Liturgia diária

Agenda litúrgica

2019-10-11

SEXTA-FEIRA da semana XXVII

S. João XXIII, papa – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Joel 1, 13-15 – 2, 1-2; Sal 9 A (9), 2-3. 6 e 16. 8-9
Ev Lc 11, 15-26

* Na Diocese do Porto (cidade do Porto) – Nossa Senhora de Vandoma, Padroeira principal da cidade – SOLENIDADE
* Na Ordem Agostiniana – B. Elias do Socorro Nieves, presbítero e mártir – MO
* Na Congregação das Servas de Maria – S. Maria Soledad Torres, virgem, Fundadora da Congregação – SOLENIDADE

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Est 13, 9.10-11
Senhor, Deus omnipotente, tudo está sujeito ao vosso poder
e ninguém pode resistir à vossa vontade.
Vós criastes o céu e a terra e todas as maravilhas
que estão sob o firmamento.
Vós sois o Senhor do universo.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e omnipotente, que, no vosso amor infinito,
cumulais de bens os que Vos imploram
muito além dos seus méritos e desejos, pela vossa misericórdia,
libertai a nossa consciência de toda a inquietação
e dai-nos o que nem sequer ousamos pedir.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Joel 1, 13-15; 2, 1-2
«O dia do Senhor, dia de trevas e de escuridão»

Depois da breve alusão da leitura de ontem ao “Dia do Senhor” no profeta Malaquias, o mesmo tema aparece hoje no profeta Joel. Jesus falará de maneira semelhante ao referir-se ao fim do mundo, exortando os homens a elevarem-se acima das suas leviandades ou ocupações pecaminosas. O “Dia do Senhor” quer levá-los a todos ao “Dia de Cristo”, dia de luz e de glória.

Leitura da Profecia de Joel
Vesti-vos de luto e chorai, sacerdotes, entoai lamentações, ministros do altar. Vinde passar a noite com vestes de penitência, ministros do meu Deus. Porque no templo de Deus, desapareceram a oferenda e a libação. Proclamai um solene jejum, convocai uma assembleia. Reuni os anciãos e todos os habitantes do país no templo do Senhor, vosso Deus. E clamai ao Senhor: «Ah, que dia este!». Está próximo o dia do Senhor, que vai chegar como devastação que vem do Omnipotente. Tocai a trombeta em Sião, dai o alarme no meu santo monte. Estremeçam todos os habitantes do país, porque está a chegar o dia do Senhor. Sim, ele está próximo: será dia de trevas e de escuridão, dia de nuvens e de sombras. Como a luz da aurora, estende-se sobre os montes um povo numeroso e forte. Nunca houve povo nenhum como ele, nem depois dele haverá outro, até às mais longínquas gerações.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 9 A, 2-3.6 e 16.8-9 (R. 9a)
Refrão: O Senhor julgará a terra com justiça. Repete-se

De todo o coração, Senhor, Vos quero louvar
e contar todas as vossas maravilhas.
Quero alegrar-me e exultar em Vós,
quero cantar o vosso nome, ó Altíssimo. Refrão

Ameaçastes os pagãos, destruistes os ímpios,
apagastes o seu nome para sempre.
Afundaram-se as nações no fosso que abriram,
ficaram presos os seus pés na armadilha que prepararam. Refrão

O Senhor é rei para sempre,
firmou o seu trono para julgar.
Ele julga a terra com justiça,
governa os povos com rectidão. Refrão


ALELUIA Jo 12, 31b-32
Refrão: Aleluia. Repete-se
Chegou a hora em que vai ser expulso
o príncipe deste mundo, diz o Senhor;
e quando Eu for levantado da terra,
atrairei todos a Mim. Refrão


EVANGELHO Lc 11, 15-26
«Se Eu expulso os demónios pelo dedo de Deus,
então o reino de Deus chegou até vós»

Jesus é o Filho de Deus, enviado pelo Pai. As suas obras manifestam que Ele trouxe ao mundo o reino de Deus; as suas obras não são obras do demónio, como queriam os seus inimigos. Quem assim as interpretasse, contradiria a verdade. Uma pequena parábola quer fazer-nos compreender a importância da vigilância na luta contra os espíritos do mal.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus expulsou um demónio, mas alguns dos presentes disseram: «É por Belzebu, príncipe dos demónios, que Ele expulsa os demónios». Outros, para O experimentarem, pediam-Lhe um sinal do céu. Mas Jesus, que conhecia os seus pensamentos, disse: «Todo o reino dividido contra si mesmo, acaba em ruínas e cairá casa sobre casa. Se Satanás está dividido contra si mesmo, como subsistirá o seu reino? Vós dizeis que é por Belzebu que Eu expulso os demónios. Ora, se Eu expulso os demónios por Belzebu, por quem os expulsam os vossos discípulos? Por isso eles mesmos serão os vossos juízes. Mas se Eu expulso os demónios pelo dedo de Deus, então quer dizer que o reino de Deus chegou até vós. Quando um homem forte e bem armado guarda o seu palácio, os seus bens estão em segurança. Mas se aparece um mais forte do que ele e o vence, tira-lhe as armas em que confiava e distribui os seus despojos. Quem não está comigo está contra Mim e quem não junta comigo dispersa. Quando o espírito impuro sai do homem, anda a vaguear por lugares desertos à procura de repouso. Como não o encontra, diz consigo: ‘Voltarei para a casa de onde saí’. Quando lá chega, encontra-a varrida e arrumada. Então vai e toma consigo sete espíritos piores do que ele, que entram e se instalam nela. E o último estado daquele homem torna-se pior do que o primeiro».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai, Senhor, o sacrifício
que Vós mesmo nos mandastes oferecer
e, por estes sagrados mistérios que celebramos,
confirmai em nós a obra da redenção.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Lam 3, 25
O Senhor é bom para quem n’Ele confia,
para a alma que O procura.

Ou cf. 1 Cor 10, 17
Porque há um só pão, todos somos um só corpo,
nós que participamos do mesmo cálice e do mesmo pão.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Deus todo-poderoso,
que neste sacramento saciais a nossa fome e a nossa sede,
fazei que, ao comungarmos o Corpo e o Sangue do vosso Filho,
nos transformemos n’Aquele que recebemos.
Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

S. João XXIII

 

 

Martirológio

São João XXIII, papa, homem dotado de extraordinária humanidade, que, com a sua vida, as suas obras e o seu grande zelo pastoral, procurou manifestar a todos a abundância da caridade cristã e fomentar a união fraterna dos povos; especialmente solícito pela eficácia da missão da Igreja de Cristo em todo o orbe da terra, convocou o Concílio Vaticano II. Descansou piedosamente no Senhor no dia 3 de Junho.

2.   Comemoração de São Filipe, um dos sete diáconos escolhidos pelos Apóstolos, que converteu a Samaria à fé de Cristo, baptizou o eunuco da rainha Candace da Etiópia, e evangelizou todas as cidades por onde passava, até chegar a Cesareia, onde, segundo a tradição, descansou no Senhor.

3.       Em Anazarbo, na Cilícia, na hodierna Turquia, os santos Táraco, Probo e Andrónico, mártires, que na perseguição do imperador Diocleciano deram a vida pela profissão da fé em Cristo.

4.       No território de Vexin, na Gália Lionense, na actual França, a comemoração dos santos Nicásio, Quirino, Escubículo e Piência, mártires.

5.   Em Verdun, também na Gália, hoje na França, São Santino, bispo, que, segundo consta, foi o primeiro a pregar o Evangelho nesta região.

6.   Comemoração de São Sármata, abade na Tebaida, no Egipto, que foi discípulo de Santo Antão e morreu assassinado pelos Sarracenos.

7.   Em Uzés, na Gália Narbonense, na hodierna França, São Firmino, bispo, discípulo de São Cesário de Arles, que ensinou ao seu povo o caminho da verdade.

8.   Em Ossory, região da Irlanda, São Cánico, abade do mosteiro de Achad-bó, um dos muitos que fundou.

9.   Perto da fortaleza de Schemárin, nas montanhas do Cáucaso, na Geórgia, o dia natal de Santo Anastásio, presbítero, apocrisiário da Igreja Romana e companheiro de São Máximo Confessor na confissão da fé católica e no exílio, que entregou a alma a Deus quando pronunciava na santa Sináxis: «As coisas santas para os santos».

10.   Em Lier, no Brabante, actualmente na Bélgica, São Gumário, um soldado dedicado a Deus, que neste lugar com os seus bens construiu um oratório, onde foi sepultado.

11*.   Em Colónia, na Lotaríngia, na Germânia, hoje na Alemanha, São Bruno, bispo, que, sendo irmão do imperador Otão I, recebeu conjuntamente o governo e o episcopado da Lotaríngia, e exerceu o ministério sacerdotal com grande fidelidade e as funções de governante com grande magnaminidade.

12*.   Em Gniezno, na Polónia, São Gaudêncio ou Radzim, bispo, irmão de Santo Adalberto, bispo de Praga, segundo a carne e o espírito, que foi seu fiel companheiro nas viagens apostólicas, assistiu ao seu martírio e depois também ele foi vítima de cativeiro.

13*.   Em Riga, hoje na Letónia, junto ao mar Báltico, a comemoração de São Meinardo, bispo, que era monge na Alemanha quando, já em avançada idade, partiu para evangelizar a Letónia; ali construiu a igreja de Ikskile e, ordenado bispo, lançou os fundamentos da fé cristã nesta região.

14*.   Em Bolonha, na Emília-Romanha, região da Itália, o Beato Tiago de Ulm Griesinger, religioso da Ordem dos Pregadores, que, embora iletrado, era competentíssimo pintor de vitrais e durante cinquenta anos foi para todos exemplo ilustre de trabalho e oração.

15.     Em Calosso d’Ásti, na Lombardia, também região da Itália, o passamento de Santo Alexandre Sáuli, bispo de Aleria, na ilha da Córsega, depois bispo de Pavia, que, sendo membro da Congregação dos Clérigos Regrantes de São Paulo, socorreu os pobres com admirável caridade.

16.     Em Hanoi, no Tonquim, hoje no Vietnam, São Pedro Tuy, presbítero e mártir, que, pela sua fé em Cristo, foi degolado no tempo do imperador Minh Mang.

17.   Em Madrid na Espanha, Santa Maria da Soledade (Bibiana Antónia Manuela Torres Acosta), virgem, que, desde a juventude demonstrou admirável solicitude pelos enfermos pobres, aos quais socorreu com incansável abnegação, especialmente na Congregação das Servas de Maria, Ministras dos Enfermos por ela fundada.

18*.   Em Barcelona, também na Espanha, o Beato Ângelo Ramos Velázquez, religioso da Sociedade Salesiana, que, em tempo de perseguição contra a Igreja, consumou o bom combate da fé.