Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-04-10

TERÇA-FEIRA da semana II

Branco – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. pascal.
L 1 Act 4, 32-37; Sal 92 (93), 1ab. 1c-2. 5
Ev Jo 3, 7b-15

* Na Diocese do Porto – Aniversário da Ordenação episcopal de D. Pio Gonçalo Alves de Sousa, Bispo Auxiliar (2011).
* Na Diocese de Mindelo (Cabo Verde) – Aniversário da entrada solene de D. Ildo Augusto dos Santos Lopes Fortes.
* Na Diocese de Aveiro (Sé) – I Vésp. do aniversário da Dedicação da Igreja Catedral.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Ap 19, 7.9
Exultemos de alegria e dêmos glória a Deus,
porque o Senhor reina eternamente. Aleluia.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei ao vosso povo, Deus de misericórdia, a graça de manifestar na sua vida o poder de Cristo ressuscitado, para que o penhor da redenção que d’Ele recebemos nos alcance a plenitude dos seus dons. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Actos 4, 32-37
«Um só coração e uma só alma»

A fé da primeira comunidade cristã de Jerusalém mostra-se na comunhão entre os seus membros, comunhão de sentimentos e comunhão até de bens materiais. Esta maneira de viver é apresentada como testemunho da Ressurreição; de facto, quem assim vive testemunha que uma vida nova começou sobre a terra, a vida dos que passaram com Cristo deste mundo para o Pai. E apresenta-se o exemplo particular de Barnabé.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
A multidão dos haviam abraçado a fé tinha um só coração e uma só alma; ninguém considerava seu o que lhe lhe pertencia, mas tudo entre eles era comum. Os Apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus com grande poder e gozavam todos de muita simpatia. Não havia entre eles qualquer necessitado, porque todos os que possuíam terras ou casas vendiam-nas e traziam o produto das vendas, que depunham aos pés dos Apóstolos, e distribuía-se então a cada um conforme a sua necessidade. José, um levita natural de Chipre, a quem os Apóstolos chamaram Barnabé – que quer dizer «Filho da Consolação» – possuía um campo. Vendeu-o e trouxe o dinheiro, que depositou aos pés dos Apóstolos.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Sal. 92 (93), 1ab.1c-2.5 (R. 1a ou Aleluia)
Refrão: O Senhor é rei num trono de luz. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se
O Senhor é rei,
revestiu-Se de majestade,
revestiu-Se e cingiu-Se de poder. Refrão

Firmou o universo, que não vacilará.
É firme o vosso trono desde sempre,
Vós existis desde toda a eternidade. Refrão

Os vossos testemunhos são dignos de toda a fé,
a santidade habita na vossa casa
por todo o sempre. Refrão


ALELUIA Jo 3, 15
Refrão: Aleluia Repete-se

O Filho do homem será elevado,
para que todo aquele que acredita
tenha n’Ele a vida eterna. Refrão


EVANGELHO Jo 3, 7b-15
«Ninguém subiu ao Céu, senão Aquele que desceu do Céu:
o Filho do homem»

A subida de Jesus para junto do Pai manifesta a sua origem divina e garante a verdade da palavra que Ele nos anunciou. A sua Ressurreição é testemunho a favor de tudo o que Ele nos ensinou. É, por isso, necessário aceitar esse testemunho e ser-lhe fiel, para que o novo nascimento, que é o Baptismo, nos introduza na vida eterna.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: «Não te admires por Eu te haver dito que todos devem nascer de novo. O vento sopra onde quer: ouves a sua voz, mas não sabes donde vem nem para onde vai. Assim acontece com todo aquele que nasceu do Espírito». Nicodemos perguntou: «Como pode ser isso?» Jesus respondeu-lhe: «Tu és mestre em Israel e não sabes estas coisas? Em verdade, em verdade te digo: Nós falamos do que sabemos e damos testemunho do que vimos, mas vós não aceitais o nosso testemunho. Se vos disse coisas da terra e não acreditais, como haveis de acreditar, se vos disser coisas do Céu? Ninguém subiu ao Céu, senão Aquele que desceu do Céu: o Filho do homem. Assim como Moisés elevou a serpente no deserto, também o Filho do homem será elevado, para que todo aquele que acredita tenha n’Ele a vida eterna».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Concedei, Senhor, que em todo o tempo possamos alegrar nos com estes mistérios pascais, de modo que o acto sempre renovado da nossa redenção seja para nós causa de alegria eterna. Por Nosso Senhor.

Prefácio pascal


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Lc 24, 46.25
Jesus Cristo tinha de padecer e ressuscitar dos mortos
para entrar na sua glória. Aleluia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Ouvi, Senhor, as nossas preces e fazei que estes santos mistérios da nossa redenção nos auxiliem na vida presente e nos alcancem as alegrias eternas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Na África Proconsular, os santos Terêncio, Africano, Máximo, Pompeu, Alexandre, Teodoro e quarenta companheiros, mártires, que, no tempo do imperador Décio, morreram pela fé cristã.

2.   Em Alexandria, no Egipto, Santo Apolónio, presbítero e mártir.

3*.   Em Auxerre, cidade da Nêustria, na actual França, São Paládio, bispo, que, tendo sido abade no mosteiro de Saint-Germain de Auxerre, depois de receber o episcopado participou em vários concílios e se aplicou com grande diligência na restauração da disciplina eclesiástica.

4*.   Em Gavello, na Venécia, no actual Véneto, região da Itália, São Beda o Jovem, monge, que, depois de ter passado quarenta e cinco anos ao serviço dos reis, passou o resto da sua vida ao serviço do Senhor num mosteiro.

5.   Em Gand, na Flandres, actualmente na Bélgica, São Macário, peregrino, que, benignamente recebido entre os monges de São Bavo, foi vitimado pela peste no ano seguinte.

6*.   Em Chartres, na França, São Fulberto, bispo, que a muitos alimentou com a sua doutrina, iniciou a reconstrução da catedral com a sua munificência e sabedoria e promoveu a devoção à Virgem Maria Rainha de Misericórdia.

7*.   Em Túnis, no litoral da África Setentrional, o Beato António Neyrot, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir, que, levado preso pelos piratas para a África, caiu na apostasia; mas, com o auxílio da graça divina, na Quinta-Feira da Ceia do Senhor retomou publicamente o hábito religioso, expiando a precedente culpa apedrejado até à morte.

8*.   Em Piacenza, na Emília-Romanha, região da Itália, o Beato Marcos de Bolonha Fantúzzi, presbítero da Ordem dos Menores, insigne pela sua piedade, prudência e pregação.

9.   Em Valladolid, na Espanha, São Miguel dos Santos, presbítero da Ordem da Santíssima Trindade, que se consagrou totalmente às obras de caridade e à pregação da palavra de Deus.

10.   Em Verona, no Véneto, região da Itália, Santa Madalena de Canossa, virgem, que renunciou espontaneamente a todas as riquezas do seu património para seguir a Cristo e fundou os dois institutos das Filhas e dos Filhos da Caridade, para fomentar a formação cristã da juventude.

11*.   No campo de concentração de Dachau, próximo de Munique, cidade da Baviera, na Alemanha, o Beato Bonifácio Zukowski, presbítero da Ordem dos Frades Menores Conventuais e mártir, que, durante a guerra, extenuado com as torturas sofridas por causa da sua fé, consumou no cárcere o seu martírio.