Liturgia diária

Agenda litúrgica

QUARTA-FEIRA da semana XXXII

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Tit 3, 1-7; Sal 22 (23), 1-3a. 3b-4. 5. 6
Ev Lc 17, 11-19

* Na Ordem Carmelita e na Ordem dos Carmelitas Descalços – Todos os Santos Carmelitas – FESTA
* Na Ordem Franciscana – SS. Nicolau Tavelic, presbítero e Companheiros, mártires, da I Ordem – MF
* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – SS. Nicolau Tavelic e Companheiros, presbíteros e mártires, da I Ordem – MO
* Na Companhia de Jesus – S. José Pignatelli, presbítero – MO
* Na Diocese de Mindelo (Cabo Verde) – Aniversário da criação da Diocese (2003).

 

 

Missa

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 87, 3
Chegue até Vós, Senhor, a minha oração,
inclinai o ouvido ao meu clamor.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e misericordioso,
afastai de nós toda a adversidade,
para que, sem obstáculos do corpo ou do espírito,
possamos livremente cumprir a vossa vontade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos pares) Tito 3, 1-7
«Éramos insensatos,
mas Ele salvou-nos pela sua misericórdia»

Se hoje somos cristãos e conhecemos, melhor do que os que o não são, os caminhos de Deus, isso não é mérito nosso, mas graça do Senhor. Reconhecê-lo é caminho para fazer nascer no nosso coração a acção de graças e novo estímulo à fidelidade para com Ele. Deste modo, os cristãos devem ser os primeiros a integrar-se na ordem pública, a obedecer às autoridades e às leis e a serem bondosos para com todos. Uma vez cristãos, hão-de abandonar costumes e sentimentos próprios de pagãos.

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo a Tito
Caríssimo: Recorda a todos os irmãos que devem ser submissos aos governantes e às autoridades, que devem obe¬decer-lhes e estar prontos para toda a boa obra. Não digam mal de ninguém, não sejam conflituosos, mas pacíficos, mostrando-se sempre atenciosos para com todos. Também nós, antigamente, éramos insensatos, rebeldes, transviados, escravos de toda a espécie de paixões e prazeres, vivendo na perversidade e na inveja, odiados e odiando-nos uns aos outros. Mas, ao manifestar-se a bondade de Deus nosso Salvador e o seu amor para com os homens, Ele salvou-nos, não pelas obras justas que praticámos, mas em virtude da sua misericórdia, pelo baptismo da regeneração e renovação do Espírito Santo, que Ele derramou abundantemente sobre nós, por meio de Jesus Cristo nosso Salvador, para que, justificados pela sua graça, nos tornássemos, em esperança, herdeiros da vida eterna.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 22 (23), 1-3a.3b-4.5.6 (R. 1)
Refrão: O Senhor é meu pastor: nada me faltará. Repete-se

O Senhor é meu pastor: nada me falta.
Leva-me a descansar em verdes prados,
conduz-me às águas refrescantes
e reconforta a minha alma. Refrão

Ele me guia por sendas direitas por amor do seu nome.
Ainda que tenha de andar por vales tenebrosos,
não temerei nenhum mal, porque Vós estais comigo:
o vosso cajado e o vosso báculo
me enchem de confiança. Refrão

Para mim preparais a mesa
à vista dos meus adversários;
com óleo me perfumais a cabeça
e o meu cálice transborda. Refrão

A bondade e a graça hão-de acompanhar-me
todos os dias da minha vida,
e habitarei na casa do Senhor
para todo o sempre. Refrão


ALELUIA cf.1 Tes 5, 18
Refrão: Aleluia. Repete-se
Em todo o tempo e lugar dai graças a Deus,
porque esta é a sua vontade a vosso respeito
em Cristo Jesus. Refrão


EVANGELHO Lc 17, 11-19
«Não se encontrou quem voltasse para dar glória a Deus
senão este estrangeiro»

A fé leva a aceitar o poder e a bondade de Deus, manifestada em Jesus Cristo. Mas esta aceitação não pode ficar-se em atitude puramente intelectual, fria, que não chegaria a ser humana. A fé autêntica leva à caridade, a única que dá vida às atitudes verdadeiramente cristãs. A caridade informa a vida toda e inspira logo o louvor e a acção de graças, que são a expressão mais pura da oração.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, indo Jesus a caminho de Jerusalém, passava entre a Samaria e a Galileia. Ao entrar numa povoação, vieram ao seu encontro dez leprosos. Conservando-se a distância, disseram em alta voz: «Jesus, Mestre, tem compaixão de nós». Ao vê-los, Jesus disse-lhes: «Ide mostrar-vos aos sacerdotes». E sucedeu que no caminho ficaram limpos da lepra. Um deles, ao ver-se curado, voltou atrás, glorificando a Deus em alta voz, e prostrou-se de rosto por terra aos pés de Jesus para Lhe agradecer. Era um samaritano. Jesus, tomando a palavra, disse: «Não foram dez os que ficaram curados? Onde estão os outros nove? Não se encontrou quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro?». E disse ao homem: «Levanta-te e segue o teu caminho; a tua fé te salvou».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Olhai, Senhor, com benevolência
para o sacrifício que Vos apresentamos,
a fim de participarmos com sincera piedade
no memorial da paixão do vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 22, 1-2
O Senhor é meu pastor: nada me falta.
Leva-me a descansar em verdes prados.
Conduz-me às águas refrescantes
e reconforta a minha alma.

Ou Lc 24, 35
Os discípulos reconheceram
o Senhor Jesus ao partir o pão.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Nós Vos damos graças, Senhor,
pelo alimento celeste que recebemos
e imploramos da vossa misericórdia
que, pela acção do Espírito Santo,
perseverem na vossa graça
os que receberam a força do alto.
Por Nosso Senhor.

 

 

Martirológio Romano

1.   Em Heracleia, na Trácia, hoje Mármara, na Turquia, São Teódoto, mártir.

(† c. s. III)

2.   Em Gangra, na Paflagónia, hoje Trabzon, também na Turquia, Santo Hipácio, bispo, que morreu mártir, lapidado num caminho pelos hereges novacianos.

(† s. IV)

3.   Em Avinhão, na Provença, território da actual França, São Rufo, considerado o primeiro que presidiu à comunidade cristã deste lugar.

(† s. IV)

4*.   Na ilha de Bardsey, no litoral da Câmbria setentrional, hoje País de Gales, São Dubrício, bispo e abade.

(† s. VI)

5*.   Em Traú, na Dalmácia, na hodierna Croácia, São João, bispo, que, sendo eremita no mosteiro camaldulense de Osor, foi ordenado bispo e defendeu com êxito a cidade do assalto do rei Colomano.

(† c. 1111)

6.   Na localidade de Eu, na Normandia, região da França, o passamento de São Lourenço O’Toole (Lorcan Ua Tuathail), bispo de Dublin, que, no meio das dificuldades do seu tempo, promoveu vigorosamente a disciplina regular da Igreja e procurou estabelecer a concórdia entre os príncipes; quando regressava de uma visita a Henrique II, rei da Inglaterra, chegou às alegrias da paz eterna.

(†1180)

7*.   No cenóbio de Santa Maria de Gualdo Mazocca, próximo de Campobasso, na Itália, o Beato João de Tufara, eremita.

(† 1170)

8*.   Em Mariëngaarde, na Frísia, na hodierna Holanda, São Siardo, abade da Ordem Premonstratense, memorável pela sua observância regular e pela sua generosidade para com os pobres.

(† 1230)

9*.   Em Argel, na África setentrional, hoje na Argélia, São Serapião, o primeiro membro da Ordem de Nossa Senhora das Mercês para a redenção dos fiéis cativos e a pregação da fé cristã que mereceu a palma do martírio.

(† 1240)

10.   Em Jerusalém, os santos Nicolau Tavelic, Deusdado Aribert, Estêvão de Cúneo e Pedro de Narbona, presbíteros da Ordem dos Menores e mártires, que, por pregarem livremente na praça pública a religião cristã aos Sarracenos e confessarem perseverantemente a fé em Cristo, Filho de Deus, foram queimados vivos.

(† 1391)

11*.   Em Cáccamo, na Sicília, região da Itália, o Beato João Líccio, presbítero da Ordem dos Pregadores, eminente pela sua infatigável caridade para com o próximo, propagação da recitação do Rosário e observância da disciplina regular, que descansou no Senhor aos cento e onze anos de idade.

(† 1511)

12♦.   Em Ikitsuki, cidade da província de Nagasáki, no Japão, os beatos Gaspar Nishi Genka, sua esposa Úrsula Nishi e seu filho João Nishi Mataishi, mártires.

(† 1609)

13.   Na fortaleza de Binh Dinh, na Cochinchina, actualmente no Vietnam, Santo Estêvão Teodoro Cuénot, bispo, da Sociedade das Missões Estrangeiras de Paris e mártir, que, depois de vinte e cinco anos de trabalho apostólico, durante a feroz perseguição do imperador Tu Duc contra os cristãos, foi lançado a um estábulo de elefantes, onde morreu consumido pelos sofrimentos.

(† 1861)

14♦.   Em Nysa, na Prússia, hoje na Polónia, a Beata María Luísa Merkert, virgem, co-fundadora da Congregação das Irmãs de Santa Isabel.

(† 1872)

15♦.   Em Florença, na Itália, a Beata Maria Teresa de Jesus (Maria Scrílli), virgem da Ordem das Carmelitas, fundadora do Instituto das Irmãs de Nossa Senhora do Carmo.

(† 1889)

16♦.   Em Bréscia, também na Itália, o Beato Moisés Tovíni, presbítero da diocese de Bréscia.

(† 1889)