Liturgia diária

Agenda litúrgica

2019-11-22

SEXTA-FEIRA da semana XXXIII

S. Cecília, virgem e mártir – MO
Vermelho – Ofício da memória.
Missa da memória.

L 1 1 Mac 4, 36-37. 52-59; Sal 1 Cr 29, 10. 11ab. 11cd e 12ab. 12cd e 13
Ev Lc 19, 45-48

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Jer 29, 11.12.14
Os meus pensamentos são de paz
e não de desgraça, diz o Senhor.
Invocar-Me-eis e atenderei o vosso clamor,
e farei regressar os vossos cativos de todos os lugares da terra.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor nosso Deus, concedei-nos a graça
de encontrar sempre a alegria no vosso serviço,
porque é uma felicidade duradoira e profunda
ser fiel ao autor de todos os bens.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) 1 Mac 4, 36-37.52-59
«Celebraram a dedicação do altar durante oito dias
e ofereceram holocaustos com grande alegria»

Depois da vitória sobre os pagãos invasores, o povo, tendo à frente Judas Macabeu, faz a purificação e dedicação do templo e do altar e oferece sacrifícios sobre ele. O povo de Deus teve sempre, como centro de toda a sua vida, o templo e as assembleias de oração aí realizadas. Neste povo, a celebração do mistério de Deus, que é o objecto da sua fé, não pode deixar de ser o momento central de toda a vida desse mesmo povo, como hoje o é, para a Igreja de Cristo, a celebração dos mistérios do seu Senhor, Jesus.

Leitura do Primeiro Livro dos Macabeus
Naqueles dias, disseram Judas Macabeu e os seus irmãos: «Agora que os nossos inimigos foram desbaratados, subamos a purificar o templo e celebrar a sua dedicação». Reuniu-se todo o exército e subiram ao monte Sião. No dia vinte e cinco do nono mês, que é o mês de Quisleu, do ano cento e quarenta e oito, levantaram-se de madrugada e ofereceram um sacrifício, segundo as prescrições da Lei, sobre o altar dos holocaustos que tinham construído. O altar foi dedicado ao som de cânticos, de cítaras e de címbalos, no mesmo mês e dia em que os gentios o tinham profanado. Todo o povo se prostrou em adoração de rosto por terra e deu graças ao Céu por lhes ter dado tão feliz sucesso. Celebraram a dedicação do altar durante oito dias e ofereceram holocaustos com grande alegria, bem como sacrifícios de comunhão e de acção de graças. Adornaram a fachada do templo com coroas de ouro e escudos; restauraram as entradas e as salas, onde colocaram as portas. Foi grande a alegria do povo e assim foi afastado o opróbrio causado pelos gentios. Judas, com os seus irmãos e toda a assembleia de Israel, decidiu que todos os anos se celebrasse com alegria e regozijo a festa da dedicação do altar, durante oito dias, a partir do dia vinte e cinco do mês de Quisleu.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL 1 Cr 29, 10.11ab.11cd e 12ab.12cd e 13 (R. 13b)
Refrão: Celebramos, Senhor, o vosso nome glorioso. Repete-se

Bendito sejais, Senhor, para todo o sempre,
Deus do nosso Pai, Israel.
A Vós, Senhor, a grandeza e o poder,
a honra, a majestade e a glória. Refrão

Tudo, no céu e na terra, Vos pertence,
sois o Rei soberano de todas as coisas.
De Vós nos vem a riqueza e a glória,
sois Vós o Senhor de todo o universo. Refrão

Na vossa mão está o poder e a força,
em vossas mãos tudo se afirma e cresce.
Nós Vos louvamos, Senhor, nosso Deus,
e celebramos o vosso nome glorioso. Refrão


ALELUIA Jo 10, 27
Refrão: Aleluia. Repete-se
As minhas ovelhas escutam a minha voz, diz o Senhor;
Eu conheço as minhas ovelhas e elas seguem-Me. Refrão


EVANGELHO Lc 19, 45-48
«Fizestes da casa do Senhor um covil de ladrões»

Como já o manifestara aos doze anos, Jesus está possuído pelo amor da Casa de Deus. O templo era o lugar da oração a Deus, mas os seus contemporâneos esvaziavam-no desse objectivo, transformando-o em casa de comércio, embora a pretexto de serviço do mesmo templo. Até as coisas santas podem chegar a não servir para fins santos. O templo completamente puro e agora, mais do que nunca, morada de Deus, será a humanidade santíssima de Jesus ressuscitado.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus entrou no templo e começou a expulsar os vendedores, dizendo-lhes: «Está escrito: ‘A minha casa é casa de oração’; e vós fizestes dela ‘um covil de ladrões’». Jesus ensinava todos os dias no templo. Os príncipes dos sacerdotes, os escribas e os chefes do povo procuravam dar Lhe a morte, mas não encontravam o modo de o fazer, porque todo o povo ficava maravilhado quando O ouvia.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Concedei-nos, Senhor,
que os dons oferecidos para glória do vosso nome
nos obtenham a graça de Vos servirmos fielmente
e nos alcancem a posse da felicidade eterna.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 72, 28
A minha alegria é estar junto de Deus,
buscar no Senhor o meu refúgio.

Ou Mc 11, 23.24
Tudo o que pedirdes na oração
vos será concedido, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Depois de recebermos estes dons sagrados,
humildemente Vos pedimos, Senhor:
o sacramento que o vosso Filho
nos mandou celebrar em sua memória
aumente sempre a nossa caridade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

S. CECÍLIA, virgem e mártir

 

 

Martirológio

Memória de Santa Cecília, virgem e mártir, que, segundo a tradição, alcançou a dupla palma da virgindade e do martírio por amor de Cristo, em Roma, no cemitério de Calisto, junto à Via Ápia. Desde a antiguidade, tem o seu nome o título de uma basílica no Transtêvere.

 

2.   Comemoração de São Filémon de Colossos, na actual Turquia, cujo amor a Jesus Cristo foi causa de alegria para São Paulo; juntamente com ele é venerada sua esposa, Santa Ápia.

3.   Em Arbela, na Pérsia, hoje Erbil, no Iraque, Santo Ananias, mártir, que, no tempo do rei Sapor II, por ordem do arquimago Ardisag foi feito prisioneiro e por três vezes espancado com tal crueldade, que os verdugos, julgando-o já morto, o deixaram caído na praça; mas de noite os cristãos levaram-no para sua casa, onde entregou a alma a Deus.

4.   Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, região da Itália, São Benigno, bispo, que na grande perturbação causada pelas invasões, administrou com grande zelo e piedade a Igreja que lhe foi confiada.

5.   Em Autun, na Gália Lionense, na hodierna França, São Pragmácio, bispo.

6*.   Junto ao rio Zihun, perto de Maras, cidade da Cilícia, no território actual da Turquia, os beatos Salvador Lillo, presbítero da Ordem dos Frades Menores, João, filho de Balzi, e outros seis companheiros[1] naturais da Arménia, mártires, que, perante a imposição dos soldados otomanos para renegarem Cristo, recusaram trair a sua fé e, trespassados pelas lanças, emigraram para o reino eterno.

 


[1]  São estes os seus nomes: K´adir, filho de Xodianin; Cerun, filho de K´urazi; Vardavar, filho de Dimbalac; Paulo, filho de Jeremias; David e Teodoro, irmãos, filhos de David.

 

7*.   Na localidade de Triora, na Ligúria, região da Itália, o Beato Tomás Réggio, bispo de Génova, que, associando a austeridade de vida a uma admirável afabilidade, conseguiu estabelecer a concórdia entre os cidadãos e assistiu com todos os meios os indigentes, atendendo especialmente aos problemas da convivência humana.

8.   Em Teocaltitlan, cidade do México, São Pedro Esqueda Ramírez, presbítero e mártir, que, durante a perseguição mexicana, por ser sacerdote foi encarcerado e fuzilado.

9*.   Em Paterna, cidade da província de Valência, na Espanha, os beatos Elias (Julião Torrijo Sánchez) e Beltrão Francisco (Francisco Lahoz Moliner), religiosos da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártires, que, animados pelo exemplo de Cristo, durante a perseguição religiosa mereceram alcançar o prémio eterno prometido aos que perseveram na fé.

10♦.   Em Orfans, perto de Gerona, também na Espanha, o Beato Fernando Maria  (Fernando Maria Llovera Puigsech), presbítero da Ordem dos Carmelitas e mártir, que, na mesma perseguição contra a fé, recebeu a coroa de glória.