Martirológio Romano

Nov 06, 2017

São Nuno de Santa Maria (Nuno Álvares Pereira), religioso, que, depois de ter comandado a defesa do reino, foi recebido entre os irmãos da Ordem dos Carmelitas, onde levou uma vida pobre e escondida em Cristo. Tinha uma admirável piedade para com a Santíssima Virgem Maria, sentia grande satisfação em desempenhar os ofícios mais humildes na casa de Deus e mostrou sempre grande compaixão e liberalidade para com os pobres. Morreu em Lisboa, cidade de Portugal, no Convento do Carmo por ele fundado, no domingo da Ressurreição.

 

(† 1431)

2.   Em Toniza, na Numídia, hoje Túnis, na Tunísia, São Félix, mártir, ao qual Santo Agostinho parece referir-se, quando fala ao povo, dizendo: «Verdadeiramente feliz no nome e na coroa; confessou a fé em Cristo e foi entregue à tortura; no dia seguinte encontraram no cárcere o seu corpo exânime».

(† s. III)

3.   Comemoração de São Paulo, bispo de Constantinopla, que, várias vezes expulso pelos arianos por manter a fé nicena e outras tantas vezes restituído à sua sede, foi por fim desterrado pelo imperador Constâncio para Cucuso, pequena povoação da Capadócia, onde, segundo a tradição, foi estrangulado por insídias dos arianos.

(† c. 351)

4.   Em Rennes, na Bretanha Menor, actualmente na França, São Melânio, bispo, que foi ao encontro do Senhor no lugar chamado «Plácium», junto ao rio Vilaine, onde tinha construído com as suas mãos uma igreja e congregado monges para o serviço de Deus.

(† d. 511)

5*.   No mosteiro de Llanilltud Fawor, na Câmbria, hoje País de Gales, lugar que tomou o seu nome, Santo Iltuto, abade, que fundou este cenóbio, onde a fama da sua santidade e exímia doutrina congregou muitos discípulos.

(† c. 540)

6.   Em Noblac, perto de Limoges, na Aquitânia, actualmente na França, São Leonardo, eremita.

(† c. s. VI)

7.   Em Jerusalém, os santos Calínico, Himério, Teodoro, Estêvão, outro Teodoro, João, outro João e mais alguns cujo nome é desconhecido, mártires, que eram todos soldados em Gaza e, quando os Sarracenos ocuparam a cidade, foram presos pelos inimigos; mas, encorajados pelo bispo São Sofrónio, confessaram a sua fé em Cristo e por isso foram degolados e alcançaram glorioso martírio.

(† 638)

8.   Em Barcelona, na Hispânia, São Severo, que, segundo a tradição, recebeu a coroa do martírio.

(† c. s. VII)

9*.   No território dos Helvécios, na Borgonha, actualmente na Suíça, São Protásio, venerado como bispo de Lausana.

(† s. VII)

10.   No território de Thérouanne, na Austrásia, hoje na França, São Vinoco, abade, que, natural da Bretanha, foi recebido por São Bertino na comunidade de monges de Sithieu e depois construiu o mosteiro de Wormhoudt, que dirigiu santamente como prior, realizando muitos trabalhos com as próprias mãos.

(† 716)

11*.   Em Apt, na Provença da Gália, também na actual França, Santo Estêvão, bispo, insigne pela sua mansidão, que foi duas vezes em peregrinação a Jerusalém e restaurou a igreja catedral.

(† 1046)

12*.   Em Le Dorat, no território de Limoges, na Aquitânia, hoje também na França, São Teobaldo, presbítero, que, sendo cónego regular, exerceu a função de ostiário da igreja e nunca saiu do cenóbio senão para assistir aos enfermos e providenciar às suas necessidades.

(† 1070)

13*.   Perto de Colónia, na Lotaríngia, na actual Alemanha, a Beata Cristina de Stolmeln, virgem, que, em plena comunhão com a paixão de Cristo, superou todas as tentações do mundo.

(† 1312)

14♦.   Em Nishizaka, no Japão, o Beato Tomás de Santo Agostinho (Tomás Ochia Jihyoe “Kintsuba”), presbítero da Ordem de Santo Agostinho.

(† 1637)