Liturgia diária

Agenda litúrgica

2019-02-11

SEGUNDA-FEIRA da semana V

Nossa Senhora de Lurdes – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Gen 1, 1-19; Sal 103 (104), 1-2a. 5-6. 10 e 12. 24 e 35c
Ev Mc 6, 53-56
* Dia Mundial do Doente.
* Na Diocese de Leiria-Fátima – Aniversário da Ordenação episcopal de D. António Augusto dos Santos Marto, Cardeal (2001).
* Na Ordem Beneditina – S. Bento de Aniano, abade – MF; Nossa Senhora de Lurdes – MF

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 94, 6-7
Vinde, prostremo-nos em terra,
adoremos o Senhor que nos criou.
O Senhor é o nosso Deus.


ORAÇÃO COLECTA
Guardai, Senhor, com paternal bondade a vossa família;
e, porque só em Vós põe a sua confiança,
defendei-a sempre com a vossa protecção.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA (anos ímpares) Gen 1, 1-19
«Deus disse e assim sucedeu»

Começamos hoje a ler, em leitura semi-contínua, o primeiro livro da Bíblia, chamado Génesis, que quer dizer “Origens”. De uma forma poética, toda imaginativa, o autor apresenta a criação inteira saindo das mãos de Deus. À medida que o tempo caminha nós vamos captando o sentido último da criação, desde a criatura mais simples até ao mais alto grau da vida, que só em Jesus Cristo se alcança, porque Ele é o próprio Deus encarnado numa criatura, é o novo Adão, é o Primeiro e o Último, como se lê no Apocalipse.

Leitura do Livro do Génesis
No princípio, Deus criou o céu e a terra. A terra estava deserta e vazia, as trevas cobriam a superfície do abismo e o espírito de Deus pairava sobre as águas. Disse Deus: «Faça-se a luz». E a luz apareceu. Deus viu que a luz era boa, e separou a luz das trevas. Deus chamou ‘dia’ à luz e ‘noite’ às trevas. Veio a tarde e, em seguida, a manhã: era o primeiro dia. Disse Deus: «Haja um firmamento no meio das águas, para as manter separadas umas das outras». Deus fez o firmamento e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das águas que estavam por cima dele. E ao firmamento chamou ‘céu’. Veio a tarde e, em seguida, a manhã: foi o segundo dia. Disse Deus: «Juntem-se as águas que estão debaixo do firmamento num só lugar e apareça a terra seca». E assim sucedeu. À parte seca Deus chamou ‘terra’ e ‘mar’ ao conjunto das águas. E Deus viu que isto era bom. Disse Deus: «Cubra-se a terra de verdura: ervas que dêem sementes e árvores de fruto, que produzam sobre a terra frutos com a sua semente, segundo a própria espécie». E assim sucedeu. A terra produziu verdura: erva que produz semente, segundo a sua espécie, e árvores que dão frutos com a sua semente, segundo a própria espécie. Deus viu que isto era bom. Veio a tarde e, em seguida, a manhã: foi o terceiro dia. Disse Deus: «Haja luzeiros no firmamento do céu, para distinguirem o dia da noite e servirem de sinais para as festas, os dias e os anos, para que brilhem no firmamento do céu e iluminem a terra». E assim sucedeu. Deus fez dois grandes luzeiros: o maior para presidir ao dia e o menor para presidir à noite; e fez também as estrelas. Deus colocou-os no firmamento do céu para iluminarem a terra, para presidirem ao dia e à noite e separarem a luz das trevas. Deus viu que isto era bom. Veio a tarde e, em seguida, a manhã: foi o quarto dia.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 103 (104), 1-2a.5-6.10 e 12.24 e 35c (R. cf. 31b)
Refrão: Rejubile o Senhor nas suas obras. Repete-se

Bendiz, ó minha alma, o Senhor.
Senhor, meu Deus, como sois grande!
Revestido de esplendor e majestade,
envolvido em luz como num manto! Refrão

Fundastes a terra sobre alicerces firmes:
não oscilará por toda a eternidade.
Vós a cobristes com o manto do oceano,
por sobre os montes pousavam as águas. Refrão

Transformais as fontes em rios
que correm entre as montanhas.
Nas suas margens habitam as aves do céu;
por entre a folhagem fazem ouvir o seu canto. Refrão

Como são grandes as vossas obras!
Tudo fizestes com sabedoria:
a terra está cheia das vossas criaturas.
Glória a Deus para sempre. Refrão


ALELUIA cf. Mt 4, 23
Refrão: Aleluia Repete-se
Jesus proclamava o Evangelho do reino
e curava todas as doenças entre o povo. Refrão


EVANGELHO Mc 6, 53-56
«Todos os que O tocavam ficavam curados»

De novo, Jesus Se revela como a fonte da vida: todos os que O tocam são curados. Mas não é o gesto, em si mesmo, de O tocar materialmente que os aproxima de Jesus, mas a fé que lhes move o coração e lhes faz ver para além daquilo aonde os olhos podem chegar. Os milagres de Jesus vêm sempre remediar situações deficientes do homem. Assim, Jesus vai anunciando desde já, pelos sinais que vai realizando, a sua Páscoa, que levará a cabo a nova criação.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, Jesus e os seus discípulos fizeram a travessia do lago e vieram para terra em Genesaré, onde aportaram. Quando saíram do barco, as pessoas reconheceram logo Jesus; então percorreram toda aquela região e começaram a trazer os doentes nos catres, para onde ouviam dizer que Ele estava. Nas aldeias, cidades ou casais onde Jesus entrasse, colocavam os enfermos nas praças públicas e pediam que os deixasse tocar-Lhe ao menos na orla do manto. E todos os que O tocavam ficavam curados.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor nosso Deus,
que criastes o pão e o vinho
para auxílio da nossa fraqueza
concedei que eles se tornem para nós
sacramento de vida eterna.
Por Nosso Senhor.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 106, 8-9
Dêmos graças ao Senhor pela sua misericórdia,
pelos seus prodígios em favor dos homens,
porque Ele deu de beber aos que tinham sede
e saciou os que tinham fome.

Ou Mt 5, 5-6
Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça,
porque serão saciados.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Deus de bondade,
que nos fizestes participantes do mesmo pão e do mesmo cálice,
concedei que, unidos na alegria e no amor de Cristo,
dêmos fruto abundante para a salvação do mundo.
Por Nosso Senhor.

 

Santo

NOSSA SENHORA DE LURDES

 

 

Martirológio

Nossa Senhora de Lurdes, que, quatro anos depois da proclamação da Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria, a humilde jovem Santa Maria Bernarda (Bernadete) Soubirous viu várias vezes na gruta de Massabielle, nos montes Pireneus, junto das margens do rio Gave, perto de Lourdes, na França; por isso ali acorrem piedosamente multidões de fiéis.

2.   Em Roma, junto à Via Ápia, no cemitério dedicado ao seu nome, Santa Soter, virgem e mártir, que, como refere Santo Ambrósio, preferindo a fé à nobreza familiar e às honras humanas, não obedeceu à ordem de imolar aos ídolos, nem se perturbou com os ultrajantes insultos, nem temeu a condenação à morte ao fio da espada.

3.   A comemoração de vários santos mártires, que foram presos na Numídia, na hodierna Argélia, durante a perseguição do imperador Diocleciano; e, porque se recusaram a entregar as divinas Escrituras, conforme ao edito do imperador, morreram torturados com cruéis suplícios.

4.   Em Volturno, na Campânia, região da Itália, São Castrense, mártir.

5*.   Na Apúlia, também na Itália, São Secundino, bispo.

6.   Em Château-Landon, na Gália, actualmente na França, São Severino, abade de Agaune.

7.   Em Roma, o sepultamento de São Gregório II, papa, que, no tempo calamitoso do imperador Leão o Isáurico, defendeu a Igreja e o culto das sagradas imagens e enviou São Bonifácio a anunciar o Evangelho na Germânia.

8.   Também em Roma, o sepultamento de São Pascoal I, papa, que trasladou das catacumbas muitos corpos de santos mártires e os fez colocar honorificamente em diversas igrejas da cidade.

9*.   Na Borgonha, na actual França, Santo Ardão, abade de Tournus.

10.   Em Chihuáhua, no México, São Pedro Maldonado, presbítero e mártir, que, durante a perseguição, foi preso quando administrava o sacramento da Eucaristia e, com um golpe mortal na cabeça, mereceu alcançar o glorioso triunfo.

11*.   Em Vinarós, em Castela, região da Espanha, o Beato Tobias (Francisco Borrás Romeu), religioso da Ordem Hospitaleira de São João de Deus e mártir, que, durante a perseguição religiosa, consumou o glorioso martírio.