Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-11-20

TERÇA-FEIRA da semana XXXIII

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Ap 3, 1-6. 14-22; Sal 14 (15), 2-3ab. 3cd-4ab. 5
Ev Lc 19, 1-10

* Na Diocese de Lamego – Aniversário da dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – Solenidade; nas outras igrejas da Diocese – FESTA
* No Patriarcado de Lisboa – Aniversário da Ordenação episcopal de D. Nuno Brás da Silva Martins, Bispo Auxiliar (2011).
* Na Congregação da Apresentação de Maria – I Vésp. da Apresentação de Nossa Senhora.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Jer 29, 11.12.14
Os meus pensamentos são de paz
e não de desgraça, diz o Senhor.
Invocar-Me-eis e atenderei o vosso clamor,
e farei regressar os vossos cativos de todos os lugares da terra.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor nosso Deus, concedei-nos a graça
de encontrar sempre a alegria no vosso serviço,
porque é uma felicidade duradoira e profunda
ser fiel ao autor de todos os bens.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos pares) Ap 3, 1-6.14-22
«Se alguém Me abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele»

Nestas cartas às Igrejas, pode sentir-se toda a frescura e toda a seriedade da fé das primeiras comunidades cristãs. À revelação de grandes dons correspondem exigências igualmente grandes e bem definidas, e, ao mesmo tempo, apresentam-se recompensas gloriosas, que não são outras senão a participação na glória do Senhor ressuscitado, Aquele que está sentado no trono do Pai.

Leitura do Livro do Apocalipse
Eu, João, ouvi o Senhor que me dizia: «Ao Anjo da Igreja de Sardes, escreve: ‘Eis o que diz Aquele que tem os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas: Conheço as tuas obras. És considerado vivo, mas estás morto. Desperta e reanima esses restos de vida moribunda, pois verifico que as tuas obras não são perfeitas aos olhos do meu Deus. Lembra-te como aceitaste a palavra que ouviste; guarda-a e arrepende-te. Se não despertares, virei como o ladrão, sem que saibas a hora em que virei ao teu encontro. Todavia, tens em Sardes algumas pessoas que não mancharam as suas vestes: elas Me acompanharão, vestidas de branco, porque são dignas. O vencedor será revestido de vestes brancas; não apagarei o seu nome do livro da vida, mas reconhecê-lo-ei diante de meu Pai e dos seus Anjos’. Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às Igrejas. Ao Anjo da Igreja de Laodiceia, escreve: ‘Assim fala o Amen, a Testemunha fiel e verdadeira, o Princípio das criaturas de Deus: Conheço as tuas obras: não és frio nem quente; antes fosses frio ou quente. Mas porque és morno, isto é, nem frio nem quente, estou quase a vomitar-te da minha boca. Tu dizes: “Sou rico, tenho fortuna e não preciso de nada”, e não sabes que és infeliz, pobre, cego e nu. Aconselho-te a comprar de Mim ouro purificado pelo fogo para te enriqueceres, roupas brancas para te cobrires e ocultares a tua vergonhosa nudez e colírio para ungires os olhos e recuperares a vista. Eu repreendo e castigo aqueles que amo. Sê zeloso e arrepende-te. Eu estou à porta e chamo. Se alguém ouvir a minha voz e Me abrir a porta, entrarei em sua casa, cearei com ele e ele comigo. Ao vencedor fá-lo-ei sentar-se comigo no meu trono, como Eu também fui vencedor e estou sentado com meu Pai no seu trono’. Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às Igrejas».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 14 (15), 2-3ab.3cd-4ab.5 (R. Ap 3, 21)
Refrão: O vencedor sentar-se-á comigo no meu trono. Repete-se

O que vive sem mancha e pratica a justiça
e diz a verdade que tem no seu coração
e guarda a sua língua da calúnia. Refrão

O que não faz mal ao seu próximo,
nem ultraja o seu semelhante,
o que tem por desprezível o ímpio,
mas estima os que temem o Senhor. Repete-se

O que não falta ao juramento mesmo em seu prejuízo
e não empresta dinheiro com usura,
nem aceita presentes para condenar o inocente.
Quem assim proceder jamais será abalado. Repete-se


ALELUIA 1 Jo 4, 10b
Refrão: Aleluia Repete-se
Deus amou-nos e enviou o seu Filho,
como vítima de expiação pelos nossos pecados. Refrão


EVANGELHO Lc 19, 1-10
«O Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido»

É constante em S. Lucas o apelo à conversão. Este apelo é, só por si, a afirmação da misericórdia do Senhor e da necessidade que todo o homem tem de a aceitar, oferecendo a Deus o seu coração, generosamente disposto a converter-se a Ele, como Zaqueu. Ao apelo há-de corresponder a resposta da conversão, e a conversão, que já é dom de Deus, abre a porta à salvação celebrada na alegria.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus entrou em Jericó e começou a atravessar a cidade. Vivia ali um homem rico chamado Zaqueu, que era chefe de publicanos. Procurava ver quem era Jesus, mas, devido à multidão, não podia vê-l’O, porque era de pequena estatura. Então correu mais à frente e subiu a um sicómoro, para ver Jesus, que havia de passar por ali. Quando Jesus chegou ao local, olhou para cima e disse-lhe: «Zaqueu, desce depressa, que Eu hoje devo ficar em tua casa». Ele desceu rapidamente e recebeu Jesus com alegria. Ao verem isto, todos murmuravam, dizendo: «Foi hospedar-Se em casa dum pecador». Entretanto, Zaqueu apresentou-se ao Senhor, dizendo: «Senhor, vou dar aos pobres metade dos meus bens e, se causei qualquer prejuízo a alguém, restituirei quatro vezes mais». Disse-lhe Jesus: «Hoje entrou a salvação nesta casa, porque Zaqueu também é filho de Abraão. Com efeito, o Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Concedei-nos, Senhor,
que os dons oferecidos para glória do vosso nome
nos obtenham a graça de Vos servirmos fielmente
e nos alcancem a posse da felicidade eterna.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 72, 28
A minha alegria é estar junto de Deus,
buscar no Senhor o meu refúgio.

Ou Mc 11, 23.24
Tudo o que pedirdes na oração
vos será concedido, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Depois de recebermos estes dons sagrados,
humildemente Vos pedimos, Senhor:
o sacramento que o vosso Filho
nos mandou celebrar em sua memória
aumente sempre a nossa caridade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Martirológio

1.   Em Antioquia, na Síria, hoje Antakya, na Turquia, São Basílio, mártir.

2.   Em Ástigi, na Hispânia Bética, hoje Écija, na Espanha, São Crispim, bispo e mártir.

3.   Em Doróstoro, na Mésia, hoje Silistra, na Bulgária, São Dásio, mártir.

4.   Em Turim, na Ligúria, hoje no Piemonte, região da Itália, os santos Octávio, Solutor e Adventor, mártires.

5*.   Em Vercelas, também na Ligúria, no actual Piemonte, São Teonesto, mártir, em cuja honra Santo Eusébio edificou uma basílica.

6*.   Em Benevento, na Campânia, também região da Itália, São Doro, bispo.

7.   Em Chalons-sur-Saône, na Borgonha, agora na França, São Silvestre, bispo, que aos quarenta anos do seu sacerdócio, pleno de dias e de virtudes, foi ao encontro do Senhor.

8*.   No monte Jura, no território de Lião, também na actual França, Santo Hipólito, abade e bispo.

9.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, São Gregório Decapolita, monge, que, depois de ter professado a vida monástica e mais tarde anacoreta, se fez peregrino, detendo-se muito tempo em Tessalónica e finalmente em Constantinopla, onde lutou energicamente pelo culto das imagens sagradas e entregou a sua alma a Deus.

10.   Na Inglaterra, Santo Edmundo, mártir, que, sendo rei dos Anglos orientais, foi capturado na batalha contra os invasores pagãos e, pela sua profissão de fé em Cristo, mereceu ser coroado com o martírio.

11.   Em Hildesheim, na Saxónia da Germânia, hoje na Alemanha, São Bernuardo, bispo, que defendeu os seus fiéis das invasões, restaurou a disciplina do clero em numerosos sínodos e promoveu a vida monástica.

12*.   Na Calábria, região da Itália, São Cipriano, abade de Calamízzi, que conservou fielmente as normas e os exemplos dos Padres orientais, foi severo para consigo e generoso para com os pobres e bom conselheiro para todos.

13.   Em Hanoi, no Tonquim, hoje no Vietnam, São Francisco Xavier Can, mártir, que, sendo catequista, por causa da sua fé foi estrangulado e degolado no tempo do imperador Minh Mang.

14*.   Em Véroli, no Lácio, região da Itália, a Beata Maria Fortunata (Ana Félix Víti), da Ordem de São Bento, que exerceu o serviço de roupeiro quase toda a sua vida, procurando sempre cumprir de todo o coração os preceitos da Regra.

15*.   Próximo de Valência, na Espanha, as beatas Ângela de São José (Francisca Lloret Marti) e catorze companheiras[1], virgens e mártires – uma era superiora geral e as outras religiosas da Congregação da Doutrina Cristã –, que padeceram por causa da sua fé em Cristo, durante a perseguição religiosa na devastadora guerra civil.

 


[1]  São estes os seus nomes: Maria do Sufrágio (Antónia Maria Orts Baldó), Maria das Dores (Maria de Montserrat Llimona Planas), Teresa de São José (Ascensão Duart y Roig), Isabel Ferrer Sabriá, Maria da Assunção (Josefa Mongoche Homs), Maria da Conceição (Emília Martí Lacal), Maria da Graça (Paula de Santo António), Coração de Jesus (Maria da Purificação Gómez Vives), Maria do Socorro (Teresa Jiménez Baldoví), Maria das Dores (Gertrudes Surís Brusola), Inácia do Santíssimo Sacramento (Josefa Pascual Pallardó), Maria do Rosário (Catarina Calpe Ibáñez), Maria da Paz (Maria Isabel López Garcia) e Marcela de São Tomás (Áurea Navarro).

 

16*.   Em Picadero de Paterna, também perto de Valênçia, a Beata Maria dos Milagres Ortells Gimeno, virgem da Ordem das Clarissas Capuchinhas e mártir, que durante a mesma perseguição, foi coroada pelo martírio no testemunho de Cristo.