Liturgia diária

Agenda litúrgica

QUINTA-FEIRA da semana VII

S. Policarpo, bispo e mártir – MO
Vermelho – Ofício da memória.
Missa da memória.

L 1 Sir 5, 1-10 (gr. 1-8); Sal 1, 1-2. 3. 4 e 6
Ev Mc 9, 41-50

 

 

Missa

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Salmo 12, 6
Eu confio, Senhor, na vossa bondade.
O meu coração alegra-se com a vossa salvação.
Cantarei ao Senhor por tudo o que Ele fez por mim.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei-nos, Deus todo-poderoso,
que, meditando continuamente nas realidades espirituais,
pratiquemos sempre, em palavras e obras,
o que Vos agrada.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Repete-se Sir 5, 1-10 (gr. 1-8)
«Não demores a converter-te ao Senhor»

A sabedoria é dom de Deus, que ensina ao homem o caminho do bem e o conduz ao Senhor. Por isso mesmo, não seria agir com sabedoria apoiar-se numa falsa confiança e dilatar o dia de se converter ao Senhor. Ao dom e à misericórdia de Deus só pode corresponder a generosidade e o amor do homem.

Leitura do Livro de Ben-Sirá
Não confies nas tuas riquezas, nem digas: «Assim, sou independente». Não sigas o teu instinto nem a tua força, para satisfazer as paixões do teu coração. Não digas: «Quem poderá dominar-me?», porque o Senhor certamente te dará o castigo. Não digas: «Pequei e nenhum mal me aconteceu», porque o Altíssimo sabe esperar. Não estejas tão seguro do perdão, acumulando pecado sobre pecado. E não digas: «É grande a misericórdia do Senhor e perdoar-me-á a multidão dos meus pecados», porque n’Ele há misericórdia, mas também indignação e a sua ira atinge os pecadores. Não demores a converter-te, nem vás adiando de dia para dia, porque subitamente virá a cólera do Senhor e no tempo do castigo perecerás. Não confies nas riquezas obtidas injustamente, porque de nada servirão no dia da desgraça.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 1, 1-2.3.4 e 6 (R. Salmo 39, 5a)
Refrão: Feliz o homem que pôs a sua esperança no Senhor. Repete-se

Feliz o homem que não segue o conselho dos ímpios,
nem se detém no caminho dos pecadores,
mas antes se compraz na lei do Senhor,
e nela medita dia e noite. Refrão

É como árvore plantada à beira das águas:
dá fruto a seu tempo e sua folhagem não murcha.
Tudo quanto fizer será bem sucedido. Refrão

Bem diferente é a sorte dos ímpios:
são como palha que o vento leva.
O Senhor vela pelo caminho dos justos,
mas o caminho dos pecadores leva à perdição. Refrão


ALELUIA cf. 1 Tes 2, 13
Refrão: Aleluia. Repete-se
Escutai o que diz o Senhor,
não como palavra dos homens,
mas como palavra de Deus. Refrão


EVANGELHO Mc 9, 41-50
«É melhor entrar mutilado na vida
do que ter as duas mãos e ir para a Geena»

Na comunidade cristã, a vida de relação é de importância fundamental. Os outros são sempre o nosso “Próximo”, mesmo quando distantes. Por isso, eles hão-de ser sempre o objecto do nosso amor, que os há-de socorrer nas dificuldades e nunca deixar que sejam por nós, de qualquer modo, ofendidos. O escândalo é sempre pecado contra o amor devido ao próximo.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Quem vos der a beber um copo de água, por serdes de Cristo, em verdade vos digo que não perderá a sua recompensa. Se alguém escandalizar algum destes pequeninos que crêem em Mim, melhor seria para ele que lhe atassem ao pescoço uma dessas mós movidas por um jumento e o lançassem ao mar. Se a tua mão é para ti ocasião de pecado, corta-a; porque é melhor entrar mutilado na vida do que ter as duas mãos e ir para a Geena, para esse fogo que não se apaga. E se o teu pé é para ti ocasião de pecado, corta-o; porque é melhor entrar coxo na vida do que ter os dois pés e ser lançado na Geena. E se um dos teus olhos é para ti ocasião de pecado, deita-o fora; porque é melhor entrar no reino de Deus só com um dos olhos do que ter os dois olhos e ser lançado na Geena, onde o verme não morre e o fogo não se apaga». Na verdade, todos serão salgados com fogo. O sal é coisa boa; mas se ele perder o sabor, com que haveis de temperá-lo? Tende sal em vós mesmos e vivei em paz uns com os outros».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Concedei, Senhor,
que celebremos dignamente estes divinos mistérios,
de modo que os dons oferecidos para vossa glória
sejam para nós fonte de eterna salvação.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 9, 2-3
Cantarei todas as vossas maravilhas.
Quero alegrar-me e exultar em Vós.
Cantarei ao vosso nome, ó Altíssimo.

Ou cf. Jo 11, 27
Senhor, eu creio que sois Cristo, Filho de Deus vivo,
o Salvador do mundo.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Nós Vos pedimos, Deus omnipotente,
que este sacramento de salvação
seja para nós penhor seguro de vida eterna.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio Romano

Memória de São Policarpo, bispo e mártir, venerado como discípulo de São João e última testemunha da época apostólica, que, no tempo dos imperadores Marco Antonino e Lúcio Aurélio Cómodo, sendo quase nonagenário, foi lançado às chamas diante do procônsul e de todo o povo no anfiteatro de Esmirna, na província da Ásia, na actual Turquia, dando graças a Deus Pai porque Se dignou contá-lo no número dos mártires e tomar parte no cálice de Cristo.

(† c. 155)

2.   Em Sírmium, hoje Sremska Mitrovica, na Panónia, actualmente na Sérvia, São Sireno ou Sinero, mártir, um jardineiro que, denunciado por uma mulher cuja conduta luxuriosa ele repreendera e preso pelo juiz, confessou ser cristão e, recusando-se a sacrificar aos deuses, morreu decapitado.

(† c. 307)

3.   Em Wenlock, na Inglaterra, Santa Milburga, virgem e abadessa do mosteiro do lugar, que era da linhagem real da Mércia, na actual Inglaterra.

(† c. 722)

4*.   Em Mogúncia, na Francónia da Germânia, na actual Alemanha, São Viligiso, bispo, insigne pelo seu zelo pastoral.

(† 1011)

5.   Em Stilo, na Calábria, região da Itália, São João, que se fez monge na observância dos Padres orientais e mereceu ser chamado Teriste ou Ceifeiro, porque, movido pela sua imensa caridade para com os necessitados, prestava especial auxílio aos segadores.

(† s. XI f.)

6*.   Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na França, o Beato Nicolau Tabouillot, presbítero e mártir, que, sendo pároco, foi preso durante a Revolução Francesa por causa do seu sacerdócio e finalmente morreu vitimado pela doença num hospital da cidade.

(† 1795)

7*.   Em Bilbau, no País Basco, região da Espanha, a Beata Rafaela Ibarra de Vilallonga, mãe de sete filhos, que, com o assentimento do esposo, emitiu os votos religiosos e fundou o Instituto das Irmãs dos Anjos da Guarda, destinado a proteger as jovens e orientá-las no caminho dos preceitos do Senhor.

(† 1900)

8*.   Em Roma, a Beata Josefina Vanníni (Judite Adelaide Vanníni), virgem, que fundou a Congregação das Filhas de São Camilo para a assistência aos enfermos.

(† 1911)

9*.   Em Poznam, na Polónia, o Beato Luís Mzyk, presbítero da Sociedade do Verbo Divino e mártir, que, durante a ocupação militar da sua pátria por sequazes de uma nefasta doutrina hostil à dignidade humana e à fé cristã, foi assassinado pelos guardas do quartel militar, dando testemunho de Cristo até à morte.

(† 1942)

10*.   No campo de concentração de Dachau, perto de Munique, cidade da Baviera, na Alemanha, o Beato Vicente Frelichowski, presbítero, que, durante a mesma guerra, nos vários cárceres em que andou deportado nunca desistiu do fervor da fé nem do ministério pastoral e, atingido pela enfermidade contraída na assistência aos doentes, depois de longos sofrimentos chegou finalmente à visão da paz eterna.

(† 1945)