Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-08-19

SÁBADO da semana XIX

Santa Maria no Sábado – MF
S. João Eudes, presbítero – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).
L 1 Jos 24, 14-29; Sal 15 (16), 1-2a e 5. 7-8. 9-10. 11
Ev Mt 19, 13-15

* Na Ordem Agostiniana – S. Ezequiel Moreno, bispo – FESTA
* Na Ordem Beneditina – B. Bernardo Ptolomeu, abade – MF; S. João Eudes – MF
* Na Ordem Franciscana – S. Luís de Tolosa, bispo, da I Ordem – MF
* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – S. Luís de Tolosa, bispo, da I Ordem – MF
* Na Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor – S. João Eudes, presbítero – SOLENIDADE
* Na Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus – S. João Eudes, presbítero – MO
* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 73, 20.19.22.23
Lembrai-Vos, Senhor, da vossa aliança,
não esqueçais para sempre a vida dos vossos fiéis.
Levantai-Vos, Senhor, defendei a vossa causa,
escutai a voz daqueles que Vos procuram.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e omnipotente,
a quem podemos chamar nosso Pai,
fazei crescer o espírito filial em nossos corações
para merecermos entrar um dia na posse da herança prometida.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Jos 24, 14-29
«Escolhei hoje a quem quereis servir»

Uma vez entrado na Terra Prometida, o povo é convidado a renovar a aliança. E fá-lo em grande assembleia solene. Os grandes momentos da vida exigem esta renovação da Aliança com o Senhor, para que nos lembremos daquilo de que Ele nunca Se esquece: que na história dos homens, e de cada homem, Deus está sempre realizando a salvação do seu povo.

Leitura do Livro de Josué
Naqueles dias, Josué falou ao povo, dizendo: «Temei o Senhor, servi-O com rectidão e fidelidade. Afastai os deuses que os vossos pais serviram para lá do rio Eufrates e no Egipto e servi o Senhor. Se não vos agrada servir o Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se os deuses que os vossos pais serviram para lá do rio Eufrates, se os deuses dos amorreus em cuja terra agora habitais. Eu e a minha família serviremos o Senhor». Mas o povo respondeu: «Longe de nós abandonar o Senhor para servir outros deuses. Porque o Senhor é o nosso Deus, que nos fez sair, a nós e aos nossos pais, da terra do Egipto, da casa da escravidão. Foi Ele que, diante dos nossos olhos, realizou tão grandes prodígios e nos protegeu durante o caminho que percorremos entre os povos por onde passámos. Foi o Senhor que expulsou da nossa frente todas as nações e os amorreus que habitavam nesta terra. Também nós queremos servir o Senhor, porque Ele é o nosso Deus». Então Josué disse ao povo: «Vós não podereis servir o Senhor, porque Ele é um Deus santo, um Deus zeloso, que não suportará as vossas transgressões e os vossos pecados. Se abandonardes o Senhor para servir deuses estranhos, Ele voltar-Se-á contra vós e, depois de ter sido o vosso benfeitor, vos fará mal e vos exterminará». O povo respondeu a Josué: «Não. Nós queremos servir o Senhor». E Josué disse ao povo: «Sois testemunhas contra vós mesmos de que escolhestes servir o Senhor». Eles responderam: «Somos testemunhas». Josué acrescentou: «Então afastai do meio de vós os deuses estranhos e voltai os vossos corações para o Senhor, Deus de Israel». O povo respondeu a Josué: «Serviremos o Senhor, nosso Deus, e obedeceremos à sua voz». Naquele dia, Josué fez uma aliança com o povo e deu-lhe em Siquém leis e preceitos. Depois escreveu essas palavras no livro da lei de Deus. Tomou uma grande pedra e levantou-a ali como monumento debaixo do carvalho que estava no santuário do Senhor. Josué disse a todo o povo: «Esta pedra nos servirá de testemunha, porque ouviu todas as palavras que o Senhor nos disse. Será uma testemunha contra vós, se renegardes o vosso Deus». Por fim Josué despediu o povo e cada um voltou para a sua herança. Algum tempo depois, Josué, filho de Nun e servo do Senhor, morreu com cento e dez anos de idade.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 15 (16), 1-2a e 5.7-8.9-10.11 (R. cf. 5a)
Refrão: O Senhor é a minha herança. Repete-se

Defendei-me, Senhor: Vós sois o meu refúgio.
Digo ao Senhor: «Vós sois o meu Deus».
Senhor, porção da minha herança e do meu cálice,
está nas vossas mãos o meu destino. Refrão

Bendigo o Senhor por me ter aconselhado,
até de noite me inspira interiormente.
O Senhor está sempre na minha presença,
com Ele a meu lado não vacilarei. Refrão

Por isso o meu coração se alegra e a minha alma exulta
e até o meu corpo descansa tranquilo.
Vós não abandonareis a minha alma
na mansão dos mortos,
nem deixareis o vosso fiel sofrer a corrupção. Refrão

Dar-me-eis a conhecer os caminhos da vida,
alegria plena na vossa presença,
delícias eternas à vossa direita. Refrão


ALELUIA cf. Mt 11, 25
Refrão: Aleluia Repete-se
Bendito sejais, ó Pai, Senhor do céu e da terra,
porque revelastes aos pequeninos os mistérios do reino.Refrão


EVANGELHO Mt 19, 13-15
«Deixai que as crianças se aproximem de Mim:
dos que são como elas é o reino dos Céus»

Quem acreditaria que o Reino dos Céus se pudesse comparar aos que, entre os homens, são os mais pequeninos? Mas foi assim que Jesus quis incutir nos seus a regra da boa convivência entre os membros deste reino de Deus, que, já na terra, é figura e antecipação do reino dos Céus. É aqui, nesta Igreja da terra, que vamos aprendendo a sermos membros da Igreja do Céu, que é, aliás, a mesma e única Igreja.
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, apresentaram umas crianças a Jesus, para que lhes impusesse as mãos e orasse sobre elas. Mas os discípulos afastavam-nas. Então Jesus disse: «Deixai que as crianças se aproximem de Mim; não as estorveis. Dos que são como elas é o reino dos Céus». A seguir, impôs as mãos sobre as crianças e partiu dali.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai benignamente, Senhor,
os dons que Vós mesmo concedestes à vossa Igreja
e transformai-os, com o vosso poder,
em sacramento da nossa salvação.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 147,12.14
Louva, Jerusalém, o Senhor,
que te saciou com a flor da farinha.

Ou Jo 6, 52
O pão que Eu vos darei, diz o Senhor,
é a minha carne pela vida do mundo.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Nós Vos pedimos, Senhor,
que a comunhão do vosso sacramento nos salve
e nos confirme na luz da vossa verdade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

S. JOÃO EUDES, presbítero

 

 

Martirológio

São João Eudes, presbítero, que se dedicou durante muitos anos à pregação nas paróquias e fundou depois a Congregação de Jesus e Maria, para a formação dos sacerdotes nos seminários, e a das monjas de Nossa Senhora da Caridade, para fortalecer na vida cristã as mulheres penitentes; fomentou com grande ardor a devoção aos Sagrados Corações de Jesus e de Maria, até que, em Caen, na Normandia, região da França, adormeceu piedosamente no Senhor.

 

2.   Em Ceccano, no Lácio, região da Itália, São Magno, mártir.

3.   No território de Tarragona, na Hispânia, São Magino, mártir.

4.   Em Gaza, na Palestina, São Timóteo, mártir, que, durante a perseguição do imperador Diocleciano e o governador Urbano, depois de superar muitos suplícios, foi queimado a fogo lento.

5.   Na Cilícia, na hodierna Turquia, Santo André, tribuno, e companheiros soldados, que, segundo conta a tradição, depois de uma batalha miraculosamente conseguida sobre os Persas, se converteram à fé em Cristo e, acusados por este motivo, no tempo do imperador Maximiano foram massacrados pelo exército do governador Seleuco, nos desfiladeiros dos montes Tauro.

6.   Em Roma, junto à Via Tiburtina, perto de São Lourenço, o sepultamento de São Sisto III, papa, que conciliou as dissenções entre os patriarcados de Antioquia e de Alexandria e construiu em Roma para o povo de Deus a basílica de Santa Maria no Esquilino.

7.   No território de Sisteron, na Gália, actualmente na França, São Donato, presbítero, que, segundo a tradição, passou muitos anos de vida anacorética.

8*.   No mosteiro de Bóbbio, na Ligúria, hoje na Emília-Romanha, São Bertolfo, abade, sucessor de Santo Atala no mesmo cenóbio.

9.   Em Nuremberga, na Francónia, hoje na Alemanha, São Sebaldo, eremita.

10*.   Na Calábria, região da Itália, São Bartolomeu de Símeri, presbítero e abade, que, depois de algum tempo de vida eremítica, fundou o mosteiro dos Gregos.

11*.   No mosteiro de Igny, na França, o Beato Guerrico, abade, que, como verdadeiro discípulo de São Bernardo, não podendo dar aos seus confrades um exemplo de trabalho por causa da sua debilidade corporal, com grande humildade e caridade os ajudava muito com assíduas exortações espirituais.

12*.   No mosteiro de Cava de’ Tirréni, na Campânia, região da Itália, o Beato Leão II, abade.

13.   Em Brignoles, na Provença, região da França, o passamento de São Luís, bispo, sobrinho do rei São Luís, que procurou mais a pobreza evangélica que as honras e louvores do mundo e, ainda jovem na idade mas maduro na virtude, foi elevado à sede episcopal de Toulouse; e, passado pouco tempo, consumido pela precária saúde, adormeceu piedosamente no Senhor.

14*.   Em Piacenza, na Emília-Romanha, região da Itália, o Beato Jordão de Pisa, presbítero da Ordem dos Pregadores, que explicava ao povo em língua vulgar a mais profunda doutrina com grande simplicidade.

15*.   Em Acquapagana, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, o Beato Ângelo, eremita, da Ordem dos Camaldulenses.

16♦.   Em Hagi, no Japão, o Beato Damião, catequista e mártir.

17*.   Em Nagasáki, no Japão, os beatos mártires Luís Flores, presbítero da Ordem dos Pregadores, Pedro de Zuñiga, presbítero da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho, e treze companheiros[1], marinheiros japoneses, que, ao chegarem ao porto foram imediatamente presos por causa da fé cristã e, depois de vários suplícios, todos receberam a mesma coroa do martírio.

 


[1]  São estes os seus nomes: Joaquim Hirayama, Leão Sukeyemon, João Soyemon, Miguel Díaz, António Yamada, Marcos Takenoshima Shinyemon, Tomé Koyanagi, Tiago Matsuo Denshi, Lourenço Rokuyemon, Paulo Sankichi, João Yago, João Nagata Matakichi, Bartolomeu Mohioye.

 

18*.   Em Dorchester, na Inglaterra, o Beato Hugo Green, presbítero e mártir, que, depois de ordenado em Douai, exerceu o ministério durante trinta anos na pátria, até que, no reinado de Carlos I, longa e cruelmente dilacerado, mereceu associar-se à paixão de Cristo.

19.   Em Monteagudo, na região de Navarra, na Espanha, Santo Ezequiel Moreno Díaz, bispo de Pasto, na Colômbia, da Ordem dos Recoletos de Santo Agostinho, que passou a vida a anunciar o Evangelho, tanto nas Filipinas como na América do Sul.

20*.   Em Llosa de Ranes, localidade da província de Valência, também na Espanha, o Beato Francisco Ibáñez Ibáñez, presbítero e mártir, que, durante a perseguição contra a fé, terminou a sua vida seguindo a Cristo até à morte.

21*.   Em Gandia, também na Espanha, o Beato Tomás Sitjar Fortiá, presbítero da Companhia de Jesus e mártir, que, na mesma perseguição, derramou o seu sangue por Cristo.

22*.   No lugar chamado El Saler, também na região de Valência, as beatas Elvira da Natividade de Nossa Senhora (Elvira Torrentallé Paraire) e companheiras[2], virgens do Instituto das Irmãs Carmelitas da Caridade e mártires, que, também na mesma perseguição, combatendo pela fé em Cristo Esposo, alcançaram a recompensa eterna.

 


[2]  São estes os seus nomes: Rosa de Nossa Senhora do Bom Conselho (Rosa Pedret Rull), Maria de Nossa Senhora da Providência (Maria Calaf Miracle), Francisca de Santa Teresa (Francisca de Amesúa Ibaibarriaga), Maria dos Desamparados do Santíssimo Sacramento (Maria Giner Lister), Teresa da Mãe do Divino Pastor (Teresa Chambó Palés), Águeda de Nossa Senhora das Virtudes (Águeda Hernández Amorós), Maria das Dores de São Francisco Xavier (Maria das Dores Vidal Cervera) e Maria das Neves da Santíssima Trindade (Maria das Neves Crespo López).