Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-07-28

SEXTA-FEIRA da semana XVI

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Ex 20, 1-17; Sal 18 B (19), 8-9. 10. 11
Ev Mt 13, 18-23

* Na Ordem dos Carmelitas Descalços – B. João Soreth – MF
* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – B. Maria Teresa Kowalska, virgem e mártir, da II Ordem – MF
* Na Instituição Teresiana – S. Pedro Poveda Castroverde, mártir e Fundador – SOLENIDADE
* Nas Irmãzinhas dos Anciãos Desamparados – I Vésp. de S. Marta.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 53, 6.8
Deus vem em meu auxílio, o Senhor sustenta a minha vida.
De todo o coração Vos oferecerei sacrifícios,
cantando a glória do vosso nome.


ORAÇÃO COLECTA
Sede propício, Senhor, aos vossos servos
e multiplicai neles os dons da vossa graça,
para que, fervorosos na fé, esperança e caridade,
perseverem na fiel observância dos vossos mandamentos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Ex 20, 1-17
«A lei foi dada por Moisés» (Jo 1,17)

Entre os elementos que entram na aliança de Deus com o seu povo está o Decálogo, isto é, os Dez Mandamentos, resumo da lei de Deus. Os mandamentos estão aliás no coração de cada homem; eles são aí já a voz de Deus, sempre a fazer ouvir-se. Mas mais e maior que “a lei dada por meio de Moisés» é a Graça e a Verdade que vieram por Jesus Cristo. Jesus não veio destruir a lei, mas levá-la à perfeição.

Leitura do Livro do Êxodo
Naqueles dias, Deus pronunciou todas estas palavras: «Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egipto, dessa casa da escravidão. Não terás outros deuses diante de Mim. Não farás para ti qualquer imagem esculpida, nem figura do que existe lá no alto dos céus ou cá em baixo na terra ou nas águas debaixo da terra. Não adorarás outros deuses nem lhes prestarás culto. Eu, o Senhor teu Deus, sou um Deus cioso: castigo a ofensa dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que Me ofendem; mas uso de misericórdia até à milésima geração para com aqueles que Me amam e guardam os meus mandamentos. Não invocarás em vão o nome do Senhor teu Deus, porque o Senhor não deixa sem castigo aquele que invoca o seu nome em vão. Lembrar-te-ás do dia de sábado, para o santificares. Durante seis dias trabalharás e levarás a cabo todas as tuas tarefas. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus. Não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo nem a tua serva, nem os teus animais domésticos, nem o estrangeiro que vive na tua cidade. Porque em seis dias o Senhor fez o céu, a terra, o mar e tudo o que eles contêm; mas no sétimo dia descansou. Por isso, o Senhor abençoou e consagrou o dia de sábado. Honra pai e mãe, a fim de prolongares os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te vai dar. Não matarás. Não cometerás adultério. Não furtarás. Não levantarás falso testemunho contra o teu próximo. Não cobiçarás a casa do teu próximo; não desejarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo nem a sua serva, o seu boi ou o seu jumento, nem coisa alguma que lhe pertença».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 18 B (19 B), 8.9.10.11 (R. Jo 6, 68 c)
Refrão: Senhor, Vós tendes palavras de vida eterna. Repete-se

A lei do Senhor é perfeita,
ela reconforta a alma;
as ordens do Senhor são firmes,
dão sabedoria aos simples. Refrão

Os preceitos do Senhor são rectos
e alegram o coração;
os mandamentos do Senhor são claros
e iluminam os olhos. Refrão

O temor do Senhor é puro
e permanece para sempre;
os juízos do Senhor são verdadeiros,
todos eles são rectos. Refrão

São mais preciosos que o ouro,
o ouro mais fino;
são mais doces que o mel,
o puro mel dos favos. Refrão


ALELUIA cf. Lc 8, 15
Refrão: Aleluia Repete-se
Felizes os que recebem a palavra de Deus
de coração sincero e generoso
e produzem fruto pela perseverança. Refrão


EVANGELHO Mt 13, 18-23
«Aquele que ouve a palavra e a compreende, esse dá fruto»
Jesus dá a explicação da parábola do semeador. A semente é sempre boa, porque é a palavra de Deus, mas o fruto depende do acolhimento que a terra lhe dá, da atenção que ela encontra no coração de cada homem.
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Escutai o que significa a parábola do semeador: Quando um homem ouve a palavra do reino e não a compreende, vem o Maligno e arrebata o que foi semeado no seu coração. Este é o que recebeu a semente ao longo do caminho. Aquele que recebeu a semente em sítios pedregosos é o que ouve a palavra e a acolhe de momento com alegria, mas não tem raiz em si mesmo, porque é inconstante, e, ao chegar a tribulação ou a perseguição por causa da palavra, sucumbe logo. Aquele que recebeu a semente entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo e a sedução da riqueza sufocam a palavra, que assim não dá fruto. E aquele que recebeu a palavra em boa terra é o que ouve a palavra e a compreende. Esse dá fruto e produz ora cem, ora sessenta, ora trinta por um».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor, que levastes à plenitude os sacrifícios da Antiga Lei
no único sacrifício de Cristo,
aceitai e santificai esta oblação dos vossos fiéis,
como outrora abençoastes a oblação de Abel;
e fazei que os dons oferecidos em vossa honra por cada um de nós
sirvam para a salvação de todos.
Por Nosso Senhor.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Salmo 110, 4-5
O Senhor misericordioso e compassivo
instituiu o memorial das suas maravilhas,
deu sustento àqueles que O temem.
Ou Ap 3, 20
Eu estou à porta e chamo, diz o Senhor.
Se alguém ouvir a minha voz e Me abrir a porta,
entrarei em sua casa, cearei com ele e ele comigo.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Protegei, Senhor, o vosso povo
que saciastes nestes divinos mistérios
e fazei-nos passar da antiga condição do pecado
à vida nova da graça.
Por Nosso Senhor.

 

Martirológio

1.   Comemoração dos santos Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau prosélito de Antioquia, os quais pertencem ao grupo dos sete que, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, foram escolhidos pela multidão dos discípulos e sobre quem os Apóstolos impuseram as mãos para o serviço dos necessitados.

2.   Em Roma, São Vítor I, papa, africano, que estabeleceu que o dia da Páscoa fosse celebrado em toda a Igreja no domingo a seguir à Páscoa judaica.

3.   Comemoração de numerosos mártires, que, na Tebaida do Egipto, padeceram durante a perseguição dos imperadores Décio e Valeriano; vendo que os cristãos desejavam com ardor morrer ao fio da espada pelo nome de Cristo, os astuciosos inimigos, mais empenhados na morte das almas que dos corpos, foram prolongando os suplícios de morte lenta.

4.   Em Mileto, na Cária, na hodierna Turquia, Santo Acácio, mártir no tempo do imperador Licínio.

5.   Em Milão, na Ligúria, actualmente na Lombardia, região da Itália, os santos Nazário e Celso, mártires, cujos corpos foram encontrados por Santo Ambrósio.

6*.   Em Troyes, na Gália, hoje na França, São Cameliano, bispo, que foi discípulo de São Lopo e seu sucessor.

7.   Em Dol, na Bretanha Menor, também na actual França, São Sansão, abade e bispo, que difundiu por todo o território da Domnonée o Evangelho e a disciplina monástica que aprendera do abade Santo Iltudo, no País de Gales.

8*.   Na Suécia, São Botvido, mártir, que, de origem sueca e baptizado na Inglaterra, se dedicou à evangelização da sua pátria, até que foi assassinado por um homem que ele próprio tinha resgatado da escravidão.

9♦.   Em Nishizaka, localidade de Nagasáki, no Japão, o Beato Miguel Kusuriya, mártir.

10.   Em Nam Dinh, cidade do Tonquim, no actual Vietnam, São Melchior Garcia Sanpedro, bispo da Ordem dos Pregadores e mártir, que, por Cristo foi encerrado numa estreitíssima prisão e, por ordem do imperador Tu Duc, morreu dilacerado.

11.   Em Madrid, na Espanha, São Pedro Poveda Castroverde, presbítero e mártir, que fundou o Instituto Teresiano para divulgação da doutrina cristã e, no início da perseguição contra a Igreja, foi morto em ódio à fé, oferecendo a Deus um insigne testemunho.

12*.   Em Purroy de la Solana, local da província de Huesca, também na Espanha, os beatos Manuel Segura López, presbítero, e David Carlos Marañón, religioso, ambos da Ordem dos Clérigos Regrantes das Escolas Pias, mártires na mesma perseguição.

13*.   Em Barcelona, também na Espanha, os beatos José Caselles Moncho e José Castell Camps, presbíteros da Sociedade Salesiana e mártires, que, na mesma perseguição contra a fé, mereceram através do martírio alcançar a glória eterna.

14♦.   Em Ronda, perto de Málaga, também na Espanha, os beatos Miguel Molina de la Torre e Paulo Caballero Lopez, presbíteros, Honório Hernández Martin e João Luís Hernández Medina, religiosos, todos da Sociedade Salesiana e mártires, que foram fuzilados na mesma perseguição contra a Igreja.

15♦.   Em Madrid, também na Espanha, os beatos mártires Sabino Hernández Laso, presbítero da Sociedade Salesiana, e Miguel Léibar Garay, presbítero da Companhia de Maria, que morreram como vítima por Cristo na mesma perseguição contra a fé cristã.

16♦.   Na estrada Madrid-Valência, também na Espanha, os beatos Pedro Alonso Fernández, Primitivo Sandin Miñambres, Lourenço Arribas Palácio e Froilão Lanero Villadangos, presbíteros da Ordem de Santo Agostinho e mártires, que, durante a perseguição religiosa, consumaram o seu martírio fuzilados junto ao muro do cemitério em ódio ao sacerdócio.

17♦.   Em Fernancaballeros, localidade da província de Ciudad Real, na Espanha, o Beato Jesus Aníbal Gómez Gómez, candidato ao sacerdócio na Congregação dos Missionários Filhos do Coração Imaculado de Maria e mártir, que, durante a perseguição religiosa, tendo vindo da Colômbia para os estudos de teologia, foi assasssinado em ódio à fé e ofereceu a Deus o sacrifício perfeito com o derramamento do seu sangue.

18♦.   Em Griñon, cidade da  província de Madrid, na Espanha, o Beato Mário Félix (Manuel José de Sousa), natural de Santa Marta de Bouro, localidade do distrito de Braga, em Portugal, que, depois de ter vivido vários anos no Brasil, voltou à pátria e ingressou na Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e, tendo sido destinado a esta Comunidade, foi preso e fuzilado pelos perseguidores da Igreja em ódio à fé.

19.   Em Tarragona, também na Espanha, São Jaime Hilário (Manuel Barbal Cosan), religioso da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs, mártir, que, durante a perseguição contra a fé cristã, foi condenado à morte em ódio à Igreja.

20*.   Em Bharananganan, cidade do estado de Kerala, na Índia, Santa Afonsa da Imaculada Conceição (Ana Muttathupadathu), virgem, que, para evitar um matrimónio imposto, queimou um pé no fogo e, admitida entre as Clarissas Malabarenses, viveu quase continuamente enferma, oferecendo a Deus a sua vida.