Cânticos para a Celebração do Matrimónio – I (Coro)

Ver

Cânticos para a Celebração do Matrimónio – II (Instrumentais)

Ver

Agenda Directório Litúrgico 2019

Ver

Calendário da Liturgia 2019

Ver

A adaptação das igrejas segundo a reforma litúrgica

Ver

Pastoral Litúrgica

Ver

Espaço Celebrativo (2ª ed)

Preço: 8,00€

Ver

Vou à Missa

Preço: 2,00€

Ver

A Virgem Maria na Liturgia da Igreja

Preço: 8,00€

Ver

Sinais Sagrados

Preço: 4,00€

Ver

O Espírito da Liturgia

Preço: 4,00€

Ver

Decreto sobre a Memória da Bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja

DECRETO Sobre a celebração da Bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja no Calendário Romano Geral A feliz veneração em honra à Mãe de Deus da Igreja contemporânea, à luz das reflexões sobre o mistério de Cristo e sobre a sua própria natureza, não poderia esquecer aquela figura de Mulher (cf. Gal. 4,4), a Virgem Maria, que é Mãe de Cristo e com Ele Mãe da Igreja.

Continuar a ler

O sacramento da Quaresma

De novo a Páscoa do Senhor vai marcar encontro connosco nestes dias do ano 2018. Não de surpresa, pois quer encontrar-nos preparados para acolher tão grande dom.

Continuar a ler

A propósito da tradução litúrgica de uma palavra do Salmo 47 (46)

Tenho reparado na tradução de um dos versículos do salmo responsorial (Salmo 46) que se canta na Missa da Ascensão do Senhor: “…o Senhor, o Altíssimo, é terrível”. Verifico que o mesmo Salmo 46 aparece, com essa mesma tradução, noutros cânticos litúrgicos dos Padres Manuel Luís, Fernandes da Silva, Ferreira dos Santos, Carlos Silva. Mas encontrei algumas honrosas/felizes excepções, onde a palavra “terrível”, é assim substituída: “… o Senhor, o Altíssimo, é Sublime”, “… o Senhor é “excelso” e “portentoso”. Consultando um dicionário verifico que à palavra “terrível” são atribuídos os significados seguintes: “que inspira terror”; “medonho”; “assustador”; “extraordinário”; “grande”; “forte”; “violento”; “muito mau”. Com excepção de três destes significados, todos os demais são desagradáveis de ouvir, pelo sentido negativo que a palavra “terrível” inspira, se aplicada a Deus, que é “bondade”, “amor” e “misericórdia”. Então parece-me uma grande contradição continuarmos a cantar que “… o Senhor, o Altíssimo, é terrível” e, por isso, parece-me razoável que no Salmo 46 fosse substituída a palavra “terrível” por uma das que apontei atrás: “sublime”, “excelso”, “portentoso” ou outra de significado semelhante.

Continuar a ler