Liturgia diária

Agenda litúrgica

2019-02-27

QUARTA-FEIRA da semana VII

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Sir 4, 12-22 (gr. 11-19); Sal 118 (119), 165 e 168. 171 e 172. 174 e 175
Ev Mc 9, 38-40

* Na Congregação da Paixão de Jesus Cristo – S. Gabriel de Nossa Senhora das Dores, religioso – FESTA

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Salmo 12, 6
Eu confio, Senhor, na vossa bondade.
O meu coração alegra-se com a vossa salvação.
Cantarei ao Senhor por tudo o que Ele fez por mim.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei-nos, Deus todo-poderoso,
que, meditando continuamente nas realidades espirituais,
pratiquemos sempre, em palavras e obras,
o que Vos agrada.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Sir 4, 12-22 (gr. 11-19)
«Aqueles que amam a sabedoria são amados por Deus»

A sabedoria aparece, muitas vezes, neste e noutros livros do mesmo género, como se fosse uma pessoa; neste caso, como uma mestra e guia dos que a procuram e a seguem. A sabedoria é, de facto, uma dádiva de Deus aos homens, uma como que presença de Deus no meio dos homens. Por isso, ela quer ser acolhida e escutada e seguida; ou antes, ela própria conduzirá quem a seguir por caminhos seguros, inundados de alegria e de paz.

Leitura do Livro de Ben-Sirá
A sabedoria educa os seus filhos e cuida daqueles que a procuram. Aqueles que a amam amam a vida e os que a procuram desde a aurora alcançam a graça do Senhor. Quem a conserva recebe a glória como herança: para onde quer que vá tem a bênção do Senhor. Os que a servem prestam culto ao Deus santo e aqueles que a amam são amados por Deus. Aquele que a escuta julgará as nações e quem lhe presta atenção permanece confiante. Quem nela confia recebê-la-á como herança e hão-de possuí-la os seus descendentes. Primeiro, acompanhá-lo-á por caminhos tortuosos, fará vir sobre ele o medo e o pavor e o provará com a sua disciplina, até que possa ter confiança nele e experimentá-lo com as suas exigências. Mas depois virá directamente ao seu encontro, enchê-lo-á de alegria e lhe revelará os seus segredos. Se ele, porém, se desviar, abandoná-lo-á e o entregará à sua própria ruína.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 118 (119), 165 e 168.171 e 172.174 e 175 (R. 165a)
Refrão: Vivem em grande paz, Senhor,
os que amam a vossa lei. Repete-se

Vivem em grande paz os que amam a vossa lei
e nada há que os perturbe.
Observo os vossos preceitos e as vossas ordens,
pois diante de Vós estão todos os meus caminhos. Refrão

Brote de meus lábios um hino de louvor,
porque me ensinastes os vossos decretos.
A minha língua proclame a vossa palavra,
porque são justos todos os vossos mandamentos. Refrão

Eu suspiro, Senhor, pelo vosso socorro
e a vossa lei faz as minhas delícias.
Viva a minha alma para Vos louvar
e os vossos juízos venham em meu auxílio. Refrão


ALELUIA Jo 14, 6
Refrão: Aleluia Repete-se
Eu sou o caminho, a verdade e a vida, diz o Senhor:
Ninguém vai ao Pai senão por Mim. Refrão


EVANGELHO Mc 9, 38-40
«Quem não é contra nós é por nós»

A escola de Jesus não é fechada nem exclusivista. Ele é, realmente, o Caminho e a Verdade; e todo aquele que procede bem e de boa fé já avança pelos seus caminhos, mesmo que o não saiba. E aqueles que já têm a graça de O conhecer hão-de de olhar com simpatia os que se esforçam por ir ao seu encontro, para que finalmente todos venham a reunir-se no mesmo e único redil do único Pastor.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, João disse a Jesus: «Mestre, nós vimos um homem a expulsar os demónios em teu nome e procurámos impe-dir-lho, porque ele não anda connosco». Jesus respondeu: «Não o proibais; porque ninguém pode fazer um milagre em meu nome e depois dizer mal de Mim. Quem não é contra nós é por nós».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Concedei, Senhor,
que celebremos dignamente estes divinos mistérios,
de modo que os dons oferecidos para vossa glória
sejam para nós fonte de eterna salvação.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 9, 2-3
Cantarei todas as vossas maravilhas.
Quero alegrar-me e exultar em Vós.
Cantarei ao vosso nome, ó Altíssimo.

Ou cf. Jo 11, 27
Senhor, eu creio que sois Cristo, Filho de Deus vivo,
o Salvador do mundo.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Nós Vos pedimos, Deus omnipotente,
que este sacramento de salvação
seja para nós penhor seguro de vida eterna.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Martirológio

1.   Em Alexandria, no Egipto, a comemoração dos santos Julião e Euno, mártires, na perseguição do imperador Décio. Julião, por ser tão enfermo de gota que não podia andar nem estar de pé, foi apresentado ao juiz, juntamente com dois servos que o levaram numa cadeira. Um deles, com medo, renegou a fé; o outro, chamado Euno, perseverou com o seu senhor na confissão de Cristo. Conduzidos ambos por toda a cidade montados em camelos, à vista de todo o povo foram flagelados até à morte.

2.   Também em Alexandria, no Egipto, São Besas, mártir, que, sendo soldado, por ter intentado conter os que insultavam os santos mártires anteriormente mencionados, foi denunciado ao juiz e, perseverando firme na fé, foi decapitado.

3*.   No território de Rouen, na Gália, hoje na França, Santa Honorina, virgem e mártir.

4.   Em Lião, também na Gália, hoje na França, São Baldomiro, subdiácono, homem consagrado a Deus.

5.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, os santos Basílio e Procópio Decapolita, monges, que, no tempo de Leão o Isáurico, defenderam vigorosamente o culto das sagradas imagens.

6.   No mosteiro de Narek, na Arménia, São Gregório, monge e doutor da Igreja, evangelizador dos Armenos, ilustre pela doutrina, escritos e ciência mística.

7*.   Em Messina, na Sicília, região da Itália, São Lucas, abade do mosteiro do Santíssimo Salvador, sob a regra dos monges orientais.

8.   Em Londres, na Inglaterra, Santa Ana Line, viúva e mártir, que, depois de ter morrido o esposo no exílio por causa da fé católica, conseguiu arranjar uma casa para os sacerdotes, e por isso, no reinado de Isabel I, foi enforcada no patíbulo de Tyburn. Com ela padeceram o suplício também os beatos presbíteros e mártires Marcos Barkworth, da Ordem de São Bento, e Rogério Filcock, da Companhia de Jesus, dilacerados à espada quando ainda estavam vivos.

9*.   Também em Londres, o Beato Guilherme Richardson, presbítero e mártir, que, ordenado em Sevilha, na Espanha, por causa do seu sacerdócio foi enforcado no patíbulo de Tyburn, sendo o último mártir do reinado de Isabel I.

10*.   Em Sencelles, localidade da ilha de Maiorca, na Espanha, a Beata Francisca Ana de Nossa Senhora das Dores (Francisca Maria Cirer Carbonell), virgem, que, não sabendo ler nem escrever, mas animada pelo zelo divino, fundou a Comunidade das Irmãs da Caridade.

11*.   Em Ísola del Gran Sasso, nos Abruzos, região da Itália, São Gabriel de Nossa Senhora das Dores (Francisco Possénti), acólito, que, abandonando a vanglória do mundo, entrou ainda adolescente na Congregação da Paixão, onde terminou o breve curso da sua vida.

12♦.   Em Barcelona, na Espanha, o Beato José Tous y Soler, presbítero da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, fundador da Congregação das Irmãs Capuchinhas do Divino Pastor.

13*.   Em Marselha, na França, a Beata Maria de Jesus Deluil Martiny, virgem, que fundou a Congregação das Filhas do Coração de Jesus e, ferida mortalmente por um homem violento, concluiu com o derramamento do seu sangue uma vida intimamente unida à Paixão de Cristo.

14*.   Em Pasto, na Colômbia, a Beata Maria da Caridade do Espírito Santo (Maria Josefa Carolina Brader), virgem, que soube conciliar excelentemente a vida contemplativa com a actividade missionária e fundou a Congregação das Irmãs Franciscanas de Maria Imaculada, para promover a formação cristã do povo.