, depois de ter sido repetidamente flagelado, mandou diferir a sua morte.

(† 250)

3.   Em Apolónia, na Bitínia, na hodierna Turquia, os santos Tirso, Lêucio, Calínico e companheiros, mártires, que, segundo a tradição, sofreram o martírio no tempo do imperador Décio.

(† c. 250)

4.   Em Antioquia, na Síria, hoje Antakya, na Turquia, Santa Dróside, mártir, que, segundo a afirmação de São João Crisóstomo, foi queimada viva.

(† s. III/IV)

5.   Em Ascalon, na Palestina, os santos Arésio, Promo e Elias, mártires, que, partindo do Egipto para a Cilícia a fim de visitar e ajudar os confessores de Cristo na perseguição do imperador Maximino, foram capturados em Cesareia e, depois de lhes tirarem atrozmente os olhos e os pés, foram levados para Escalon, onde, por ordem do governador Firmiliano, consumaram o martírio: Arésio foi queimado vivo e os outros degolados.

(† 308/309)

6.   Em Pavia, na Ligúria, agora na Lombardia, região da Itália, São Pompeu, bispo, que, tendo sucedido a São Ciro durante poucos e pacíficos anos, descansou no Senhor.

(† s. IV)

7.   Em Reims, na Gália Bélgica, actualmente na França, a paixão de São Nicásio, bispo, que foi assassinado numa incursão de pagãos, juntamente com sua irmã Eutrópia, virgem consagrada a Cristo, Florêncio, diácono, e Jucundo, diante da porta da basílica que ele tinha edificado.

(† 407)

8.   Em Nápoles, na Campânia, região da Itália, Santo Agnelo, abade do mosteiro de São Gaudioso.

(† c. 596)

9*.   Em Poitiers, na Aquitânia, hoje na França, São Venâncio Fortunato, bispo, que escreveu as gestas de muitos santos e honrou com excelentes hinos a santa Cruz.

(† d. 600)

10*.   No território dos Morinos, na Gália setentrional, hoje também na França, São Folcuíno, bispo de Therouanne.

(† 855)

11*.   Em Orvieto, na Toscana, hoje na Úmbria, região da Itália, o Beato Boaventura de Pistóia, presbítero da Ordem dos Servos de Maria, que, movido pela pregação de São Filipe Benízi, o ajudou a restabelecer a paz entre as facções em muitas cidades da Itália.

(† c. 1315)

12.   Em Klifane, localidade do Líbano, São Nimatulácio al-Hardini (José Kassab), presbítero da Ordem Libanesa dos Maronitas, que se dedicou aos estudos teológicos, à formação da juventude e ao trabalho pastoral, mantendo sempre um eminente espírito de oração e penitência.

(† 1858)

13*.   Em Aachen, na Alemanha, a Beata Francisca Schervier, virgem, que se dedicou com solicitude ao cuidado dos pobres, dos enfermos e dos atribulados e fundou a Congregação das Irmãs dos Pobres de São Francisco para acudir às necessidades dos indigentes.

(† 1876)

14*.   Em Barcelona, na Espanha, o Beato Protásio (António Cubells Minguell), religioso da Ordem de São João de Deus e mártir, que, durante a perseguição contra a Igreja, foi morto em ódio à religião.

(† 1936)