Martirológio Romano

Nov 13, 2017

1.   Em Cesareia da Palestina, a paixão dos santos mártires Antonino, Nicéforo, Zebina, Germano e Mánata, virgem. Esta última, no tempo do imperador Galério Maximino, depois de ser açoitada, foi queimada viva; os outros, porque censuraram intrépida e claramente a impiedade do prefeito Firmiliano por oferecer sacrifícios aos deuses, foram decapitados.

(† 308)

2.   Em Aix-en-Provence, na Gália Narbonense, na hodierna França, São Mítrio, que, apesar da sua condição de escravo, saiu deste mundo livre pela justiça em Cristo.

(† s. IV)

3.   Em Tours, na Gália Lionense, também na actual França, São Brício, bispo, discípulo de São Martinho, que foi sucessor do seu mestre e durante quarenta e sete anos enfrentou muitas adversidades.

(† 444)

4.   Na África Proconsular, a comemoração dos santos mártires hispanos Arcádio, Pascásio, Probo e Eutiquiano, que, por não quererem decididamente aderir à heresia ariana, por ordem de Genserico foram proscritos, depois exilados e atormentados com atrozes suplícios e finalmente assassinados com vários género de morte. Então também o pequeno Paulilo, irmão de Pascásio e de Eutiquiano, com admirável constância, não permitindo ser separado da fé católica, foi longamente açoitado e condenado à mais vil escravidão.

(† 473)

5*.   Em Vienne, na Gália Lionense, actualmente na França, São Leoniano, abade, que, trazido da Panónia cativo para esta região por gente inimiga, dirigiu santamente monges e monjas durante mais de quarenta anos, primeiro em Autun e depois em Vienne.

(† c. 518)

6.   Em Arvena, na Aquitânia, hoje Clermont-Ferrand, na França, São Quinciano, bispo, que ocupou a sede de Rodez, mas depois, exilado pelos godos, foi nomeado bispo desta cidade.

(† c. 525)

7*.   Em Città di Castello, na Úmbria, região da Itália, a comemoração dos santos Florêncio, bispo, de cuja doutrina fiel e vida santa dá testemunho o papa São Gregório Magno, e de Santo Amâncio, seu presbítero, admirável na sua caridade para com os enfermos e em todas as virtudes.

(† s. VI)

8*.   Em Rodez, na Aquitânia, na hodierna França, São Dalmácio, bispo, cuja caridade para com os pobres é louvada por São Gregório de Tours.

(† c. 580)

9*.   No vale de Suze, entre os Helvécios, na actual Suíça, Santo Himério, eremita, que pregou o Evangelho nesta região.

(† c. 612)

10.   Em Toledo, cidade da Espanha, Santo Eugénio, bispo, que se dedicou ao ordenamento da sagrada liturgia.

(† c. 657)

11*.   Na região de Cambrai, na Gália, hoje na França, Santa Maxelendes, virgem e mártir, que, segundo a tradição, escolhendo a Cristo como seu esposo e recusando o homem a quem seus pais a tinham prometido, foi por ele morta ao fio da espada.

(† 670)

12.   Em Roma, junto de São Pedro, São Nicolau I, papa, que se distinguiu pela sua energia apostólica em confirmar a autoridade do Romano Pontífice em toda a Igreja de Deus.

(† c. 867)

13*.   No mosteiro de La Réole, na Gasconha da França, o passamento de Santo Abão, abade de Fleury, admiravelmente instruído na Sagrada Escritura e nas letras humanas, que, por defender a disciplina monástica e fomentar ardorosamente a paz, morreu trespassado por uma lança.

(† 1004)

14*.   Em Ivrea, no Piemonte, região da Itália, a comemoração do Beato Varmundo, bispo, ilustre pela sua fé viva, piedade e humildade, que defendeu das insídias dos poderosos a liberdade da Igreja, construiu a catedral, fomentou a vida monástica e instituiu uma escola episcopal.

(† c. 1010/1014)

15.   Em Cremona, na Lombardia, também região da Itália, Santo Homobono, um comerciante que se tornou memorável pela sua caridade para com os pobres, por acolher e educar as crianças abandonadas e fomentar a paz entre as famílias.

(† 1197)

16.   Em Roma, Santa Agostinha Pietrantóni (Lívia Pietrantóni), virgem da Congregação das Irmãs da Caridade, que se dedicou com generosidade cristã ao cuidado dos leprosos no hospital do Espírito Santo, onde morreu apunhalada por um enfermo num ataque de furor homicida.

(† 1894)

17*.   Em Simat de Valldigna, na região de Valência, na Espanha, o Beato João Gonga Martínez, mártir, que, durante a perseguição contra a fé, derramou o seu sangue por Cristo.

(† 1936)

18*.   Em Portichol de Tavernes, perto de Carcaixent, na mesma região da Espanha, a Beata Maria do Patrocínio de São João (Maria Cinta Assunção Giner Gomis), virgem do Instituto das Irmãs de Maria Imaculada Missionárias Claretianas e mártir, que na mesma perseguição no combate da fé alcançou a vida eterna.

(† 1936)

19♦.   Em Halle an der Saale, na Saxónia, região da Alemanha, o Beato Carlos Lampert, presbítero e mártir, que depois de ter sido encarcerado três vezes por um regime inumano e hostil à religião, foi finalmente decapitado em ódio à fé cristã e ao sacerdócio.

(† 1944)

20*.   Em Sófia, na Bulgária, os beatos Pedro Vicev, Paulo (José Dzidzov) e Josafat Siskov (Roberto Mateus Siskov), presbíteros da Congregação dos Agostinhos da Assunção, que, no tempo de um regime hostil a Deus, acusados falsamente de traição e encarcerados por serem cristãos, mereceram receber pela sua morte o prémio prometido aos fiéis discípulos de Cristo.

(† 1952)