Liturgia diária

Agenda litúrgica

SEGUNDA-FEIRA da semana XXV

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Prov 3, 27-34; Sal 14 (15), 2-3ab. 3cd-4ab. 5
Ev Lc 8, 16-18

* Na Diocese de Viseu – B. Rita Amada de Jesus, religiosa – MO
* Na Congregação da Paixão de Jesus Cristo – S. Vicente Maria Strambi, bispo – MO
* Na Congregação das Servas da Santa Igreja – Aniversário da fundação da Congregação (1945).
* No Instituto Jesus Maria José – B. Rita Amada de Jesus, religiosa, Fundadora do Instituto – FESTA; aniversário da fundação (1880).

 

 

Missa

ANTÍFONA DE ENTRADA
Eu sou a salvação do meu povo, diz o Senhor.
Quando chamar por Mim nas suas tribulações,
Eu o atenderei e serei o seu Deus para sempre.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor, que fizestes consistir a plenitude da lei
no vosso amor e no amor do próximo,
dai-nos a graça de cumprirmos este duplo mandamento,
para alcançarmos a vida eterna.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos pares) Prov 3, 27-34
«O homem perverso é abominável aos olhos do Senhor»

O Livro dos Provérbios é uma colecção de máximas que orientam a organização da vida, de modo a agradar a Deus. Mas é à luz dos ensinamentos de Cristo que elas hão-de ser lidas, porque é no Novo Testamento que o Antigo pode ser completamente compreendido. Assim o amor para com o próximo é a maior prova do verdadeiro amor para com Deus. Se o mandamento do amor para com o próximo tomou expressão inteiramente nova no Novo Testamento, porque entre os homens veio habitar o Filho de Deus feito homem, já o Antigo Testamento, em sentenças cheias de sabedoria, aponta o amor ao próximo como a atitude que mais aproxima os homens de Deus.

Leitura do Livro dos Provérbios
Meu filho: Não negues um favor a quem o merece, quando estiver na tua mão fazê-lo. Se tens para dar, não digas ao teu próximo: «Vai-te embora e volta depois. Amanhã te darei». Não maquines o mal contra o teu próximo, se ele mora ao teu lado e confia em ti. Não discutas sem motivo com homem nenhum, se ele não te fez qualquer mal. Não tenhas inveja do homem violento, nem imites nenhum dos seus processos; porque o Senhor abomina os homens perversos, mas reserva a sua intimidade aos corações rectos. A maldição do Senhor pesa sobre a casa do ímpio, mas Ele abençoa a morada dos justos. O Senhor zomba dos zombadores, mas concede o seu favor aos humildes. Os sábios alcançarão a glória, mas os insensatos receberão a ignomínia.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 14 (15), 2-3ab.3cd-4ab.5 (R. 1b)
Refrão: O justo habitará, Senhor, no vosso santuário. Repete-se

O que vive sem mancha e pratica a justiça
e diz a verdade que tem no seu coração
e guarda a sua língua da calúnia. Refrão

O que não faz mal ao seu próximo,
nem ultraja o seu semelhante,
o que tem por desprezível o ímpio,
mas estima os que temem o Senhor. Refrão

O que não falta ao juramento mesmo em seu prejuízo
e não empresta dinheiro com usura,
nem aceita presentes para condenar o inocente.
Quem assim proceder jamais será abalado. Refrão


ALELUIA Mt 5, 16
Refrão: Aleluia Repete-se
Brilhe a vossa luz diante dos homens,
para que vejam as vossas boas obras
e glorifiquem o vosso Pai que está nos Céus. Refrão


EVANGELHO Lc 8, 16-18
«A lâmpada coloca-se num candelabro,
para que os que entram vejam a luz»

A luz ocupa lugar de relevo em toda a linguagem da Sagrada Escritura e sobretudo no Novo Testamento. Deus é luz; Cristo apresenta-Se como a luz; os cristãos são filhos da luz. As suas obras devem, pois, ser luminosas capazes de iluminar. E o cristão não deve furtar-se a comunicar a luz que traz em si.
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus à multidão: «Ninguém acende uma lâmpada para a cobrir com uma vasilha ou a colocar debaixo da cama, mas coloca-a num candelabro, para que os que entram vejam a luz. Não há nada oculto que não se torne manifesto, nem secreto que não seja conhecido à luz do dia. Portanto, tende cuidado com a maneira como ouvis. Pois àquele que tem, dar-se-á; mas àquele que não tem, até o que julga ter lhe será tirado».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai benignamente, Senhor, os dons da vossa Igreja,
para que receba nestes santos mistérios
os bens em que pela fé acredita.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 118, 4-5
Promulgastes, Senhor,
os vossos preceitos para se cumprirem fielmente.
Fazei que os meus passos sejam firmes
na observância dos vossos mandamentos.

Ou Jo 10, 14
Eu sou o Bom Pastor, diz o Senhor;
conheço as minhas ovelhas
e as minhas ovelhas conhecem-Me.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Sustentai, Senhor, com o auxílio da vossa graça
aqueles que alimentais nos sagrados mistérios,
para que os frutos de salvação
que recebemos neste sacramento
se manifestem em toda a nossa vida.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio Romano

1.   Em Milão, na Transpadana, hoje na Lombardia, região da Itália, Santo Anatólio, que é considerado o primeiro bispo desta cidade.

(† s. II)

2.   Em Sedelaucum, hoje Seaulieu, no território de Autun, na França, os santos Andóquio, Tirso e Félix, mártires.

(† data inc.)

3.   Em Arvena, na Aquitânia, hoje Clermont-Ferrand, também na França, São Rústico, bispo, que, sendo presbítero nesta cidade, assumiu, com grande alegria da cidade, a honra do episcopado.

(† s. V)

4.   Em Lião, na Gália, hoje também na França, São Lopo, bispo, que antes tinha vivido como anacoreta.

(† d. 528)

5*.   Em Marselha, na Provença, também na França, Santo Isarno, abade, homem austero para consigo, mas benevolente e pacífico para com os outros, que renovou a vida regular no mosteiro de São Vítor.

(† 1043)

6.   Na Panónia, em território da actual Hungria, São Gerardo Sagredo, bispo de Csanad e mártir, que foi preceptor de Santo Emerico, príncipe adolescente, filho do rei Santo Estêvão, e morreu apedrejado junto ao rio Danúbio numa sedição de húngaros pagãos.

(† 1046)

7*.   Em Gerona, na Catalunha, região da Espanha, o Beato Dalmácio Moner, presbítero da Ordem dos Pregadores, insigne pelo seu amor à solidão e ao silêncio.

(† 1341)

8*.   Em York, na Inglaterra, os beatos mártires Guilherme Spenser, presbítero, e Roberto Hardesty, condenados à pena capital e enforcados no reinado de Isabel I, o primeiro por ser sacerdote, o segundo por lhe ter dado hospitalidade.

(† 1589)

9.   Em Nagasáki, no Japão, Santo António González, presbítero da Ordem dos Pregadores, que, enviado para o Japão com outros cinco companheiros e encarcerado pouco tempo depois, foi submetido duas vezes ao suplício da água, até que, consumido pela febre, precedeu os seus companheiros na morte, no tempo do chefe supremo Tokugawa Yemitsu.

(† 1637)

10.     Em San Severino, nas Marcas, região da Itália, São Pacífico, presbítero da Ordem dos Frades Menores, insigne pela suas penitências, amor à solidão e oração ante o Santíssimo Sacramento.

(† 1721)

11*.   Em Maribor, na Eslovénia, o Beato António Martinho Slomsek, bispo, que se dedicou com todas as suas energias ao cuidado da vida cristã das famílias, à formação do clero e à defesa da unidade da Igreja.

(† 1862)

12*.   Em Roma, a Beata Colomba Gabriel (Joana Matilde Gabriel), abadessa do mosteiro de L’viv, na Ucrânia, que, injustamente caluniada, se dirigiu para Roma, onde viveu pobre e alegre e fundou a Congregação das Irmãs Beneditinas da Caridade, além da obra social chamada Casa da Família, em favor das jovens operárias pobres ou afastadas da família.

(† 1926)

13*.   Em Ablat de la Ribera, povoação da província de Valência, na Espanha, o Beato José Raimundo Pascoal Ferrer Botella, presbítero e mártir, que padeceu o martírio durante a perseguição contra a fé cristã.

(† 1936)

14*.   Em Rotglà y Corbera, também na província de Valência, o Beato José Maria Ferrándiz Hernández, presbítero e mártir, que na mesma perseguição religiosa terminou vitoriosamente o combate da fé.

(† 1936)

15*.   Em Olleria, na mesma província de Valência, a Beata Encarnação Gil Valls, virgem e mártir, que, levando a lâmpada acesa, foi ao encontro de Cristo Esposo.

(† 1936)

16*.   Em Alcira, também na província de Valência, o Beato José Raimundo Ferragut Girbés, mártir, pai de família que morreu como vítima por Cristo na mesma perseguição contra a fé cristã.

(† 1936)

17♦.   Em Barcelona, também na Espanha, o Beato Afonso do Sagrado Coração de Maria (Afonso Arimány Ferrer), presbítero da Ordem dos Carmelitas Descalços e mártir, que, durante a perseguição contra a Igreja, foi assassinado  em ódio ao sacerdócio.

(† 1936)

18♦.   Em Málaga, também na Espanha, os beatos Manuel Gómez Contioso, presbítero, e companheiros[1] mártires, que, durante a mesma perseguição, foram assassinados em ódio à fé cristã.

 


[1]  São estes os seus nomes: Estêvão Garcia Garcia e Rafael Rodríguez Mesa, religiosos da Sociedade Salesiana.

 

(† 1936)

19♦.   Em Cuenca, também na Espanha, os beatos Melchior do Espírito Santo (Melchior Rodríguez Villastrigo), presbítero da Ordem da Santíssima Trindade e companheiros[2] mártires, que consumou egregiamente o seu combate por Cristo.

 


[2]  São estes os seus nomes: Luís de São Miguel dos Santos (Luís de Erdoíza y Zamalloa), Tiago de Jesus (Tiago Arriaga y Arríen), presbíteros, e João de Nossa Senhora do Castellar (João Francisco Joya y Corralero), religioso, todos da Ordem da Santíssima Trindade.

 

(† 1936)