Liturgia diária

Agenda litúrgica

2020-05-29

SEXTA-FEIRA da semana VII

S. Paulo VI, papa – MF
Branco – Ofício da féria ou da memória.
Missa da féria ou da memória, pf. pascal.

L 1 Act 25, 13b-21; Sal 102 (103), 1-2. 11-12. 19-20ab
Ev Jo 21, 15-19

* Aniversário da Ordenação episcopal de D. António José Cavaco Carrilho, Bispo Emérito do Funchal (1999).
* Na Ordem dos Carmelitas Descalços – B. Elias de S. Clemente, virgem – MF
* Na Congregação Salesiana e no Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – B. José Kowalski, presbítero e mártir – MO e MF
* Na Congregação das Beneditinas da Rainha dos Apóstolos – I Vésp. de Nossa Senhora, Rainha dos Apóstolos.
* Nas Congregações e Institutos da Família Paulista – I Vésp. de Nossa Senhora, Rainha dos Apóstolos.

 

Missa

 

Sexta-feira
ANTÍFONA DE ENTRADA Ap 1, 5-6
Cristo amou-nos e purificou-nos dos nossos pecados pelo seu Sanguee fez de nós um reino de sacerdotes para Deus seu Pai. Aleluia.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor Deus, que, pela glorificação do vosso Filho e pela vinda do Espírito Santo, nos abristes as portas da vida eterna, concedei que, pela participação de tão grandes dons, sejamos mais dedicados ao vosso serviço e vivamos mais plenamente as riquezas da fé. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Actos 25, 13b-21
«Jesus que morreu e que Paulo afirma estar vivo»

De Jerusalém, Paulo foi levado, prisioneiro, para Cesareia marítima. Depois de muitas reuniões tanto de judeus como de romanos, em que aqueles não cessaram de acusar Paulo, compareceu este perante o rei Agripa, de passagem em Cesareia, e a quem o governador Festo resume a história de Paulo numa frase lapidar, cujo sentido ele evidentemente não alcançava, mas que resume toda a fé cristã: “Jesus, que morreu e que Paulo afirma estar vivo”. Desta fé, dá Paulo, agora ali, testemunho em plena sala de audiência do tribunal, antes de o dar noutro tribunal de César, em Roma, para onde apelara.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, o rei Agripa e Berenice chegaram a Cesareia e foram apresentar cumprimentos ao governador Festo. Como se demoraram ali muitos dias, Festo expôs ao rei o caso de Paulo, dizendo: «Há aqui um homem, que Félix deixou preso, e contra o qual, estando eu em Jerusalém, os príncipes dos sacerdotes e os anciãos dos judeus apresentaram queixa, pedindo a sua condenação. Respondi-lhes que não era costume dos romanos conceder a entrega de qualquer homem, antes de o réu ter na sua frente os acusadores e poder defender-se da acusação. Vieram então aqui a Cesareia e, sem mais demoras, logo no dia seguinte, sentei-me no tribunal e mandei comparecer o homem. Postos frente a frente, os acusadores não alegaram nenhum dos crimes de que eu suspeitava. Só tinham com ele discussões acerca da sua religião e especialmente a respeito de um certo Jesus que morreu e que Paulo afirma estar vivo. Eu fiquei embaraçado perante um debate deste género e perguntei-lhe se queria ir a Jerusalém, para lá ser julgado. Mas como Paulo apelou, para que a sua causa fosse decidida pelo imperador, mandei que o conservassem preso, até o enviar a César».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Sal. 102 (103), 1-2.11-12.19-20ab
(R. l9a ou Aleluia)
Refrão: O Senhor tem no Céu o trono da sua glória. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e todo o meu ser bendiga o seu nome santo.
Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e não esqueças nenhum dos seus benefícios. Refrão

Como a distância da terra aos céus,
assim é grande a sua misericórdia
para os que O temem.
Como o Oriente dista do Ocidente,
assim Ele afasta de nós os nossos pecados. Refrão

O Senhor fixou no Céu o seu trono
e o seu reino estende-se sobre o universo.
Bendizei o Senhor, todos os seus Anjos,
poderosos executores das suas ordens. Refrão


ALELUIA Jo 14, 26
Refrão: Aleluia Repete-se
O Espírito Santo vos ensinará todas as coisas
e vos recordará tudo o que Eu vos disse. Refrão


EVANGELHO Jo 21, 15-19
«Apascenta os meus cordeiros, apascenta as minhas ovelhas»

As leituras de hoje e de amanhã são o epílogo do Evangelho de S. João, e referem-se a Pedro e a João. Hoje, Jesus confia a Pedro a missão de Pastor supremo da Igreja. E fá-lo depois de três vezes lhe ter pedido uma profissão de amor, certamente em resposta à tríplice negação que ele fizera durante a paixão. Esta profissão de amor será feita, primeiro, com a palavra, mais tarde, será selada com o próprio sangue.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Quando Jesus Se manifestou aos seus discípulos junto ao mar de Tiberíades, depois de comerem, perguntou a Simão Pedro: «Simão, filho de João, amas-Me tu mais do que estes?». Ele respondeu-Lhe: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta os meus cordeiros». Voltou a perguntar-lhe segunda vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?». Ele respondeu-Lhe: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas». Perguntou-lhe pela terceira vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?». Pedro entristeceu-se por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez se O amava e respondeu-Lhe: «Senhor, Tu sabes tudo, bem sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas. Em verdade, em verdade te digo: Quando eras mais novo, tu mesmo te cingias e andavas por onde querias; mas quando fores mais velho, estenderás a mão e outro te cingirá e te levará para onde não queres». Jesus disse isto para indicar o género de morte com que Pedro havia de dar glória a Deus. Dito isto, acrescentou: «Segue-Me».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Olhai benignamente, Senhor, para a oblação do vosso povo e fazei que a vinda do Espírito Santo purifique as nossas cons¬ciências e Vos torne agradável este sacrifício. Por Nosso Senhor.

Prefácio pascal ou da Ascensão


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Jo 16, 13
Quando vier o Espírito da verdade, diz o Senhor,
Ele vos ensinará toda a verdade. Aleluia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor nosso Deus, que nos purificais e alimentais com os santos mistérios, concedei-nos que o alimento de Vós recebido seja para nós fonte de vida eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. Paulo VI

 

 

Martirológio

1. São Paulo VI, papa, que neste dia foi ordenado presbítero, depois foi nomeado arcebispo de Milão e finalmente eleito para a Sé Romana. Completou feliz e diligentemente o Concílio Vaticano II, promoveu a renovação da vida eclesial, sobretudo a sagrada Liturgia, e empenhou-se no diálogo ecuménico e na mensagem do Evangelho pelo mundo contemporâneo. No dia 6 de Agosto adormeceu na paz do Senhor. 

2.   Em Antioquia, na Síria, hoje Antakya, na Turquia, Santo Hesíquio, guarda palaciano, mártir, que, durante a perseguição de Diocleciano, ouvindo um pregão pelo qual se ordenava que deixasse o uniforme militar quem não oferecesse incenso aos ídolos, imediatamente depôs o uniforme, e por isso foi precipitado no rio Orontes, com o braço direito ligado a uma enorme pedra.

3.   Em Tréveris, na Gália Bélgica, actualmente na Alemanha, São Maximino, bispo, que foi intrépido defensor da integridade da fé contra os arianos, acolheu fraternalmente Santo Atanásio de Alexandria e outros bispos exilados e, expulso da sua sede episcopal pelos inimigos, morreu em Poitiers, sua terra natal.

4.   Em Val di Non, actualmente no Trentino Alto Ádige, região da Itália, os santos mártires Sisínio, diácono, Martírio, leitor, e Alexandre, ostiário, naturais da Capadócia, que nesta região edificaram uma igreja e introduziram os cânticos do louvor divino, mas foram mortos pelos pagãos num dia em que estes ofereciam os seus sacrifícios lustrais.

5.   Em Ravena, na Flamínia, hoje na Emília-Romanha, também região da Itália, Santo Exuperâncio, bispo, que presidiu com sábia prudência a esta Igreja, no tempo em que o rei Odoacro se apoderou da Itália e desta cidade.

6.   Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, também região da Itália, São Senador, bispo, que o papa São Leão Magno tinha enviado como legado a Constantinopla quando ainda era presbítero.

7*.   Em Mâcon, na Borgonha, na actual França, São Gerardo, que foi monge, depois eleito bispo e finalmente levou vida eremítica na floresta.

8*.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, Santa Bona, virgem, que fez com devoção frequentes peregrinações à Terra Santa, a Roma e a Compostela.

9*.   Em Avignonet, perto de Toulouse, na França, os beatos Guilherme Arnaud e dez companheiros[1], que, unidos na missão de impedir a heresia dos cátaros, foram ardilosamente presos por causa da fé de Cristo e da obediência à Igreja Romana e morreram ao fio da espada no dia da Ascensão do Senhor, cantando unanimemente o «Te Deum».

 


[1]  São estes os seus nomes: Bernardo de Roquefort, Garcia d’Aure, Estêvão de Sain-Thierry, Raimundo Carbonier; Raimundo de Cortisan, chamado Escrivão, cónego; Bernardo, Pedro d’Arnaud, Fortanier e Ademaro, clérigos; prior de Avignonet, cujo nome não é conhecido.

 

10*.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, a Beata Geraldina, viúva, que passou a vida numa cela junto do mosteiro camaldulense de São Sabino, consagrando-se ao louvor de Deus e à intimidade com o Senhor.

11*.   Em York, na Inglaterra, o Beato Ricardo Thirkeld, presbítero e mártir, que, no reinado de Isabel I, condenado à morte por ser sacerdote e reconciliar muitas pessoas com a Igreja católica, foi levado ao suplício do patíbulo.

12*.   Em Roma, localidade do Lesoto, na África Austral, o Beato José Gerard, presbítero dos Oblatos de Maria Imaculada, que anunciou incansavelmente a Cristo na província do Natal e depois, principalmente, ao povo dos Basotos.

13.   Em Roma, Santa Úrsula (Júlia Ledochowska), virgem, que fundou o Instituto das Irmãs Ursulinas do Coração de Jesus Agonizante e percorreu infatigavelmente nesta missão apostólica as regiões da Polónia, da Escandinávia, da Finlândia e da Rússia.