Liturgia diária

Agenda litúrgica

2020-04-21

TERÇA-FEIRA da semana II

S. Anselmo, bispo e doutor da Igreja – MF
Branco – Ofício da féria ou da memória.
Missa da féria ou da memória, pf. pascal.

L 1 Act 4, 32-37; Sal 92 (93), 1ab. 1c-2. 5
Ev Jo 3, 7b-15

* Na Ordem Beneditina – S. Anselmo – MO
* Na Ordem de Cister e na Ordem Cisterciense da Estrita Observância – S. Anselmo, bispo e doutor da Igreja – MO
* Na Ordem Franciscana – S. Conrado de Parzham, religioso, da I Ordem – MF
* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – S. Conrado de Parzham, religioso, da I Ordem – MO

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Ap 19, 7.9
Exultemos de alegria e dêmos glória a Deus,
porque o Senhor reina eternamente. Aleluia.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei ao vosso povo, Deus de misericórdia, a graça de manifestar na sua vida o poder de Cristo ressuscitado, para que o penhor da redenção que d’Ele recebemos nos alcance a plenitude dos seus dons. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Actos 4, 32-37
«Um só coração e uma só alma»

A fé da primeira comunidade cristã de Jerusalém mostra-se na comunhão entre os seus membros, comunhão de sentimentos e comunhão até de bens materiais. Esta maneira de viver é apresentada como testemunho da Ressurreição; de facto, quem assim vive testemunha que uma vida nova começou sobre a terra, a vida dos que passaram com Cristo deste mundo para o Pai. E apresenta-se o exemplo particular de Barnabé.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
A multidão dos haviam abraçado a fé tinha um só coração e uma só alma; ninguém considerava seu o que lhe lhe pertencia, mas tudo entre eles era comum. Os Apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus com grande poder e gozavam todos de muita simpatia. Não havia entre eles qualquer necessitado, porque todos os que possuíam terras ou casas vendiam-nas e traziam o produto das vendas, que depunham aos pés dos Apóstolos, e distribuía-se então a cada um conforme a sua necessidade. José, um levita natural de Chipre, a quem os Apóstolos chamaram Barnabé – que quer dizer «Filho da Consolação» – possuía um campo. Vendeu-o e trouxe o dinheiro, que depositou aos pés dos Apóstolos.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Sal. 92 (93), 1ab.1c-2.5 (R. 1a ou Aleluia)
Refrão: O Senhor é rei num trono de luz. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se
O Senhor é rei,
revestiu-Se de majestade,
revestiu-Se e cingiu-Se de poder. Refrão

Firmou o universo, que não vacilará.
É firme o vosso trono desde sempre,
Vós existis desde toda a eternidade. Refrão

Os vossos testemunhos são dignos de toda a fé,
a santidade habita na vossa casa
por todo o sempre. Refrão


ALELUIA Jo 3, 15
Refrão: Aleluia Repete-se

O Filho do homem será elevado,
para que todo aquele que acredita
tenha n’Ele a vida eterna. Refrão


EVANGELHO Jo 3, 7b-15
«Ninguém subiu ao Céu, senão Aquele que desceu do Céu:
o Filho do homem»

A subida de Jesus para junto do Pai manifesta a sua origem divina e garante a verdade da palavra que Ele nos anunciou. A sua Ressurreição é testemunho a favor de tudo o que Ele nos ensinou. É, por isso, necessário aceitar esse testemunho e ser-lhe fiel, para que o novo nascimento, que é o Baptismo, nos introduza na vida eterna.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: «Não te admires por Eu te haver dito que todos devem nascer de novo. O vento sopra onde quer: ouves a sua voz, mas não sabes donde vem nem para onde vai. Assim acontece com todo aquele que nasceu do Espírito». Nicodemos perguntou: «Como pode ser isso?» Jesus respondeu-lhe: «Tu és mestre em Israel e não sabes estas coisas? Em verdade, em verdade te digo: Nós falamos do que sabemos e damos testemunho do que vimos, mas vós não aceitais o nosso testemunho. Se vos disse coisas da terra e não acreditais, como haveis de acreditar, se vos disser coisas do Céu? Ninguém subiu ao Céu, senão Aquele que desceu do Céu: o Filho do homem. Assim como Moisés elevou a serpente no deserto, também o Filho do homem será elevado, para que todo aquele que acredita tenha n’Ele a vida eterna».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Concedei, Senhor, que em todo o tempo possamos alegrar nos com estes mistérios pascais, de modo que o acto sempre renovado da nossa redenção seja para nós causa de alegria eterna. Por Nosso Senhor.

Prefácio pascal


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Lc 24, 46.25
Jesus Cristo tinha de padecer e ressuscitar dos mortos
para entrar na sua glória. Aleluia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Ouvi, Senhor, as nossas preces e fazei que estes santos mistérios da nossa redenção nos auxiliem na vida presente e nos alcancem as alegrias eternas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. ANSELMO, bispo e doutor da Igreja

 

 

Martirológio

Santo Anselmo, bispo e doutor da Igreja, que, originário de Aosta, no Piemonte, região da Itália, foi monge e depois abade no mosteiro de Bec, na Normandia, região da França, onde ensinou os seus irmãos religiosos a progredir no caminho da perfeição e a procurar a Deus com a inteligência da fé; transferido depois para a insigne sede episcopal de Cantuária, na Inglaterra, lutou valorosamente pela liberdade da Igreja, suportando por isso várias adversidades e o exílio.

 

2.   Em Roma, a comemoração de Santo Apolónio, filósofo e mártir, que, no tempo do imperador Cómodo, perante o prefeito Perénio e todo o Senado, fez uma clarividente apologia da fé cristã, confirmando-a depois, ao ser condenado à morte, com o testemunho do seu sangue.

3.   Em Alexandria, no Egipto, Santo Aristo, presbítero e mártir.

4.   No monte Sinai, Santo Anastásio, hegúmeno, que defendeu incansavelmente a verdadeira fé contra os monofisitas e escreveu muitos sermões úteis para a salvação das almas.

5*.   No mosteiro de Aplecross, localidade da Escócia, São Melrúbio, abade, que, sendo natural da Irlanda e tornando-se monge em Bangor, fundou um mosteiro de missionários, onde, durante cinquenta anos, difundiu a luz da fé ao povo desta região.

6*.   Em Cágli, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, o Beato João Saziári, religioso da Ordem Terceira de São Francisco. 

7*.   Em Cervere, junto de Fossano, no Piemonte, região da Itália, o Beato Bartolomeu Cérvere, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir, que, depois de ter combatido arduamente pela fé católica, a confirmou ao morrer trespassado pela lança.

8.   Em Altötting, na Baviera, região da Alemanha, São Conrado de Parzham (João Birndorfer), religioso da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, que desempenhou humildemente o ofício de porteiro durante mais de quarenta anos, com grande generosidade para com os pobres e nunca despedindo algum necessitado sem oportunas palavras de conforto cristão.

9.   Em Nochistlan, no território de Guadalajara, no México, São Romão Adame, presbítero e mártir, que durante a perseguição contra a Igreja, sofreu o martírio por confessar a fé em Cristo Rei.