Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-11-04

DOMINGO XXXI DO TEMPO COMUM

Verde – Ofício do domingo (Semana III do Saltério). Te Deum.
+ Missa própria, Glória, Credo, pf. dominical.

L 1 Deut 6, 2-6; Sal 17 (18), 2-3. 4 e 47. 50-51ab
L 2 Hebr 7, 23-28
Ev Mc 12, 28b-34

* Proibidas as Missas de defuntos, excepto a exequial.
* Na Diocese do Algarve – Termina a Semana do Seminário Diocesano e o ofertório para ele
* Na Diocese de Angra – Colecta por ocasião do Dia da Igreja Diocesana.
* Na Diocese de Viana do Castelo – Termina a Semana da Diocese.
* Na Congregação dos Missionários e Missionárias de S. Carlos (Scalabrinianos/as) – S. Carlos Borromeu – SOLENIDADE
* II Vésp. do domingo – Compl. dep. II Vésp. dom.

 

Ano B

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 37, 22-23
Não me abandoneis, Senhor;
meu Deus, não Vos afasteis de mim.
Senhor, socorrei-me e salvai-me.


ORAÇÃO COLECTA
Deus omnipotente e misericordioso,
de quem procede a graça de Vos servirmos fiel e dignamente,
fazei-nos caminhar sem obstáculos
para os bens por Vós prometidos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Deut 6, 2-6
«Escuta, Israel: Amarás o Senhor com todo o teu coração»

Amar a Deus de todo o coração, acima de todas as coisas, é lei fundamental para todo o homem. Não é novidade trazida por Cristo; constitui princípio absoluto já no Antigo Testamento. Jesus há-de recordá-lo para o levar depois à perfeição. Não é por acaso que o povo judaico, já desde o Antigo Testamento, introduziu esta passagem bíblica na sua oração da manhã diária. Nós também agora a lemos na oração da noite (Completas) na Véspera de cada domingo.

Leitura do Livro do Deuteronómio
Moisés dirigiu-se ao povo, dizendo: «Temerás o Senhor, teu Deus, todos os dias da tua vida, cumprindo todas as suas leis e preceitos que hoje te ordeno, para que tenhas longa vida, tu, os teus filhos e os teus netos. Escuta, Israel, e cuida de pôr em prática o que te vai tornar feliz e multiplicar sem medida na terra onde corre leite e mel, segundo a promessa que te fez o Senhor, Deus de teus pais. Escuta, Israel: o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças. As palavras que hoje te prescrevo ficarão gravadas no teu coração».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 17 (18), 2-3.4.47.50-51ab (R. 2)
Refrão:Eu Vos amo, Senhor:
Vós sois a minha força. Repete-se

Eu Vos amo, Senhor, minha força,
minha fortaleza, meu refúgio e meu libertador,
meu Deus, auxílio em que ponho a minha confiança,
meu protector, minha defesa e meu salvador. Refrão

Invoquei o Senhor – louvado seja Ele –
e fiquei salvo dos meus inimigos.
Viva o Senhor, bendito seja o meu protector;
exaltado seja Deus, meu salvador. Refrão

Senhor, eu Vos louvarei entre os povos
e cantarei salmos ao vosso nome.
O Senhor dá ao seu Rei grandes vitórias
e usa de bondade para com o seu Ungido. Refrão


LEITURA II Hebr 7, 23-28
«Porque permanece para sempre, possui um sacerdócio eterno»

Na continuação dos domingos anteriores, a leitura da Epístola aos Hebreus aprofunda o sentido do sacerdócio de Cristo; ele é superior ao da Antiga Aliança, porque é intransmissível, por isso, eterno. Na glória da ressurreição, em que vive agora para sempre, Jesus intercede por nós, e as acções sacerdotais da Igreja sobre a terra significam e tornam operante para os homens de todos os tempos e lugares o sacerdócio eterno de Jesus Cristo.

Leitura da Epístola aos Hebreus
Irmãos: Os sacerdotes da antiga aliança sucederam-se em grande número, porque a morte os impedia de durar sempre. Mas Jesus, que permanece eternamente, possui um sacerdócio eterno. Por isso pode salvar para sempre aqueles que por seu intermédio se aproximam de Deus, porque vive perpetuamente para interceder por eles. Tal era, na verdade, o sumo sacerdote que nos convinha: santo, inocente, sem mancha, separado dos pecadores e elevado acima dos céus, que não tem necessidade, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiro pelos seus próprios pecados, depois pelos pecados do povo, porque o fez de uma vez para sempre quando Se ofereceu a Si mesmo. A Lei constitui sumos sacerdotes homens revestidos de fraqueza, mas a palavra do juramento, posterior à Lei, estabeleceu o Filho sumo sacerdote perfeito para sempre.
Palavra do Senhor.


ALELUIA Jo 14, 23
Refrão: Aleluia. Repete-se
Se alguém Me ama, guardará a minha palavra, diz o Senhor;
meu Pai o amará e faremos nele a nossa morada. Refrão


EVANGELHO Mc 12, 28b-34
«Amarás o Senhor teu Deus. Amarás o teu próximo»

Na Nova Aliança, Jesus, o Filho de Deus, leva à perfeição o primeiro mandamento da Lei, o amor de Deus, e declara o amor para com o próximo, o segundo mandamento, semelhante ao primeiro. Reconhecê-lo e aceitá-lo é já um grande dom e o ponto de partida para o pôr em prática. Foi assim a primeira atitude do escriba; e Jesus louvou-o por isso. Ele estava já no bom caminho.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Marcos
Naquele tempo, aproximou-se de Jesus um escriba e perguntou-Lhe: «Qual é o primeiro de todos os mandamentos?». Jesus respondeu: «O primeiro é este: ‘Escuta, Israel: O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças’. O segundo é este: ‘Amarás o teu próximo como a ti mesmo’. Não há nenhum mandamento maior que estes». Disse-Lhe o escriba: «Muito bem, Mestre! Tens razão quando dizes: Deus é único e não há outro além d’Ele. Amá-l’O com todo o coração, com toda a inteligência e com todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, vale mais do que todos os holocaustos e sacrifícios». Ao ver que o escriba dera uma res¬posta inteligente, Jesus disse-lhe: «Não estás longe do reino de Deus». E ninguém mais se atrevia a interrogá-l’O.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor, fazei que este sacrifício
seja para Vós uma oblação pura
e para nós o dom generoso da vossa misericórdia.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 15, 11
O Senhor me ensinará o caminho da vida,
a seu lado viverei na plenitude da alegria.

Ou Jo 6, 58
Assim como o Pai que Me enviou
é o Deus vivo e Eu vivo pelo Pai,
também o que Me come viverá por Mim, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Multiplicai em nós, Senhor, os frutos da vossa graça,
para que os sacramentos celestes
que nos alimentam na vida presente
nos preparem para alcançarmos a herança prometida.
Por Nosso Senhor.

 

 

Santo

S. CARLOS BORROMEU, bispo

 

 

Martirológio

Memória de São Carlos Borromeu, bispo, que, nomeado cardeal por seu tio materno, o papa Pio IV, e eleito bispo de Milão, foi nesta sede um verdadeiro pastor fiel, solícito pelas necessidades da Igreja do seu tempo: convocou sínodos e erigiu seminários para a formação do clero; visitou muitas vezes toda a sua diocese para fortalecer a vida cristã e estabeleceu muitas normas em ordem à salvação das almas. Passou à pátria celeste no dia 3 de Novembro.

 

2.   Em Bolonha, na actual Emília-Romanha, região da Itália, os santos Vital e Agrícola, mártires, dos quais, segundo narra Santo Ambrósio, o primeiro tinha sido servo do segundo e depois irmão na fé e companheiro no martírio: de facto, Vital sofreu tantos tormentos que nenhuma parte do corpo ficou sem feridas; Agrícola, sem se intimidar com o suplício do servo, imitou-o no martírio sendo crucificado.

3.   Em Mira, na Lícia, na hodierna Turquia, os santos mártires Nicandro, bispo, e Hermes, presbítero.

4.   Comemoração de São Piério, presbítero de Alexandria, homem ilustre pelo conhecimento das doutrinas filosóficas, mas ainda mais insigne pela integridade da sua vida e voluntária pobreza, que ensinou sabiamente ao povo a Sagrada Escritura quando Teonas governava a Igreja de Alexandria e, terminado o tempo da perseguição, permaneceu em Roma, onde descansou em paz.

5.   Em Rodez, na Aquitânia, actualmente em França, Santo Amâncio, bispo, que é considerado o primeiro pontífice desta cidade.

6*.   Em Maastricht, no Brabante da Austrásia, actualmente na Holanda, São Perpétuo, bispo.

7.   Em Tréveris, na Austrásia, hoje na Alemanha, Santa Modesta, abadessa, que, consagrada a Deus desde a infância, foi a primeira a presidir à comunidade de monjas no cenóbio de Santa Maria de «ad Hórreum» nesta cidade e gozava da grande amizade espiritual de Santa Gertrudes de Nivelles.

8.   Em Alba Regia, na Panónia, hoje Szekesfehervar, na Hungria, Santo Henrique ou Emerico, filho de Santo Estêvão, rei dos Húngaros, que teve morte prematura.

9*.   Em Pádua, no Véneto, região da Itália, a Beata Helena Enselmíni, virgem da Ordem das Clarissas, que sofreu com admirável paciência muitas dores, inclusivamente a perda da fala.

10*.   Em Cerfroid, no território de Meaux, na França, São Félix de Valois, que, depois de uma longa vida solitária, é considerado companheiro de São João da Mata na fundação da Ordem da Santíssima Trindade para a Redenção dos Cativos.

11*.   No convento de Nossa Senhora dos Escoceses, em Nantes, na França, a Beata Francisca de Amboise, que, sendo duquesa de Bretanha, fundou em Vannes o primeiro Carmelo feminino da França, para onde se retirou como serva de Cristo quando ficou viúva.

12♦.   Em Montefusco, na Campânia, região da Itália, a Beata Teresa Manganiello, virgem da Ordem Terceira de São Francisco.

13♦.   Em Madrid, na Espanha, o Beato José Gafo Muñiz, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir, que, na mesma perseguição, confirmou com o seu sangue a fidelidade ao Senhor.