Liturgia diária

Agenda litúrgica

2020-03-04

QUARTA-FEIRA da semana I

Roxo – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. da Quaresma.

L 1 Jonas 3, 1-10; Sal 50 (51), 3-4. 12-13. 18-19
Ev Lc 11, 29-32

* Pode celebrar-se a memória de S. Casimiro, como se indica na p. 33, n. 8.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Salmo 24, 6.3.22
Lembrai-Vos, Senhor, das vossas misericórdias e das vossas graças que são eternas. Não triunfe sobre nós o inimigo.
Senhor, livrai-nos de todo o mal.


ORAÇÃO COLECTA
Olhai com bondade, Senhor, para a devoção do vosso povo e fazei que, mortificando o corpo pela penitência, renovemos o espírito com o fruto das boas obras. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Jonas 3, 1-10
«Os habitantes de Nínive converteram-se do seu mau caminho»

Volta hoje o tema da penitência, no sentido de conversão. Outrora, até os pagãos, como os habitantes de Nínive, ao ouvirem a palavra de Deus, se converteram. Hoje, não esperamos outros sinais do céu; é sempre essa mesma palavra que é para os homens de todas as gerações o grande sinal. Para ser “sinal”, a Palavra, o Verbo, o Filho de Deus, fez-Se homem e falou no meio dos homens, em palavras humanas, para Se revelar e revelar o Pai aos humanos.

Leitura da Profecia de Jonas
A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas nos seguintes termos: «Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive e apregoa nela a mensagem que Eu te direi». Jonas levantou-se e foi a Nínive, conforme a palavra do Senhor. Nínive era uma grande cidade aos olhos de Deus; levava três dias a atravessar. Jonas entrou na cidade e caminhou durante um dia, apregoando: «Daqui a quarenta dias, Nínive será destruída». Os habitantes de Nínive acreditaram em Deus, proclamaram um jejum e revestiram-se de sacos, desde o maior ao mais pequeno. Logo que a notícia chegou ao rei de Nínive, ele ergueu-se do trono e tirou o manto, cobriu-se de saco e sentou-se sobre a cinza. Depois foi proclamado em Nínive um decreto do rei e dos seus ministros, que dizia: «Os homens e os animais, os bois e as ovelhas, não provem alimento, não pastem nem bebam água. Os homens e os animais revistam-se de sacos e clamem a Deus com vigor; afaste-se cada um do seu mau caminho e das violências que tenha praticado. Quem sabe? Talvez Deus reconsidere e desista, acalmando o ardor da sua ira, de modo que não pereçamos». Quando Deus viu as suas obras e como se convertiam do seu mau caminho, desistiu do castigo com que os ameaçara e não o executou.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 50 (51), 3-4.12-13.18-19 (19a)
Refrão: Não desprezeis, Senhor,
o nosso coração humilhado e contrito. Repete-se

Compadecei-Vos de mim, ó Deus, pela vossa bondade,
pela vossa grande misericórdia apagai os meus pecados.
Lavai-me de toda a iniquidade
e purificai-me de todas as culpas. Refrão

Criai em mim, ó Deus, um coração puro
e fazei nascer dentro de mim um espírito firme.
Não queirais afastar-me da vossa presença
e não retireis de mim o vosso espírito de santidade. Refrão

Não é do sacrifício que Vos agradais
e, se eu oferecer um holocausto, não o aceitareis.
Sacrifício agradável a Deus é o espírito arrependido:
não desprezareis, Senhor,
um espírito humilhado e contrito. Refrão


ACLAMAÇÃO ANTES DO EVANGELHO Joel 2, 12-13
Refrão: A salvação, a glória e o poder a Jesus Cristo,
Nosso Senhor. Repete-se

Convertei-vos a Mim de todo o coração, diz o Senhor;
porque sou benigno e misericordioso. Refrão


EVANGELHO Lc 11, 29-32
«Nenhum sinal será dado a esta geração, senão o sinal de Jonas»

O povo aglomerava-se em volta de Jesus para O ouvir. Mas Jesus faz-lhes sentir que eles são mais curiosos, sempre à espera de qualquer sinal maravilhoso, do que desejosos de escutar a sua palavra, que dá luz e leva à conversão. E lembra-lhes como os habitantes de Ninive se converteram ao ouvirem Jonas, como recordava a primeira leitura, e como a rainha de Sabá, veio de tão longe só para ouvir o sábio Salomão. E ali estava Ele, maior que Jonas, e mais do que Salomão, mas que não era escutado com fé semelhante à daqueles seus antepassados, nem eles se deixavam conduzir à penitência como aqueles a quem Jonas pregava. Prefigurado por Jonas, mas maior do que ele, e mais do que Salomão, cuja sabedoria atraía de longe a rainha de Sabá, Jesus aqui está, também agora no meio da assembleia dos cristãos, a fazer-Se, de novo, ouvir; como sempre que na Igreja se lêem as Sagradas Escrituras, como disse o Concílio Vaticano II (SC 7).

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, aglomerava-se uma grande multidão à volta de Jesus e Ele começou a dizer: «Esta geração é uma geração perversa: pede um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal de Jonas. Assim como Jonas foi um sinal para os habitantes de Nínive, assim o será também o Filho do homem para esta geração. No juízo final, a rainha do sul levantar-se-á com os homens desta geração e há-de condená-los, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão; e aqui está quem é maior do que Salomão. No juízo final, os homens de Nínive levantar-se-ão com esta geração e hão-de conde¬ná-la, porque fizeram penitência ao ouvir a pregação de Jonas; e aqui está quem é maior do que Jonas».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Fazei, Senhor, que estes dons que nos destes para os consagrarmos ao vosso nome, se transformem para nós, por meio deste sacramento, em remédio de vida eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio da Quaresma


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 5, 12
Exultem para sempre os que em Vós confiam, Senhor.
Vós protegeis e alegrais os que amam o vosso nome.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor nosso Deus, que sempre nos alimentais com os vossos sacramentos, concedei-nos que o alimento de Vós recebido seja para nós fonte de vida eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. CASIMIRO

 

 

Martirológio

São Casimiro, filho do rei da Polónia, que foi um príncipe insigne no zelo pela fé, na castidade e na penitência, na benignidade para com os pobres e na piedosa veneração da Sagrada Eucaristia e da bem-aventurada Virgem Maria, e, ainda jovem, vítima da tuberculose, na cidade de Grodno, perto de Vilna, na Lituânia, hoje na Bielorrússia, descansou piedosamente no Senhor.

2.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, os santos Fócio, Arquelau, Quirino e outros dezassete mártires.

3*.   Em Tréveris, na Renânia da Austrásia, hoje na Alemanha, São Basino, bispo, descendente das famílias nobres do reino da Austrásia, que primeiro foi monge, depois abade de São Maximino de Tréveris, e, elevado à dignidade episcopal, aprovou a fundação do mosteiro de Ephternach, realizada por Santa Irmina.

4*.   Em Comáquio, na Emília-Romanha, região da Itália, Santo Apiano, monge, que, enviado do mosteiro de Pavia, seguiu nesta cidade a vida eremítica.

5*.   No mosteiro de Cava de’ Tirréni, na Campânia, também região da Itália, São Pedro, que, depois de seguir desde a sua juventude a vida monástica, foi eleito bispo de Policastro, mas, insatisfeito com o bulício da vida mundana, regressou ao mosteiro, onde foi constituído abade e restaurou admiravelmente a observância religiosa.

6*.   Em Chambéry, na Savóia, hoje na França, o Beato Humberto, terceiro conde da Sabóia, que, constrangido a abandonar o claustro para presidir à governação civil, praticou fervorosamente a vida monástica, à qual pouco tempo depois regressou.

7*.   Em Londres, na Inglaterra, os beatos Cristóvão Bales, presbítero, Alexandre Blake e Nicolau Horner, mártires, que, na perseguição da rainha Isabel I, receberam ao mesmo tempo a coroa de glória.

8♦   Em Vannes, na Bretanha, região da França, a Beata Maria Luísa (Isabel de Lamoignon Molé de Champlatreux), viúva, mãe de S. Luís e fundadora das Irmãs da Caridade de São Luís, que, evitando o fausto e a riqueza da sua família nobre, viveu pobre e para os pobres, e se dedicou ao ensino dos ignorantes e à educação das crianças no caminho da virtude.

9*.   No cenóbio de Saint-Sauveur-le-Vicomte, na Normandia, região da França, a Beata Plácida (Eulália Viel), virgem, que resplandeceu pelo seu zelo e humildade no governo da Congregação das Escolas Cristãs da Misericórdia.

10*.   Em Vicenza, na Itália, São João António Farina, bispo, que desenvolveu uma intensa e multiforme actividade pastoral e fundou o Instituto das Irmãs Mestras de Santa Doroteia Filhas dos Sagrados Corações, destinado a trabalhar na formação das jovens pobres e de todos os oprimidos e marginados.

11♦.   Em Wroclaw, na Polónia, o Beato Roberto Spiske, presbítero diocesano, fundador da Congregação das Irmãs de Santa Edviges.

12*.   Em Berezwecz, perto de Glebokie, cidade da Polónia, os beatos Miecislau Bohatkiewicz, Ladislau Mackowiak e Estanislau Pyrtek, presbíteros e mártires, que, durante a guerra, por causa da sua fé em Cristo foram encerrados no cárcere e fuzilados.

13♦.   Em Kistarcsa, próximo de Budapeste, na Hungria, o Beato Zoltan Lajos Meszlényi, bispo de Esztergom-Budapeste e mártir.