Liturgia diária

Agenda litúrgica

SEGUNDA-FEIRA da semana XXXII

S. Martinho de Tours, bispo – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L 1 Sab 1, 1-7; Sal 138 (139), 1-3. 4-6. 7-8. 9-10
Ev Lc 17, 1-6
* Na Ordem Agostiniana – B. Mariano da Mata Aparício, presbítero – MF
* Na Ordem Beneditina – S. Martinho de Tours – FESTA

 

 

Missa

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 87, 3
Chegue até Vós, Senhor, a minha oração,
inclinai o ouvido ao meu clamor.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e misericordioso,
afastai de nós toda a adversidade,
para que, sem obstáculos do corpo ou do espírito,
possamos livremente cumprir a vossa vontade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Sab 1, 1-7
«A Sabedoria é um espírito amigo dos homens;
o Espírito do Senhor enche o universo»

Começa a ler-se hoje o livro da Sabedoria, um dos mais recentes livros do Antigo Testamento. É obra de alguém cheio de fé, fé que já vem dos seus antepassados, e à luz da qual ele procura agora entender a existência, vivendo essa mesma fé num meio diferente e novo, no meio pagão de Alexandria no Egipto.

Leitura do Livro da Sabedoria
Amai a justiça, vós que governais a terra, pensai correctamente no Senhor e procurai-O com simplicidade de coração. Porque Ele deixa-Se encontrar pelos que não O tentam e revela-Se aos que n’Ele confiam. Os pensamentos tortuosos afastam de Deus e o Omnipotente, posto à prova, confunde os insensatos. A Sabedoria não entra na alma maliciosa, nem habita num corpo sujeito ao pecado. Porque o Espírito sagrado, nosso educador, foge da hipocrisia, afasta-se dos pensamentos insensatos e retira-se quando chega a iniquidade. A Sabedoria é um espírito amigo dos homens, mas não deixa sem castigo as palavras do blasfemo. Porque Deus é testemunha dos seus íntimos sentimentos, observa o seu coração segundo a verdade e ouve as suas palavras. O Espírito do Senhor enche o universo; ele, que abrange todas as coisas, sabe tudo o que se diz.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 138 (139), 1-3.4-6.7-8.9-10 (R. 24b)
Refrão: Conduzi-me, Senhor, pelo caminho da eternidade. Repete-se

Senhor, Vós conheceis o íntimo do meu ser:
sabeis quando me sento e quando me levanto.
De longe penetrais o meu pensamento:
Vós me vedes quando caminho e quando descanso,
Vós observais todos os meus passos. Refrão

Ainda a palavra me não chegou à língua
e já, Senhor, a conheceis perfeitamente.
Por todos os lados me envolveis
e sobre mim pondes a vossa mão. Refrão

Prodigiosa ciência, que não posso compreender,
tão sublime que a não posso alcançar! Refrão
Onde poderei ocultar-me ao vosso espírito?
Onde evitarei a vossa presença?
Se subir ao céu, Vós lá estais;
se descer aos abismos, ali Vos encontrais. Refrão

Se voar nas asas da aurora,
se habitar nos confins do oceano,
mesmo ali a vossa mão me guiará
e a vossa direita me sustentará. Refrão


ALELUIA Filip 2, 15d.16a
Refrão: Aleluia. Repete-se
Vós brilhais como estrelas no mundo,
anunciando a palavra da vida. Refrão


EVANGELHO Lc 17, 1-6
«Se sete vezes vier ter contigo e te disser: ‘Estou arrependido’,
tu lhe perdoarás»

Esta leitura é constituída por uma série de pensamentos sobre a vida da comunidade dos cristãos, que há-de ser vivida segundo o espírito de Jesus: evitar o escândalo, perdoar as injúrias, viver da fé, precisamente o contrário do espírito do mundo em que reina o pecado e a divisão.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «É inevitável que haja escândalos; mas ai daquele que os provoca. Melhor seria para ele que lhe atassem ao pescoço uma mó de moinho e o atirassem ao mar, do que ser ocasião de pecado para um só destes pequeninos. Tende cuidado. Se teu irmão cometer uma ofensa, repreende-o, e, se ele se arrepender, perdoa-lhe. Se te ofender sete vezes num dia e sete vezes vier ter contigo e te disser: ‘Estou arrependido’, tu lhe perdoarás». Os Apóstolos disseram ao Senhor: «Aumenta a nossa fé». O Senhor respondeu: «Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: ‘Arranca-te daí e vai plantar-te no mar’, e ela vos obedeceria».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Olhai, Senhor, com benevolência
para o sacrifício que Vos apresentamos,
a fim de participarmos com sincera piedade
no memorial da paixão do vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 22, 1-2
O Senhor é meu pastor: nada me falta.
Leva-me a descansar em verdes prados.
Conduz-me às águas refrescantes
e reconforta a minha alma.

Ou Lc 24, 35
Os discípulos reconheceram
o Senhor Jesus ao partir o pão.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Nós Vos damos graças, Senhor,
pelo alimento celeste que recebemos
e imploramos da vossa misericórdia
que, pela acção do Espírito Santo,
perseverem na vossa graça
os que receberam a força do alto.
Por Nosso Senhor.

 

 

Martirológio Romano

Memória de São Martinho, bispo, no dia do seu sepultamento. Nascido de pais gentios na Panónia, no território da hodierna Hungria, e chamado ao serviço militar na Gália, quando era ainda catecúmeno, cobriu com o seu manto a Cristo na pessoa de um pobre. Depois de receber o Baptismo, renunciou à carreira militar, fundou um mosteiro em Ligugé, onde levou vida monástica sob a direcção de Santo Hilário de Poitiers. Depois, ordenado sacerdote e, mais tarde, eleito bispo de Tours, teve sempre em vista o exemplo do bom pastor, fundando em várias localidades outros mosteiros e paróquias, dedicando-se à formação e reconciliação do clero e à evangelização dos rurais, até que, em Candes, foi ao encontro do Senhor.

 

(† 397)

2.   Junto ao lago de Mariótides, no Egipto, São Menas, mártir.

(† s. IV in.)

3.   Em Vence, na Provença da Gália, actualmente na França, a comemoração de São Verão, bispo, que, sendo filho de Santo Euquério, bispo de Lião, foi educado no mosteiro de Lérins e escreveu ao papa São Leão Magno, para lhe agradecer a profissão de fé na encarnação do Verbo contida na sua carta a Flaviano.

(† s. V in.)

4.   Na província de Sâmnio, território da actual Itália, a comemoração de São Menas, solitário, cujas virtudes são mencionadas pelo papa São Gregório Magno.

(† c. 580)

5.   Em Amatonte, próximo de Limassol, na ilha de Chipre, o passamento de São João o Esmoler, bispo de Alexandria, célebre pela sua compaixão para com os pobres, que, movido pela sua generosa caridade, fez construir muitas igrejas, hospitais e orfanatos, sempre solícito para aliviar todas as necessidades da cidade, contribuindo para isso com os bens da Igreja e exortando assiduamente os ricos à prática da beneficência.

(† 620)

6*.   No mosteiro de Malone, no Brabante, na actual Bélgica, São Bertuíno, venerado como bispo e abade.

(† 698)

7.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, São Teodoro Estudita, abade, que fez do seu mosteiro uma escola de sábios, de santos e de mártires que morreram vítimas das perseguições dos iconoclastas. Foi três vezes deportado para o exílio, teve grande veneração pela tradição dos Padres da Igreja e, para defender a fé católica, escreveu tratados famosos sobre a doutrina cristã.

(† 826)

8.   No mosteiro de Grottaferrata, na região de Frascáti, próximo de Roma, São Bartolomeu, abade, que, nascido na Calábria, foi companheiro de São Nilo, cuja vida depois escreveu; esteve a seu lado até aos seus últimos dias na construção do cenóbio de Frascáti, sob a disciplina ascética dos Padres orientais, que fortaleceu durante o seu governo, convertendo-o numa escola de ciência e de arte.

(† 1065)

9.   Em Nagasáki, no Japão, Santa Marina de Omura, virgem e mártir, que, encarcerada e levada a uma casa pública para escárnio da sua castidade, foi finalmente queimada viva.

(† 1634)

10♦.   Em Verona, na Itália, a Beata Vicenta Maria (Luísa Polóni), virgem, fundadora, juntamente  com o beato Carlos Steeb, do Instituto das Irmãs da Misericórdia de Verona, para socorrer os aflitos, os pobres e os enfermos.

(† 1855)

11*.   Em Laski Piasnica, perto da cidade de Wejherowo, na Polónia, a Beata Alice Kotowska (Maria  Jadwiga Kotowska), virgem da Congregação das Irmãs da Ressurreição do Senhor e mártir, que durante a guerra foi fuzilada por perseverar firmemente na fé de Cristo.

(† 1939)

12*.   Em Sófia, na Bulgária, a paixão do Beato Vicente Eugénio Bossilkov, bispo de Nicópolis e mártir, da Congregação da Paixão de Jesus, que, sob um regime tirano, por se recusar a separar-se da comunhão com a Sé Romana, foi encarcerado e atrozmente torturado e finalmente, sob a acusação de crime de alta traição, condenado à morte e fuzilado.

(† 1952)